Ceará tem queda em índice do ensino médio, contrariando propaganda de governo


Ceará tem queda em índice do ensino médio, contrariando propaganda de governo

Em meio à publicidade do governo de Cid Gomes sobre investimentos no ensino médio, dados do Ideb apontam queda nos números da educação no Ceará entre 2011 e 2013

Por Tribuna do Ceará em Educação

5 de setembro de 2014 às 19:03

Há 5 anos
Ensino médio do Ceara teve queda nas notas do Ideb de 2011 para 2013 (FOTO: Reprodução Facebook)

Ensino médio do Ceara teve queda nas notas do Ideb de 2011 para 2013 (FOTO: Reprodução Facebook)

As notas do ensino médio de 13 estados do Brasil caíram no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2011 para 2013. O Ceará está incluso na lista. Os dados foram divulgados pelo Ministério de Educação (MEC) nesta sexta-feira (5).

Em 2011, o Ceará registrou uma taxa de 3,7. Porém, em 2013, o índice caiu para 3,6. A meta estabelecida pelo governo federal era de 3,9 para o último ano avaliado.

A Secretaria de Educação do Estado reconheceu a queda, por telefone através de sua assessoria de imprensa. Atualmente, Izolda Cela, que ocupava o cargo, é candidata a vice-governadora na chapa de Camilo Santana (PT).

No debate entre senadores realizado no último domingo (31) na TV O POVO, o candidato ao Senado Tasso Jereissati (PSDB) questionou a educação no Ceará, referindo-se ao Ideb. Após o programa, Izolda, da coligação de Mauro Filho (Pros), concorrente do tucano, reclamou dos comentários do adversário através do Facebook.

Será que o Tasso Jereissati falta com a verdade por não conhecê-la ou intencionalmente?“, escreveu. Com a divulgação do Ideb, confirma-se a queda de rendimento da educação cearense.

A divulgação dos dados ocorre no momento em que a atual gestão estadual faz publicidade de seus investimentos no ensino profissionalizante, com 104 escolas inauguradas em oito anos do governo Cid. Izolda foi secretária de Educação desde o início da gestão, licenciando-se em abril deste ano.

Outros estados que apresentaram queda nas notas foram: Santa Catarina, Minas Gerais, Paraná, Rondônia, Mato Grosso do Sul, Roraima, Tocantins, Amazonas, Amapá, Maranhão, Bahia e Mato Grosso. Enquanto o Ceará apresenta queda, o estado de Pernambuco teve a maior elevação no Nordeste, de 3,4 para 3,8.

Para o professor Arnaud Cavalcante, especialista em educação, é preocupante a tendência de queda nos últimos anos escolares. O motivo é que os jovens já estão prestes a serem inseridos no mercado de trabalho. “Se não consegue adquirir o conhecimento de interpretar, de se posicionar, de ter uma crítica contundente, quando esse jovem se depara com o ensino mais elaborado, ele sofre situações de frustração. O país perde muito com isso”.

Izolda esteve a frente da pasta durante o período avaliado (FOTO: Reprodução Facebook)

Izolda esteve a frente da pasta durante o período avaliado (FOTO: Reprodução Facebook)

Arnaud defende uma ligação entre as gestões municipais e estadual, dando mais atenção aos alunos desde o início da vida estudantil. “Deveria haver uma política continuada com comunicação entre Estado e municípios. Isso é questão de planejamento, acompanhamento e de prioridade. Um dos principais problemas no ensino médio é a evasão. Se houvesse um acompanhamento, não haveria tanta desistência”, sugere.

A evasão escolar no Ceará chegou a 11% em 2012, como mostrou a rádio Tribuna BandNews FM no dia 3 de setembro. Isso significa que cerca de 38 mil alunos abandonaram os estudos.

 

Publicidade

Dê sua opinião

Ceará tem queda em índice do ensino médio, contrariando propaganda de governo

Em meio à publicidade do governo de Cid Gomes sobre investimentos no ensino médio, dados do Ideb apontam queda nos números da educação no Ceará entre 2011 e 2013

Por Tribuna do Ceará em Educação

5 de setembro de 2014 às 19:03

Há 5 anos
Ensino médio do Ceara teve queda nas notas do Ideb de 2011 para 2013 (FOTO: Reprodução Facebook)

Ensino médio do Ceara teve queda nas notas do Ideb de 2011 para 2013 (FOTO: Reprodução Facebook)

As notas do ensino médio de 13 estados do Brasil caíram no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2011 para 2013. O Ceará está incluso na lista. Os dados foram divulgados pelo Ministério de Educação (MEC) nesta sexta-feira (5).

Em 2011, o Ceará registrou uma taxa de 3,7. Porém, em 2013, o índice caiu para 3,6. A meta estabelecida pelo governo federal era de 3,9 para o último ano avaliado.

A Secretaria de Educação do Estado reconheceu a queda, por telefone através de sua assessoria de imprensa. Atualmente, Izolda Cela, que ocupava o cargo, é candidata a vice-governadora na chapa de Camilo Santana (PT).

No debate entre senadores realizado no último domingo (31) na TV O POVO, o candidato ao Senado Tasso Jereissati (PSDB) questionou a educação no Ceará, referindo-se ao Ideb. Após o programa, Izolda, da coligação de Mauro Filho (Pros), concorrente do tucano, reclamou dos comentários do adversário através do Facebook.

Será que o Tasso Jereissati falta com a verdade por não conhecê-la ou intencionalmente?“, escreveu. Com a divulgação do Ideb, confirma-se a queda de rendimento da educação cearense.

A divulgação dos dados ocorre no momento em que a atual gestão estadual faz publicidade de seus investimentos no ensino profissionalizante, com 104 escolas inauguradas em oito anos do governo Cid. Izolda foi secretária de Educação desde o início da gestão, licenciando-se em abril deste ano.

Outros estados que apresentaram queda nas notas foram: Santa Catarina, Minas Gerais, Paraná, Rondônia, Mato Grosso do Sul, Roraima, Tocantins, Amazonas, Amapá, Maranhão, Bahia e Mato Grosso. Enquanto o Ceará apresenta queda, o estado de Pernambuco teve a maior elevação no Nordeste, de 3,4 para 3,8.

Para o professor Arnaud Cavalcante, especialista em educação, é preocupante a tendência de queda nos últimos anos escolares. O motivo é que os jovens já estão prestes a serem inseridos no mercado de trabalho. “Se não consegue adquirir o conhecimento de interpretar, de se posicionar, de ter uma crítica contundente, quando esse jovem se depara com o ensino mais elaborado, ele sofre situações de frustração. O país perde muito com isso”.

Izolda esteve a frente da pasta durante o período avaliado (FOTO: Reprodução Facebook)

Izolda esteve a frente da pasta durante o período avaliado (FOTO: Reprodução Facebook)

Arnaud defende uma ligação entre as gestões municipais e estadual, dando mais atenção aos alunos desde o início da vida estudantil. “Deveria haver uma política continuada com comunicação entre Estado e municípios. Isso é questão de planejamento, acompanhamento e de prioridade. Um dos principais problemas no ensino médio é a evasão. Se houvesse um acompanhamento, não haveria tanta desistência”, sugere.

A evasão escolar no Ceará chegou a 11% em 2012, como mostrou a rádio Tribuna BandNews FM no dia 3 de setembro. Isso significa que cerca de 38 mil alunos abandonaram os estudos.