Prefeitura responsabiliza acúmulo de lixo por alagamento recorde na Aguanambi após chuva
LIXO ACUMULADO

Prefeitura responsabiliza acúmulo de lixo por alagamento recorde na Aguanambi após chuva

Fortaleza registrou chuva de 55 mm, o que ocasionou alagamento na avenida. O motivo do acúmulo de água, segundo a Seinf, seria o lixo no local, incluindo até sofá jogado pela própria população

Por Deborah Tavares em Cotidiano

9 de janeiro de 2017 às 15:58

Há 2 meses
Foi encontrado até um sofá na via (FOTO: Divulgação/Seinf)

Foi encontrado até um sofá na via (FOTO: Divulgação/Seinf)

Na manhã do último domingo (8), Fortaleza teve registro de alagamento em vários pontos nos bairros Jardim Iracema, Lagamar, Carlito Pamplona, Benfica e também na Avenida Aguanambi, que estava em obra.

Segundo a Secretaria de Infraestrutura do Município (Seinf), o transtorno na Aguanambi foi causado pelo grande acúmulo de lixo. “Como tinha muito lixo, a água não tinha vazão”, disse a secretária Manuela Nogueira.

Ela destacou que a limpeza já foi feita e não houve prejuízo para a obra. “Infelizmente, o prejuízo é para a própria população. Isso porque, na região tem dois Ecopontos que recebem muitos dos materiais que estavam jogados lá, como sofás”, lamentou Manuela.

Desde o início da manhã desta segunda-feira (9), a Avenida Aguanambi, no trecho compreendido entre o viaduto da Avenida 13 de Maio e a Rua Bonfim Sobrinho, está bloqueada para viabilizar a continuidade das obras de drenagem, que auxiliará o canal aumentando sua capacidade. A obra, segundo a secretária, é um desvio que possibilitará um avanço na obra de drenagem.

Obras

O bloqueio de um lado da via se dá por conta da construção de uma galeria paralela ao canal existente. A nova galeria vai duplicar a capacidade de captação de águas pluviais e evitar os problemas de alagamentos e transbordamento do canal, que são recorrentes durante o período chuvoso.

O projeto prevê ainda a recuperação do canal, que passará por reforma na estrutura interna e terá cerca de 36% da superfície coberta com lajes em concreto, dando lugar a áreas verdes com projeto paisagístico e sete estações de ônibus.

As intervenções na via são necessárias para a implantação do corredor expresso de ônibus Messejana/Centro, que passará a operar junto ao canteiro central da avenida e tem previsão de conclusão para dezembro deste ano. Após a intervenção, a avenida contará com quatro faixas para fluxo de veículos, sendo uma delas exclusiva para o transporte público.

Forte chuva

Fortaleza registrou, neste domingo (8), chuva de 55 milímetros, sendo a maior precipitação na capital desde o dia 12 de maio de 2016. Choveu também em outras 18 cidades do Ceará e na Região Metropolitana.

Os municípios que tiveram as maiores precipitações foram: Fortaleza (55 mm), Lavras Da Mangabeira (46mm), Caucaia (38mm), Pentecoste (35mm), Redenção (34,6mm) e Orós (23mm). As chuvas atingiram, de forma isolada, seis macrorregiões cearenses.

Grande acúmulo de lixo seria o motivo para o alagamento na via
1/6

Grande acúmulo de lixo seria o motivo para o alagamento na via

(FOTO: Divulgação/SEINF)

Limpeza do canal
2/6

Limpeza do canal

(FOTO: Divulgação/SEINF)

Limpeza do canal
3/6

Limpeza do canal

(FOTO: Divulgação/SEINF)

Limpeza do canal
4/6

Limpeza do canal

(FOTO: Divulgação/SEINF)

Avenida Aguanambi segue bloqueada para obras
5/6

Avenida Aguanambi segue bloqueada para obras

(FOTO: Divulgação/SEINF)

Avenida Aguanambi segue bloqueada para obras
6/6

Avenida Aguanambi segue bloqueada para obras

(FOTO: Divulgação/SEINF)

