Cearense que tirou nota mil na redação do Enem dá dicas de como fazer bom texto

SE GARANTE!

Cearense que tirou nota mil na redação do Enem dá dicas de como fazer bom texto

Marília Oliveira, de 18 anos, aluna do colégio Tiradentes, foi um dos 53 candidatos do país que atingiram a nota máxima

Por Daniel Rocha em Educação

9 de Fevereiro de 2018 às 07:00

Há 5 meses

A estudante esteve entre os  0,001% dos candidatos a tirar nota máxima (Foto: Arquivo Pessoal)

2017 foi um ano de muito esforço para Marília Oliveira. Com uma rotina puxada, a estudante de 18 anos acordava por volta das 4h30, ainda pela madrugada, para ir ao colégio Tiradentes onde estudava, em Fortaleza. O percurso de casa para a escola era realizado de transporte público.

As aula iam das 7h20 até as 12h20 e, ao chegar em casa, ela dedicava cerca de sete horas para revisar o conteúdo visto pela manhã. Aliado a essa “maratona”, inúmeras redações eram feitas durante a semana.

Em 2018, o esforço foi recompensado. A cearense está entre os 53 candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2017 que tiraram nota máxima na prova de redação. O número corresponde a 0,001% do total de candidatos que realizaram o exame no último mês de novembro.

Segundo Marília, o seu desempenho se deve aos seus exercícios e a compreensão da estrutura de texto que o Enem exigia.

“Muitas pessoas acham que redação é só escrever. Eu tive acesso a aulas teóricas de redação. Estudei a estrutura textual da redação do Enem, elementos de coesão e de coerência”, explicou Marília sobre o processo de preparação pra a prova.

As informações que adquiria ao acompanhar as notícias e reportagens sobre os acontecimentos no Brasil e no Mundo eram relacionadas em suas redações. “Chegava mais cedo na minha escola para fazer redação e entregava muitas redações. Fazia uma média de cinco por semana”, frisa.

Mas, para conseguir atingir a nota máxima na prova do Enem, foi necessário também de outras táticas que otimizam o seu desempenho durante a produção textual. Marília cita duas estratégias essenciais que ajudaram o seu tempo e contribuíram para organizar as informações referentes a proposta de redação.

A primeira é escrever ideias que estejam relacionadas ao tema da redação. De acordo com a estudante, é uma forma de incentivar o seu cérebro a construir a “linha de raciocínio” do texto.

“Trata-se de uma lista de todas as ideias das coisas que você sabe que estão relacionadas, mesmo que não as utilizam”, explica. O segundo passo é fazer o projeto de texto. De acordo com Marília, essa estratégia é uma forma de pensar quais informações irão ficar na introdução, no desenvolvimento e na conclusão.

“É muito mais fácil porque eu já crio o meu texto. Já tenho a ideia. Melhor do que sair escrevendo sem um planejamento”, sugere. Entretanto, Marília alerta que as dicas não serão suficientes se o aluno não compreender o modelo de um texto dissertativo-argumentativo. De acordo com ela, a prova exige do candidato uma opinião a partir dos dados fornecidos na proposta.

“Muitas pessoas usam no texto primeira pessoa, como “Eu acho” ou “eu penso”. Não é recomendável. O ideal é o uso da terceira pessoa. O Enem disponibiliza cartilhas que dão muitas dicas. É importante saber o que a prova exige de você”, ressalta.

Após o resultado do Sistema da Unificação Simplificada (Sisu), Marília Oliveira ficou na lista de espera do curso de Direito da Universidade Federal do Ceará (UFC). De acordo com programação do Sisu, a convocação dos candidatos pelas instituições vai acontecer a partir do dia 9 de fevereiro deste ano. Mas, apesar de ainda não saber o resultado, a estudante fica feliz pela conquista e agradece o apoio de professores, amigos e familiares durante o seu preparo. “Esse apoio faz muita diferença”, ressalta.

