Cearenses serão 3 dos 5 brasileiros na Olimpíada Internacional de Astronomia

TALENTO LOCAL

Cearenses serão 3 dos 5 brasileiros na Olimpíada Internacional de Astronomia

Nathan Luiz Bezerra Martins, Pedro Pompeu de Sousa Brasil Carneiro e Vinicius Azevedo dos Santos superaram mais de 3 mil candidatos na fase nacional

Por Lucas Barbosa em Educação

21 de agosto de 2017 às 06:45

Há 4 meses

A partir da esquerda, Nathan, o professor Ednardo Rodrigues, Pedro e Vinícius: em busca de um feito inédito para o País (FOTO: Acervo Pessoal)

Três cearenses estão entre os cinco estudantes que representam o Brasil na 11ª Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA, na sigla em inglês), que ocorre em em novembro próximo, em Phuket, na Tailândia.

Nathan Luiz Bezerra Martins, Pedro Pompeu de Sousa Brasil Carneiro e Vinicius Azevedo dos Santos têm 17 anos. Eles estudam, respectivamente, nos colégios Ari de Sá, 7 de Setembro e Antares.

Os três superaram mais de 700 mil estudantes de todo o País que se inscreveram na na primeira fase Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), ocorrida ainda em 2016.

Com isso, ficaram entre os cerca de 200 classificados para a fase presencial, ocorrida em março último, em Barra do Piraí (RJ). Na nova seleção, os três cearenses constaram entre 30 escolhidos para receber aulas e exercícios presenciais, em Vinhedo (SP), específicas para o que encontrarão nas olimpíadas. Além desses encontros, os alunos receberam acompanhamento online.

Na IOAA, os estudantes, além de provas teóricas, passarão por testes individuais e coletivos que avaliarão capacidades, como, por exemplo, medições astronômicas e reconhecimentos de corpos celestes, em equipamentos como telescópios.

Para puderem classificar-se à competição, os estudantes cearenses realizaram nova prova, que decidia ainda os representantes brasileiros para a 9ª Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica (OLAA), realizada em outubro, no Chile.

Os cearenses ficaram entre os cinco primeiros e, ao lado do paulista João Vitor Guerreiro Dias e do paraense Bruno Gorresen Mello (PA), foram os escolhidos para a competição mundial. Na Tailândia, eles lutarão por um feito inédito: nunca o Brasil conquistou medalha de ouro na IOAA.

Para isso, além dos estudos por conta própria, ainda recebem aula semanal com os professores Ednardo Rodrigues, físico e doutorando em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal do Ceará (UFC), e Heliomázio Moreira, do curso de extensão em Astronomia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE). Aulas que ocorrem no Planetário Rubens de Azevedo e no Observatório Astronômico da Seara da Ciência e são focadas aula no treinamento para uso do telescópio e reconhecimento do céu.

Com tanto preparo, Nathan acredita que a equipe brasileira pode fazer bonito na olimpíada. “O grupo todo está se ajudando. A gente está estudando desde o começo do ano, coisa que não acontecia nesses anos anteriores. Eu não gosto de criar expectativas, mas acho que o Brasil irá bem”.

Publicidade

Dê sua opinião

TALENTO LOCAL

Cearenses serão 3 dos 5 brasileiros na Olimpíada Internacional de Astronomia

Nathan Luiz Bezerra Martins, Pedro Pompeu de Sousa Brasil Carneiro e Vinicius Azevedo dos Santos superaram mais de 3 mil candidatos na fase nacional

Por Lucas Barbosa em Educação

21 de agosto de 2017 às 06:45

Há 4 meses

A partir da esquerda, Nathan, o professor Ednardo Rodrigues, Pedro e Vinícius: em busca de um feito inédito para o País (FOTO: Acervo Pessoal)

Três cearenses estão entre os cinco estudantes que representam o Brasil na 11ª Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA, na sigla em inglês), que ocorre em em novembro próximo, em Phuket, na Tailândia.

Nathan Luiz Bezerra Martins, Pedro Pompeu de Sousa Brasil Carneiro e Vinicius Azevedo dos Santos têm 17 anos. Eles estudam, respectivamente, nos colégios Ari de Sá, 7 de Setembro e Antares.

Os três superaram mais de 700 mil estudantes de todo o País que se inscreveram na na primeira fase Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), ocorrida ainda em 2016.

Com isso, ficaram entre os cerca de 200 classificados para a fase presencial, ocorrida em março último, em Barra do Piraí (RJ). Na nova seleção, os três cearenses constaram entre 30 escolhidos para receber aulas e exercícios presenciais, em Vinhedo (SP), específicas para o que encontrarão nas olimpíadas. Além desses encontros, os alunos receberam acompanhamento online.

Na IOAA, os estudantes, além de provas teóricas, passarão por testes individuais e coletivos que avaliarão capacidades, como, por exemplo, medições astronômicas e reconhecimentos de corpos celestes, em equipamentos como telescópios.

Para puderem classificar-se à competição, os estudantes cearenses realizaram nova prova, que decidia ainda os representantes brasileiros para a 9ª Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica (OLAA), realizada em outubro, no Chile.

Os cearenses ficaram entre os cinco primeiros e, ao lado do paulista João Vitor Guerreiro Dias e do paraense Bruno Gorresen Mello (PA), foram os escolhidos para a competição mundial. Na Tailândia, eles lutarão por um feito inédito: nunca o Brasil conquistou medalha de ouro na IOAA.

Para isso, além dos estudos por conta própria, ainda recebem aula semanal com os professores Ednardo Rodrigues, físico e doutorando em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal do Ceará (UFC), e Heliomázio Moreira, do curso de extensão em Astronomia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE). Aulas que ocorrem no Planetário Rubens de Azevedo e no Observatório Astronômico da Seara da Ciência e são focadas aula no treinamento para uso do telescópio e reconhecimento do céu.

Com tanto preparo, Nathan acredita que a equipe brasileira pode fazer bonito na olimpíada. “O grupo todo está se ajudando. A gente está estudando desde o começo do ano, coisa que não acontecia nesses anos anteriores. Eu não gosto de criar expectativas, mas acho que o Brasil irá bem”.