Publicidade

Dê sua opinião

LIXO ACUMULADO

Prefeitura responsabiliza acúmulo de lixo por alagamento recorde na Aguanambi após chuva

Fortaleza registrou chuva de 55 mm, o que ocasionou alagamento na avenida. O motivo do acúmulo de água, segundo a Seinf, seria o lixo no local, incluindo até sofá jogado pela própria população

Por Deborah Tavares em Cotidiano

9 de janeiro de 2017 às 15:58

Há 2 meses
Foi encontrado até um sofá na via (FOTO: Divulgação/Seinf)

Foi encontrado até um sofá na via (FOTO: Divulgação/Seinf)

Na manhã do último domingo (8), Fortaleza teve registro de alagamento em vários pontos nos bairros Jardim Iracema, Lagamar, Carlito Pamplona, Benfica e também na Avenida Aguanambi, que estava em obra.

Segundo a Secretaria de Infraestrutura do Município (Seinf), o transtorno na Aguanambi foi causado pelo grande acúmulo de lixo. “Como tinha muito lixo, a água não tinha vazão”, disse a secretária Manuela Nogueira.

Ela destacou que a limpeza já foi feita e não houve prejuízo para a obra. “Infelizmente, o prejuízo é para a própria população. Isso porque, na região tem dois Ecopontos que recebem muitos dos materiais que estavam jogados lá, como sofás”, lamentou Manuela.

Desde o início da manhã desta segunda-feira (9), a Avenida Aguanambi, no trecho compreendido entre o viaduto da Avenida 13 de Maio e a Rua Bonfim Sobrinho, está bloqueada para viabilizar a continuidade das obras de drenagem, que auxiliará o canal aumentando sua capacidade. A obra, segundo a secretária, é um desvio que possibilitará um avanço na obra de drenagem.

Obras

O bloqueio de um lado da via se dá por conta da construção de uma galeria paralela ao canal existente. A nova galeria vai duplicar a capacidade de captação de águas pluviais e evitar os problemas de alagamentos e transbordamento do canal, que são recorrentes durante o período chuvoso.

O projeto prevê ainda a recuperação do canal, que passará por reforma na estrutura interna e terá cerca de 36% da superfície coberta com lajes em concreto, dando lugar a áreas verdes com projeto paisagístico e sete estações de ônibus.

As intervenções na via são necessárias para a implantação do corredor expresso de ônibus Messejana/Centro, que passará a operar junto ao canteiro central da avenida e tem previsão de conclusão para dezembro deste ano. Após a intervenção, a avenida contará com quatro faixas para fluxo de veículos, sendo uma delas exclusiva para o transporte público.

Forte chuva

Fortaleza registrou, neste domingo (8), chuva de 55 milímetros, sendo a maior precipitação na capital desde o dia 12 de maio de 2016. Choveu também em outras 18 cidades do Ceará e na Região Metropolitana.

Os municípios que tiveram as maiores precipitações foram: Fortaleza (55 mm), Lavras Da Mangabeira (46mm), Caucaia (38mm), Pentecoste (35mm), Redenção (34,6mm) e Orós (23mm). As chuvas atingiram, de forma isolada, seis macrorregiões cearenses.

Grande acúmulo de lixo seria o motivo para o alagamento na via
1/6

Grande acúmulo de lixo seria o motivo para o alagamento na via

(FOTO: Divulgação/SEINF)

Limpeza do canal
2/6

Limpeza do canal

(FOTO: Divulgação/SEINF)

Limpeza do canal
3/6

Limpeza do canal

(FOTO: Divulgação/SEINF)

Limpeza do canal
4/6

Limpeza do canal

(FOTO: Divulgação/SEINF)

Avenida Aguanambi segue bloqueada para obras
5/6

Avenida Aguanambi segue bloqueada para obras

(FOTO: Divulgação/SEINF)

Avenida Aguanambi segue bloqueada para obras
6/6

Avenida Aguanambi segue bloqueada para obras

(FOTO: Divulgação/SEINF)