Rebaixada em obra de metrô, Estação da Parangaba encontra-se cercada para evitar entulho


Rebaixada em obra de metrô, Estação da Parangaba encontra-se cercada para evitar entulho

Estação teve de ser rebaixada 3,5 metros e linha de metrô foi elevada, em 2008, para preservar o patrimônio histórico e evitar a sua demolição

Por Rosana Romão em Cotidiano

25 de Maio de 2015 às 06:30

Há 4 anos
Erguida em 1873 e reconstruída em 1927, estação foi preservada e restaurada. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Erguida em 1873 e reconstruída em 1927, estação foi preservada e restaurada. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Quem vê a Estação da Parangaba assim, cercada, imagina que ela encontra-se fechada. Todavia, o espaço é aberto ao público e oferece serviços de assistência social, advocacia e psicologia para pessoas que não têm condições financeiras de pagar por esses serviços. Desde novembro de 2013, o prédio abriga o Centro de Referência em Direitos Humanos do Estado do Ceará. A partir de seu funcionamento, o espaço contabiliza mais de 2 mil atendimentos.

Em uma foto publicada em redes sociais na semana passada, moradores de Fortaleza questionaram as grades ao redor da estação. A cerca foi adotada para proteção contra poeira e lixo, mas o equipamento é aberto ao público e funciona diariamente das 8h às 17h.

Erguida em 1873 e reconstruída em 1927, a Estação Parangaba foi a segunda estação ferroviária de Fortaleza. A primeira é a Estação João Felipe, no Centro. Em 2008, o equipamento foi tombado. No mesmo ano, o prédio passou por um dilema. Devido a construção do Metrô de Fortaleza, a estação teria que sair do local para dar espaço ao metrô. Na época, o então governador Cid Gomes tinha as seguintes opções: fazer uma réplica da estação e transferi-la para outro bairro, custando R$ 214 mil; transladar o prédio para a Praça Central da Parangaba, ao custo de R$ 5,27 milhões; ou construir um memorial no mesmo local, respeitando a estrutura da estação.

A solução foi acordada entre Cid e a prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins: rebaixar a estação por 3,5 metros e elevar a linha do metrô para preservar o equipamento histórico e evitar sua demolição. A obra durou cinco meses, onde foi priorizado a manutenção das estrutura do prédio, bem como seus traços arquitetônicos.

O valor de investimento foi de R$ 1.063.324,47. A participação dos moradores do bairro no debate sobre o assunto foi importante para que os executivos acatassem essa decisão. Jeovah Natalense, de 85 anos, morador mais antigo do bairro, foi o principal defensor da preservação da Estação Parangaba. Membro da família Pedra, tradicional no bairro, tem o respeito de todos os moradores.

Debate

“A gente tem muita ligação porque o papai veio em um trem de Baturité até a Estação da Parangaba. Quando disseram que o metrô ia passar por lá, nós entramos com um requerimento contra a demolição da estação”, relembra Jeohvah Natalense, morador mais antigo do bairro.

Por ser tão defensor da estação, o morador recebeu o privilégio de anunciar o tombamento. “Na época, estavam derrubando todas as estações, como fizeram com a do Otávio Bonfim. Imediatamente nós entramos com uma ação. Veio um oficial de Justiça e me autorizou a mandar tapar o buraco que eles tinham feito para derrubar a estação”, conta, orgulhoso.

De acordo com o morador Salatiel Benigno, de 64 anos, a preservação melhorou o local, mas ele ainda prefere o prédio antigo. “O ideal era que eles tivessem mudado o trajeto do metrô, fazendo um desvio por esse terreno do Shopping Parangaba, que na época era só um terreno mesmo. Aí depois é que vieram se preocupar com a estação. Está bom, mas eles deviam ter planejado isso antes e não da forma como foi feito, às pressas”.

Atualmente o local abriga o Centro de Referência em Direitos Humanos do Estado do Ceará. Além da assistência social, psicológica e jurídica à população, o centro tem trabalhado com ações como capacitações em escolas e em entidades parceiras, para divulgar o trabalho e promover a educação em direitos humanos e a cultura de paz. O objetivo é ser instrumento de defesa, promoção e acesso à justiça.

A equipe multidisciplinar ministra palestras nas escolas de redes municipais e estaduais e também acolhe alunos dessas escolas em visitas à instituição. Na ocasião, os alunos aprenderam sobre direitos humanos e patrimônio histórico, já que o centro de referência funciona na antiga estação da Parangaba – reconhecida como patrimônio histórico tombado pela Prefeitura de Fortaleza.

Outro ícone do Bairro Parangaba, o Bar Avião também sofreu alterações devido às obras do Metrô. Porém, as intervenções não interferiram no acesso ao prédio. Conhecido por sua arquitetura inusitada, com um avião no topo, o local recebeu restauração, mas já é alvo de pichações. No local, funciona um mercadinho popular.

Serviço
Centro de Referência em Direitos Humanos do Estado do Ceará
Rua Dom Pedro II – Parangaba
Ponto de Referência: Em frente à estação do Metrofor, ao lado do Shopping Parangaba e próximo ao terminal da Parangaba
Horário de Funcionamento: 8h às 17h
Telefone: (85) 3101.2998 / 3101.2960

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção
1/10

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção

O espaço é aberto ao público e oferece serviços de assistência social, advocacia e psicologia para pessoas que não tem condições financeiras de pagar por estes serviços. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção
2/10

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção

O espaço é aberto ao público e oferece serviços de assistência social, advocacia e psicologia para pessoas que não tem condições financeiras de pagar por estes serviços. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção
3/10

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção

Jeovah Natalense, de 85 anos e morador mais antigo do bairro, foi o principal defensor da preservação da Estação Parangaba. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção
4/10

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção

Desde novembro de 2013 o prédio abriga o Centro de Referência em Direitos Humanos do estado do Ceará. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção
5/10

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção

Desde novembro de 2013 o prédio abriga o Centro de Referência em Direitos Humanos do estado do Ceará. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção
6/10

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção

Desde novembro de 2013 o prédio abriga o Centro de Referência em Direitos Humanos do estado do Ceará. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção
7/10

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção

Desde novembro de 2013 o prédio abriga o Centro de Referência em Direitos Humanos do estado do Ceará. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Ícone do bairro, Bar Avião foi preservado mas já é alvo de pichações
8/10

Ícone do bairro, Bar Avião foi preservado mas já é alvo de pichações

No local funciona um mercadinho popular. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Ícone do bairro, Bar Avião foi preservado mas já é alvo de pichações
9/10

Ícone do bairro, Bar Avião foi preservado mas já é alvo de pichações

No local funciona um mercadinho popular. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Ícone do bairro, Bar Avião foi preservado mas já é alvo de pichações
10/10

Ícone do bairro, Bar Avião foi preservado mas já é alvo de pichações

No local funciona um mercadinho popular. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Publicidade

Dê sua opinião

Rebaixada em obra de metrô, Estação da Parangaba encontra-se cercada para evitar entulho

Estação teve de ser rebaixada 3,5 metros e linha de metrô foi elevada, em 2008, para preservar o patrimônio histórico e evitar a sua demolição

Por Rosana Romão em Cotidiano

25 de Maio de 2015 às 06:30

Há 4 anos
Erguida em 1873 e reconstruída em 1927, estação foi preservada e restaurada. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Erguida em 1873 e reconstruída em 1927, estação foi preservada e restaurada. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Quem vê a Estação da Parangaba assim, cercada, imagina que ela encontra-se fechada. Todavia, o espaço é aberto ao público e oferece serviços de assistência social, advocacia e psicologia para pessoas que não têm condições financeiras de pagar por esses serviços. Desde novembro de 2013, o prédio abriga o Centro de Referência em Direitos Humanos do Estado do Ceará. A partir de seu funcionamento, o espaço contabiliza mais de 2 mil atendimentos.

Em uma foto publicada em redes sociais na semana passada, moradores de Fortaleza questionaram as grades ao redor da estação. A cerca foi adotada para proteção contra poeira e lixo, mas o equipamento é aberto ao público e funciona diariamente das 8h às 17h.

Erguida em 1873 e reconstruída em 1927, a Estação Parangaba foi a segunda estação ferroviária de Fortaleza. A primeira é a Estação João Felipe, no Centro. Em 2008, o equipamento foi tombado. No mesmo ano, o prédio passou por um dilema. Devido a construção do Metrô de Fortaleza, a estação teria que sair do local para dar espaço ao metrô. Na época, o então governador Cid Gomes tinha as seguintes opções: fazer uma réplica da estação e transferi-la para outro bairro, custando R$ 214 mil; transladar o prédio para a Praça Central da Parangaba, ao custo de R$ 5,27 milhões; ou construir um memorial no mesmo local, respeitando a estrutura da estação.

A solução foi acordada entre Cid e a prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins: rebaixar a estação por 3,5 metros e elevar a linha do metrô para preservar o equipamento histórico e evitar sua demolição. A obra durou cinco meses, onde foi priorizado a manutenção das estrutura do prédio, bem como seus traços arquitetônicos.

O valor de investimento foi de R$ 1.063.324,47. A participação dos moradores do bairro no debate sobre o assunto foi importante para que os executivos acatassem essa decisão. Jeovah Natalense, de 85 anos, morador mais antigo do bairro, foi o principal defensor da preservação da Estação Parangaba. Membro da família Pedra, tradicional no bairro, tem o respeito de todos os moradores.

Debate

“A gente tem muita ligação porque o papai veio em um trem de Baturité até a Estação da Parangaba. Quando disseram que o metrô ia passar por lá, nós entramos com um requerimento contra a demolição da estação”, relembra Jeohvah Natalense, morador mais antigo do bairro.

Por ser tão defensor da estação, o morador recebeu o privilégio de anunciar o tombamento. “Na época, estavam derrubando todas as estações, como fizeram com a do Otávio Bonfim. Imediatamente nós entramos com uma ação. Veio um oficial de Justiça e me autorizou a mandar tapar o buraco que eles tinham feito para derrubar a estação”, conta, orgulhoso.

De acordo com o morador Salatiel Benigno, de 64 anos, a preservação melhorou o local, mas ele ainda prefere o prédio antigo. “O ideal era que eles tivessem mudado o trajeto do metrô, fazendo um desvio por esse terreno do Shopping Parangaba, que na época era só um terreno mesmo. Aí depois é que vieram se preocupar com a estação. Está bom, mas eles deviam ter planejado isso antes e não da forma como foi feito, às pressas”.

Atualmente o local abriga o Centro de Referência em Direitos Humanos do Estado do Ceará. Além da assistência social, psicológica e jurídica à população, o centro tem trabalhado com ações como capacitações em escolas e em entidades parceiras, para divulgar o trabalho e promover a educação em direitos humanos e a cultura de paz. O objetivo é ser instrumento de defesa, promoção e acesso à justiça.

A equipe multidisciplinar ministra palestras nas escolas de redes municipais e estaduais e também acolhe alunos dessas escolas em visitas à instituição. Na ocasião, os alunos aprenderam sobre direitos humanos e patrimônio histórico, já que o centro de referência funciona na antiga estação da Parangaba – reconhecida como patrimônio histórico tombado pela Prefeitura de Fortaleza.

Outro ícone do Bairro Parangaba, o Bar Avião também sofreu alterações devido às obras do Metrô. Porém, as intervenções não interferiram no acesso ao prédio. Conhecido por sua arquitetura inusitada, com um avião no topo, o local recebeu restauração, mas já é alvo de pichações. No local, funciona um mercadinho popular.

Serviço
Centro de Referência em Direitos Humanos do Estado do Ceará
Rua Dom Pedro II – Parangaba
Ponto de Referência: Em frente à estação do Metrofor, ao lado do Shopping Parangaba e próximo ao terminal da Parangaba
Horário de Funcionamento: 8h às 17h
Telefone: (85) 3101.2998 / 3101.2960

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção
1/10

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção

O espaço é aberto ao público e oferece serviços de assistência social, advocacia e psicologia para pessoas que não tem condições financeiras de pagar por estes serviços. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção
2/10

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção

O espaço é aberto ao público e oferece serviços de assistência social, advocacia e psicologia para pessoas que não tem condições financeiras de pagar por estes serviços. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção
3/10

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção

Jeovah Natalense, de 85 anos e morador mais antigo do bairro, foi o principal defensor da preservação da Estação Parangaba. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção
4/10

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção

Desde novembro de 2013 o prédio abriga o Centro de Referência em Direitos Humanos do estado do Ceará. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção
5/10

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção

Desde novembro de 2013 o prédio abriga o Centro de Referência em Direitos Humanos do estado do Ceará. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção
6/10

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção

Desde novembro de 2013 o prédio abriga o Centro de Referência em Direitos Humanos do estado do Ceará. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção
7/10

Após obra do metrô, Estação Parangaba encontra-se cercada por proteção

Desde novembro de 2013 o prédio abriga o Centro de Referência em Direitos Humanos do estado do Ceará. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Ícone do bairro, Bar Avião foi preservado mas já é alvo de pichações
8/10

Ícone do bairro, Bar Avião foi preservado mas já é alvo de pichações

No local funciona um mercadinho popular. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Ícone do bairro, Bar Avião foi preservado mas já é alvo de pichações
9/10

Ícone do bairro, Bar Avião foi preservado mas já é alvo de pichações

No local funciona um mercadinho popular. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Ícone do bairro, Bar Avião foi preservado mas já é alvo de pichações
10/10

Ícone do bairro, Bar Avião foi preservado mas já é alvo de pichações

No local funciona um mercadinho popular. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)