Alunos de Fortaleza lançam foguetes a mais de 100 metros de distância somente com água

AULA DIFERENTE

Alunos de Fortaleza lançam foguetes a mais de 100 metros de distância somente com água

Os foguetes dos alunos do Colégio Militar dos Bombeiros foram feitos à base de garrafas Pet e canos de PVC

Por Tribuna do Ceará em Educação

25 de Janeiro de 2018 às 06:45

Há 4 semanas

O projeto foi feito para disciplina de Astronomia (FOTO: Wesley Nogueira)

Por Lya Cardoso

Atividades extracurriculares instigam a criatividade de alunos fora da sala de aula. Com isso, a disciplina de Astronomia do Colégio Militar do Corpo de Bombeiros promoveu a construção e elaboração de foguetes como
nota de avaliação. Eles podem chegar a mais de 100 metros de distância.

Para fazer o lançamento, as regras adotadas
são as mesmas cadastradas na Mostra Brasileira de Foguetes, que é um evento aberto a participação de escolas cadastradas na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica.

Os alunos do 7º ano podem ter cinco medalhas garantidas referentes aos lançamentos feitos no final do ano passado. E já planejam novas sessões para melhorar a marca. Divididos em equipes, eles trabalharam para o lançamento durante os meses de outubro e novembro. Muitos dos que não se destacavam em provas tiveram um maior aproveitamento durante a construção e elaboração do projeto.

Para o tenente João Romário Fernandes, professor da disciplina de Astronomia, a experiência foi algo novo. “Fui aprendendo com nossos testes em salas de aula, pesquisando pela internet e conversando com colegas professores que já haviam feito antes”.

Os foguetes foram confeccionados pelos alunos à base de garrafas Pet e canos de PVC. Feito apenas com água e ar comprimido, os lançamentos faziam parte da nota da disciplina de Astronomia. Inicialmente, os arremessos foram feitos progressivamente no interior da escola, em uma rua pouco movimentada, e por fim no estádio do Colégio Militar de Fortaleza e na Escola Aprendizes Marinheiro.

O aluno Wesley Nogueira fala que a experiência foi algo que fez ele ter interesse em pesquisar para obter bons
resultados. “Cada vez que pesquisava e colocava em prática o que tinha aprendido, tinha mais interesse em pesquisar mais, para ter um resultado ainda melhor. O professor Romário foi peça chave, para que esse projeto tivesse o resultado que teve. Dia 19 de janeiro vão ter novos lançamentos de foguetes na escola, já estou ansioso”.

Confira o vídeo dos estudantes:

Publicidade

Dê sua opinião

AULA DIFERENTE

Alunos de Fortaleza lançam foguetes a mais de 100 metros de distância somente com água

Os foguetes dos alunos do Colégio Militar dos Bombeiros foram feitos à base de garrafas Pet e canos de PVC

Por Tribuna do Ceará em Educação

25 de Janeiro de 2018 às 06:45

Há 4 semanas

O projeto foi feito para disciplina de Astronomia (FOTO: Wesley Nogueira)

Por Lya Cardoso

Atividades extracurriculares instigam a criatividade de alunos fora da sala de aula. Com isso, a disciplina de Astronomia do Colégio Militar do Corpo de Bombeiros promoveu a construção e elaboração de foguetes como
nota de avaliação. Eles podem chegar a mais de 100 metros de distância.

Para fazer o lançamento, as regras adotadas
são as mesmas cadastradas na Mostra Brasileira de Foguetes, que é um evento aberto a participação de escolas cadastradas na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica.

Os alunos do 7º ano podem ter cinco medalhas garantidas referentes aos lançamentos feitos no final do ano passado. E já planejam novas sessões para melhorar a marca. Divididos em equipes, eles trabalharam para o lançamento durante os meses de outubro e novembro. Muitos dos que não se destacavam em provas tiveram um maior aproveitamento durante a construção e elaboração do projeto.

Para o tenente João Romário Fernandes, professor da disciplina de Astronomia, a experiência foi algo novo. “Fui aprendendo com nossos testes em salas de aula, pesquisando pela internet e conversando com colegas professores que já haviam feito antes”.

Os foguetes foram confeccionados pelos alunos à base de garrafas Pet e canos de PVC. Feito apenas com água e ar comprimido, os lançamentos faziam parte da nota da disciplina de Astronomia. Inicialmente, os arremessos foram feitos progressivamente no interior da escola, em uma rua pouco movimentada, e por fim no estádio do Colégio Militar de Fortaleza e na Escola Aprendizes Marinheiro.

O aluno Wesley Nogueira fala que a experiência foi algo que fez ele ter interesse em pesquisar para obter bons
resultados. “Cada vez que pesquisava e colocava em prática o que tinha aprendido, tinha mais interesse em pesquisar mais, para ter um resultado ainda melhor. O professor Romário foi peça chave, para que esse projeto tivesse o resultado que teve. Dia 19 de janeiro vão ter novos lançamentos de foguetes na escola, já estou ansioso”.

Confira o vídeo dos estudantes: