Ceará tem 6 dos 10 municípios brasileiros com melhores notas no Ideb

EDUCAÇÃO BÁSICA

Ceará tem 6 dos 10 municípios brasileiros com melhores notas no Ideb

A escola que obteve o melhor resultado em Fortaleza fica localizada no bairro José Walter; a educação do município de Fortaleza alcançou a meta estipulada para 2021

Por Tribuna do Ceará em Educação

4 de setembro de 2018 às 17:19

Há 2 meses
Mão com giz em referência a Seis dos dez municípios brasileiros com melhores notas nas primeiras series do ensino fundamenta, são cearenses

A primeira posição é ocupada por Sobral, que obteve 9,1 na avaliação (FOTO: Freepik)

A educação de Fortaleza alcançou a meta estipulada para 2021, conforme resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2017.

Os dados, divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), apontam que a rede municipal de ensino da capital cearense alcançou a melhor marca de sua história, tanto nos anos iniciais como nos finais.

O Ideb apontou, ainda que, nos 10 municípios brasileiros com as melhores notas nas séries iniciais no ensino fundamental, seis são cearenses. A primeira posição é ocupada por Sobral, que obteve 9,1 na avaliação, quando a meta era 5,9.

Em seguida, aparece a escola deputado Irapuan Pinheiro em terceiro lugar; Milhã em quinto; Ararendá em sexto; Catunda em sétimo; e Jijoca de Jericoacoara, em oitavo.

A escola municipal Monteiro Lobato, que fica localizada no bairro José Walter, teve o melhor desempenho da capital. De acordo com a diretora da instituição, Patrícia Albuquerque, o desempenho é fruto de um esforço conjunto. “Quando a gente tem um corpo docente atuante, preocupado, competente e engajado”. A escola, inclusive, já havia alcançado a meta do Ideb, em 2013.

O Ideb é calculado a partir da multiplicação das médias das notas das provas de língua portuguesa e matemática pela média das taxas de aprovação das séries. A secretária Municipal de Fortaleza, Dalila Saldanha, comenta que o desempenho do ensino da capital se deve a uma continuidade de um projeto implementado há cinco anos.

Em língua portuguesa, a média da capital cearense ficou acima do desempenho do Ceará e do Brasil. Já em matemática, o resultado da rede municipal de Fortaleza ficou acima da médica nacional. Em todo o país, o resultado do Ensino Fundamental superou o do Ensino Médio no Ideb.

De acordo com o doutor em linguística da Universidade Federal do Ceará (UFC) e professor do Centro Universitário Unifanor, Halysson Dantas, o resultado se deve a investimentos direcionados aos primeiros anos de ensino. “Eu atribuo principalmente a um desfoco maior nessa etapa de ensino, das fases iniciais com foco na alfabetização”.

Ensino Médio

Enquanto os resultados do Ensino Fundamental de Fortaleza e de alguns municípios cearenses se destacam, o estado ficou abaixo da projeção de aprendizagem no Ensino Médio estipulada para este ano. O ensino da rede pública estadual tirou nota 3,8, valor 0,4 acima da estimativa de 2015; mas, ainda assim, abaixo da previsão do MEC, que era uma nota 4,3.

O secretário de Educação do Ceará, Rogers Mendes, critica os critérios feitos pelo Ideb e diz que o levantamento não considerou o desempenho do ensino profissionalizante. “A gente está questionando, inclusive, o cálculo do Ideb do Ensino Médio. O Inep adotou uma metologia que eles retiraram as notas do SAEPE das escolas de educação profissional. Esse grupo de estudantes que representa 112 dessas escolas avaliadas. Elas foram simplesmente retiradas na nota do estado que compõe o Ideb. Então, se essas escolas entrassem, elas seriam um pouquinho maior do que 3,8, que já representou um crescimento importante”.

A situação em nível nacional não é diferente. Em 2017, nenhum estado brasileiro atingiu a meta de desempenho do sistema educacional estabelecimento pelo Ideb para o Ensino Médio. Na semana passada, o ministro da Educação, Rossieli Soares, declarou que o Ensino Médio “está falido”, correndo o risco de chegar ao “fundo do poço” e não está agregando conhecimento aos alunos.

De acordo com a presidente do Conselho Nacional dos Secretários de Educação (Consed), Cecília Motase, se não forem postas em práticas as mudanças no modelo de ensino e na base nacional curricular nesta fase do ensino, o cenário pode se deteriorar ainda mais ao longo dos próximos anos. “Do sexto ao nono ano, os dados mostram que o professor precisa também de uma formação”.

Confira áudios de Jackson de Moura, da Tribuna BandNews FM:

Publicidade

Dê sua opinião

EDUCAÇÃO BÁSICA

Ceará tem 6 dos 10 municípios brasileiros com melhores notas no Ideb

A escola que obteve o melhor resultado em Fortaleza fica localizada no bairro José Walter; a educação do município de Fortaleza alcançou a meta estipulada para 2021

Por Tribuna do Ceará em Educação

4 de setembro de 2018 às 17:19

Há 2 meses
Mão com giz em referência a Seis dos dez municípios brasileiros com melhores notas nas primeiras series do ensino fundamenta, são cearenses

A primeira posição é ocupada por Sobral, que obteve 9,1 na avaliação (FOTO: Freepik)

A educação de Fortaleza alcançou a meta estipulada para 2021, conforme resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2017.

Os dados, divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), apontam que a rede municipal de ensino da capital cearense alcançou a melhor marca de sua história, tanto nos anos iniciais como nos finais.

O Ideb apontou, ainda que, nos 10 municípios brasileiros com as melhores notas nas séries iniciais no ensino fundamental, seis são cearenses. A primeira posição é ocupada por Sobral, que obteve 9,1 na avaliação, quando a meta era 5,9.

Em seguida, aparece a escola deputado Irapuan Pinheiro em terceiro lugar; Milhã em quinto; Ararendá em sexto; Catunda em sétimo; e Jijoca de Jericoacoara, em oitavo.

A escola municipal Monteiro Lobato, que fica localizada no bairro José Walter, teve o melhor desempenho da capital. De acordo com a diretora da instituição, Patrícia Albuquerque, o desempenho é fruto de um esforço conjunto. “Quando a gente tem um corpo docente atuante, preocupado, competente e engajado”. A escola, inclusive, já havia alcançado a meta do Ideb, em 2013.

O Ideb é calculado a partir da multiplicação das médias das notas das provas de língua portuguesa e matemática pela média das taxas de aprovação das séries. A secretária Municipal de Fortaleza, Dalila Saldanha, comenta que o desempenho do ensino da capital se deve a uma continuidade de um projeto implementado há cinco anos.

Em língua portuguesa, a média da capital cearense ficou acima do desempenho do Ceará e do Brasil. Já em matemática, o resultado da rede municipal de Fortaleza ficou acima da médica nacional. Em todo o país, o resultado do Ensino Fundamental superou o do Ensino Médio no Ideb.

De acordo com o doutor em linguística da Universidade Federal do Ceará (UFC) e professor do Centro Universitário Unifanor, Halysson Dantas, o resultado se deve a investimentos direcionados aos primeiros anos de ensino. “Eu atribuo principalmente a um desfoco maior nessa etapa de ensino, das fases iniciais com foco na alfabetização”.

Ensino Médio

Enquanto os resultados do Ensino Fundamental de Fortaleza e de alguns municípios cearenses se destacam, o estado ficou abaixo da projeção de aprendizagem no Ensino Médio estipulada para este ano. O ensino da rede pública estadual tirou nota 3,8, valor 0,4 acima da estimativa de 2015; mas, ainda assim, abaixo da previsão do MEC, que era uma nota 4,3.

O secretário de Educação do Ceará, Rogers Mendes, critica os critérios feitos pelo Ideb e diz que o levantamento não considerou o desempenho do ensino profissionalizante. “A gente está questionando, inclusive, o cálculo do Ideb do Ensino Médio. O Inep adotou uma metologia que eles retiraram as notas do SAEPE das escolas de educação profissional. Esse grupo de estudantes que representa 112 dessas escolas avaliadas. Elas foram simplesmente retiradas na nota do estado que compõe o Ideb. Então, se essas escolas entrassem, elas seriam um pouquinho maior do que 3,8, que já representou um crescimento importante”.

A situação em nível nacional não é diferente. Em 2017, nenhum estado brasileiro atingiu a meta de desempenho do sistema educacional estabelecimento pelo Ideb para o Ensino Médio. Na semana passada, o ministro da Educação, Rossieli Soares, declarou que o Ensino Médio “está falido”, correndo o risco de chegar ao “fundo do poço” e não está agregando conhecimento aos alunos.

De acordo com a presidente do Conselho Nacional dos Secretários de Educação (Consed), Cecília Motase, se não forem postas em práticas as mudanças no modelo de ensino e na base nacional curricular nesta fase do ensino, o cenário pode se deteriorar ainda mais ao longo dos próximos anos. “Do sexto ao nono ano, os dados mostram que o professor precisa também de uma formação”.

Confira áudios de Jackson de Moura, da Tribuna BandNews FM: