Ex-aluno de escola pública cearense conquista bolsa de estudos no MIT, dos Estados Unidos


Ex-aluno de escola pública cearense conquista bolsa de estudos no MIT, dos Estados Unidos

Michel Silva estudou no Liceu do Ceará e ganhou uma bolsa para estudar Arquitetura no Instituto de Tecnologia de Massachusetts, em Boston

Por Hayanne Narlla em Educação

29 de julho de 2015 às 07:00

Há 3 anos
Michel estudou em colégios públicos e conquistou uma bolsa nos EUA (FOTO: Arquivo pessoal)

Michel estudou em colégios públicos e conquistou uma bolsa nos EUA (FOTO: Arquivo pessoal)

“Eu tive que vencer a mim mesmo e depois colocar muito esforço”. É assim que o estudante Michel Silva, 23 anos, define sua própria trajetória. O cearense estudou a vida inteira em escola pública e, agora, vai cursar graduação de arquitetura no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), em Boston, nos Estados Unidos.

Para alcançar o sonho, que era de estudar no exterior, Michel rompeu barreiras e estabeleceu metas, que custaram muitas renúncias. Morador da Jacarecanga, ele terminou o ensino médio no Liceu do Ceará. O primeiro objetivo era simples: passar no concurso do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-CE), para estudar na área de design. Acabou fazendo cursos de Programador Visual Gráfico, Edificações, Tecnologia da Informação e Segurança do Trabalho.

Com a profissionalização, veio a vontade de se formar em arquitetura. Fez vestibular e conseguiu uma bolsa do Prouni na Faculdade Integrada do Ceará (FIC), em Fortaleza. Ainda sem concluir, abriu a própria empresa na área com um colega. Mas parecia não ser suficiente. O sonho de morar fora ainda permanecia.

Barreiras e estudos

Procurou a Fundação Getúlio Vargas para se inscrever em outro curso. Foi quando a sorte mudou e ele, então, recebeu a proposta de tentar uma bolsa no MIT. Finalmente a chance chegou, mas era necessário muito esforço para alcançá-la. A partir daí, estabeleceu um regime militar para os estudos. No começo, seriam necessárias 24 horas semanais dedicadas somente para a vaga. Com o tempo o número de horas foi aumentando.

Michel estudará arquitetura por três anos no MIT (FOTO: Divulgação)

Michel estudará arquitetura por três anos no MIT (FOTO: Divulgação)

A barreira do inglês surgiu. Michel procurou se inscrever em um curso de línguas, mas o aprendizado era limitado. Buscou pessoas de outras países para conversar em redes sociais e, sozinho, estudou. A vida social já era. Alguns amigos até ficaram chateados, mas ele renunciou festas para se dedicar mais ainda.

A prova era escrita – a entrega de um protótipo de projeto arquitetônico de cidades para o futuro –, e ainda havia uma entrevista via internet. O inglês também seria testado. Com nervosismo, Michel passou por todas as fases. Após um ano e meio, o resultado é o melhor possível: foi aprovado e conseguiu uma bolsa para cursar três anos de arquitetura nos Estados Unidos.

A família não o apoiou. A mãe coruja não quer nem que o filho saia de casa. Para ela, a estabilidade de um concurso seria muito mais proveitosa. “Mas não é o que quero. Eu não quero essa estabilidade que pareça comodismo. Eu gosto de desafios. Quero ter estabilidade com o que gosto de fazer”.

Campus do MIT em Massachusetts nos EUA (FOTO: Reprodução Wikipedia)

Campus do MIT em Massachusetts nos EUA (FOTO: Reprodução Wikipedia)

Aprendizado

Para conquistar tudo isso, não foi fácil. “No início, meu sonho era pequeno. Era apenas passar no concurso do Senai. Quando consegui, eu vi que realmente o dinheiro não faz diferença. Muita gente coloca dificuldade financeira, mas eu preferi gerar a oportunidade”, considera.

De fato, todo mundo sonha. Porém, nem todos estão preparados para ir atrás dos objetivos. Michel teve coragem de ir. Explodiu as próprias barreiras internas e, agora, sonha em ser exemplo para todos aqueles que não acreditam em si.