Publicidade

Dê sua opinião

SE GARANTE!

Cearense que tirou nota mil na redação do Enem dá dicas de como fazer bom texto

Marília Oliveira, de 18 anos, aluna do colégio Tiradentes, foi um dos 53 candidatos do país que atingiram a nota máxima

Por Daniel Rocha em Educação

9 de Fevereiro de 2018 às 07:00

Há 5 meses

A estudante esteve entre os  0,001% dos candidatos a tirar nota máxima (Foto: Arquivo Pessoal)

2017 foi um ano de muito esforço para Marília Oliveira. Com uma rotina puxada, a estudante de 18 anos acordava por volta das 4h30, ainda pela madrugada, para ir ao colégio Tiradentes onde estudava, em Fortaleza. O percurso de casa para a escola era realizado de transporte público.

As aula iam das 7h20 até as 12h20 e, ao chegar em casa, ela dedicava cerca de sete horas para revisar o conteúdo visto pela manhã. Aliado a essa “maratona”, inúmeras redações eram feitas durante a semana.

Em 2018, o esforço foi recompensado. A cearense está entre os 53 candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2017 que tiraram nota máxima na prova de redação. O número corresponde a 0,001% do total de candidatos que realizaram o exame no último mês de novembro.

Segundo Marília, o seu desempenho se deve aos seus exercícios e a compreensão da estrutura de texto que o Enem exigia.

“Muitas pessoas acham que redação é só escrever. Eu tive acesso a aulas teóricas de redação. Estudei a estrutura textual da redação do Enem, elementos de coesão e de coerência”, explicou Marília sobre o processo de preparação pra a prova.

As informações que adquiria ao acompanhar as notícias e reportagens sobre os acontecimentos no Brasil e no Mundo eram relacionadas em suas redações. “Chegava mais cedo na minha escola para fazer redação e entregava muitas redações. Fazia uma média de cinco por semana”, frisa.

Mas, para conseguir atingir a nota máxima na prova do Enem, foi necessário também de outras táticas que otimizam o seu desempenho durante a produção textual. Marília cita duas estratégias essenciais que ajudaram o seu tempo e contribuíram para organizar as informações referentes a proposta de redação.

A primeira é escrever ideias que estejam relacionadas ao tema da redação. De acordo com a estudante, é uma forma de incentivar o seu cérebro a construir a “linha de raciocínio” do texto.

“Trata-se de uma lista de todas as ideias das coisas que você sabe que estão relacionadas, mesmo que não as utilizam”, explica. O segundo passo é fazer o projeto de texto. De acordo com Marília, essa estratégia é uma forma de pensar quais informações irão ficar na introdução, no desenvolvimento e na conclusão.

“É muito mais fácil porque eu já crio o meu texto. Já tenho a ideia. Melhor do que sair escrevendo sem um planejamento”, sugere. Entretanto, Marília alerta que as dicas não serão suficientes se o aluno não compreender o modelo de um texto dissertativo-argumentativo. De acordo com ela, a prova exige do candidato uma opinião a partir dos dados fornecidos na proposta.

“Muitas pessoas usam no texto primeira pessoa, como “Eu acho” ou “eu penso”. Não é recomendável. O ideal é o uso da terceira pessoa. O Enem disponibiliza cartilhas que dão muitas dicas. É importante saber o que a prova exige de você”, ressalta.

Após o resultado do Sistema da Unificação Simplificada (Sisu), Marília Oliveira ficou na lista de espera do curso de Direito da Universidade Federal do Ceará (UFC). De acordo com programação do Sisu, a convocação dos candidatos pelas instituições vai acontecer a partir do dia 9 de fevereiro deste ano. Mas, apesar de ainda não saber o resultado, a estudante fica feliz pela conquista e agradece o apoio de professores, amigos e familiares durante o seu preparo. “Esse apoio faz muita diferença”, ressalta.