Publicidade

Dê sua opinião

Ex-aluno de escola pública cearense conquista bolsa de estudos no MIT, dos Estados Unidos

Michel Silva estudou no Liceu do Ceará e ganhou uma bolsa para estudar Arquitetura no Instituto de Tecnologia de Massachusetts, em Boston

Por Hayanne Narlla em Educação

29 de julho de 2015 às 07:00

Há 3 anos
Michel estudou em colégios públicos e conquistou uma bolsa nos EUA (FOTO: Arquivo pessoal)

Michel estudou em colégios públicos e conquistou uma bolsa nos EUA (FOTO: Arquivo pessoal)

“Eu tive que vencer a mim mesmo e depois colocar muito esforço”. É assim que o estudante Michel Silva, 23 anos, define sua própria trajetória. O cearense estudou a vida inteira em escola pública e, agora, vai cursar graduação de arquitetura no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), em Boston, nos Estados Unidos.

Para alcançar o sonho, que era de estudar no exterior, Michel rompeu barreiras e estabeleceu metas, que custaram muitas renúncias. Morador da Jacarecanga, ele terminou o ensino médio no Liceu do Ceará. O primeiro objetivo era simples: passar no concurso do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-CE), para estudar na área de design. Acabou fazendo cursos de Programador Visual Gráfico, Edificações, Tecnologia da Informação e Segurança do Trabalho.

Com a profissionalização, veio a vontade de se formar em arquitetura. Fez vestibular e conseguiu uma bolsa do Prouni na Faculdade Integrada do Ceará (FIC), em Fortaleza. Ainda sem concluir, abriu a própria empresa na área com um colega. Mas parecia não ser suficiente. O sonho de morar fora ainda permanecia.

Barreiras e estudos

Procurou a Fundação Getúlio Vargas para se inscrever em outro curso. Foi quando a sorte mudou e ele, então, recebeu a proposta de tentar uma bolsa no MIT. Finalmente a chance chegou, mas era necessário muito esforço para alcançá-la. A partir daí, estabeleceu um regime militar para os estudos. No começo, seriam necessárias 24 horas semanais dedicadas somente para a vaga. Com o tempo o número de horas foi aumentando.

Michel estudará arquitetura por três anos no MIT (FOTO: Divulgação)

Michel estudará arquitetura por três anos no MIT (FOTO: Divulgação)

A barreira do inglês surgiu. Michel procurou se inscrever em um curso de línguas, mas o aprendizado era limitado. Buscou pessoas de outras países para conversar em redes sociais e, sozinho, estudou. A vida social já era. Alguns amigos até ficaram chateados, mas ele renunciou festas para se dedicar mais ainda.

A prova era escrita – a entrega de um protótipo de projeto arquitetônico de cidades para o futuro –, e ainda havia uma entrevista via internet. O inglês também seria testado. Com nervosismo, Michel passou por todas as fases. Após um ano e meio, o resultado é o melhor possível: foi aprovado e conseguiu uma bolsa para cursar três anos de arquitetura nos Estados Unidos.

A família não o apoiou. A mãe coruja não quer nem que o filho saia de casa. Para ela, a estabilidade de um concurso seria muito mais proveitosa. “Mas não é o que quero. Eu não quero essa estabilidade que pareça comodismo. Eu gosto de desafios. Quero ter estabilidade com o que gosto de fazer”.

Campus do MIT em Massachusetts nos EUA (FOTO: Reprodução Wikipedia)

Campus do MIT em Massachusetts nos EUA (FOTO: Reprodução Wikipedia)

Aprendizado

Para conquistar tudo isso, não foi fácil. “No início, meu sonho era pequeno. Era apenas passar no concurso do Senai. Quando consegui, eu vi que realmente o dinheiro não faz diferença. Muita gente coloca dificuldade financeira, mas eu preferi gerar a oportunidade”, considera.

De fato, todo mundo sonha. Porém, nem todos estão preparados para ir atrás dos objetivos. Michel teve coragem de ir. Explodiu as próprias barreiras internas e, agora, sonha em ser exemplo para todos aqueles que não acreditam em si.