Polícia intensificou investigações da morte de Dandara só após divulgação de vídeo feito por criminosos
CASO DANDARA

Polícia intensificou investigações da morte de Dandara só após divulgação de vídeo feito por criminosos

Dandara foi morta em fevereiro, mas a Polícia intensificou as investigações após a repercussão depois de as imagens serem compartilhadas na internet

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

6 de março de 2017 às 16:57

Há 3 meses

Dandara foi morta no dia 15 de fevereiro por pelo menos cinco homens (FOTO: Reprodução)

O caso de Dandara dos Santos, de 42 anos, que foi assassinada brutalmente no bairro Bom Jardim, está sendo investigado pelo 32º Distrito Policial desde fevereiro, quando ocorreu o crime. Porém, as investigações foram intensificadas a partir do último domingo (5), quando Paulo Diógenes, coordenador da Diversidade Sexual da Secretaria de Cidadania e Direitos Humanos de Fortaleza, compartilhou um vídeo feito pelos criminosos.

Segundo o coordenador, relatos da comunidade afirmam que Dandara teria ficado cerca de 20 minutos à espera de socorro, mas nada foi feito. “Uma fatalidade que autoridades precisam dar os devidos esclarecimentos!”, reforçou Diógenes, famoso pela personagem de humor Raimundinha, uma travesti.

De acordo com Bruno Ronque, o delegado do 32º Distrito Policial, que na linha de investigação eles tratam o homicídio como crime com requintes de homofobia, e que eles já estavam trabalhando nas investigações desde quando o homicídio ocorreu, e não apenas após a divulgação e repercussão do vídeo.

O delegado ainda não disse quantas pessoas estão envolvidas no crime, mas que que o importante é que na investigação as pessoas envolvidas já foram identificadas e que em breve serão chamadas para esclarecer o ocorrido.

Já Elpidio Nogueira, secretario de Desenvolvimento Social, Direitos Humanos e Combate à Fome de Fortaleza, afirma que souberam do crime, mas só tiveram ciência da gravidade após a divulgação do vídeo. Ainda disse que o prefeito Roberto Cláudio pediu para que ele acompanhasse pessoalmente as investigações para assegurar que os envolvidos sejam punidos devidamente, até para que esse tipo de crime contra minorias sexuais não volte a acontecer.

Camilo Santana, o governador do Ceará, se colocou à disposição e convocou uma reunião nesta terça-feira (7) para ver as ações emergenciais para resolver o caso com maior rapidez.

O caso

Dandara foi morta no dia 15 de fevereiro por pelo menos cinco homens, mas o crime brutal só ganhou repercussão na sexta-feira (3), depois de as imagens da violência serem compartilhadas na internet. A principal suspeita é de que o crime foi motivado por homofobia.

No novo trecho divulgado do crime de ódio, Dandara está sentada ao chão, sem forças para levantar, e balbucia algumas palavras, dentre elas a sua idade e diz que quase morre. Dandara pede para que não batam mais nela e é novamente agredida com pedrada no ombro.

Ouve-se frases como: “você vai morrer, safado”, “sai logo fora”, ” negrada vai te matar se tu não sair fora” e “sai fora logo senão vão te matar aí mesmo”. Ninguém presta socorro. Depois de ser agredida com chutes, pedradas e pauladas, a travesti é colocada pelos agressores em um carro de mão e levada para outro local que não aparece nas imagens.

Acompanhe o caso:

4 de março – Não iremos tolerar esse tipo de violência, diz governador do Ceará sobre morte de travesti

5 de março – Vídeo mostra travesti Dandara à espera de socorro antes de ser morta

6 de março – Polícia está perto de identificar homens que mataram travesti brutalmente e filmaram crime

Publicidade

Dê sua opinião

CASO DANDARA

Polícia intensificou investigações da morte de Dandara só após divulgação de vídeo feito por criminosos

Dandara foi morta em fevereiro, mas a Polícia intensificou as investigações após a repercussão depois de as imagens serem compartilhadas na internet

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

6 de março de 2017 às 16:57

Há 3 meses

Dandara foi morta no dia 15 de fevereiro por pelo menos cinco homens (FOTO: Reprodução)

O caso de Dandara dos Santos, de 42 anos, que foi assassinada brutalmente no bairro Bom Jardim, está sendo investigado pelo 32º Distrito Policial desde fevereiro, quando ocorreu o crime. Porém, as investigações foram intensificadas a partir do último domingo (5), quando Paulo Diógenes, coordenador da Diversidade Sexual da Secretaria de Cidadania e Direitos Humanos de Fortaleza, compartilhou um vídeo feito pelos criminosos.

Segundo o coordenador, relatos da comunidade afirmam que Dandara teria ficado cerca de 20 minutos à espera de socorro, mas nada foi feito. “Uma fatalidade que autoridades precisam dar os devidos esclarecimentos!”, reforçou Diógenes, famoso pela personagem de humor Raimundinha, uma travesti.

De acordo com Bruno Ronque, o delegado do 32º Distrito Policial, que na linha de investigação eles tratam o homicídio como crime com requintes de homofobia, e que eles já estavam trabalhando nas investigações desde quando o homicídio ocorreu, e não apenas após a divulgação e repercussão do vídeo.

O delegado ainda não disse quantas pessoas estão envolvidas no crime, mas que que o importante é que na investigação as pessoas envolvidas já foram identificadas e que em breve serão chamadas para esclarecer o ocorrido.

Já Elpidio Nogueira, secretario de Desenvolvimento Social, Direitos Humanos e Combate à Fome de Fortaleza, afirma que souberam do crime, mas só tiveram ciência da gravidade após a divulgação do vídeo. Ainda disse que o prefeito Roberto Cláudio pediu para que ele acompanhasse pessoalmente as investigações para assegurar que os envolvidos sejam punidos devidamente, até para que esse tipo de crime contra minorias sexuais não volte a acontecer.

Camilo Santana, o governador do Ceará, se colocou à disposição e convocou uma reunião nesta terça-feira (7) para ver as ações emergenciais para resolver o caso com maior rapidez.

O caso

Dandara foi morta no dia 15 de fevereiro por pelo menos cinco homens, mas o crime brutal só ganhou repercussão na sexta-feira (3), depois de as imagens da violência serem compartilhadas na internet. A principal suspeita é de que o crime foi motivado por homofobia.

No novo trecho divulgado do crime de ódio, Dandara está sentada ao chão, sem forças para levantar, e balbucia algumas palavras, dentre elas a sua idade e diz que quase morre. Dandara pede para que não batam mais nela e é novamente agredida com pedrada no ombro.

Ouve-se frases como: “você vai morrer, safado”, “sai logo fora”, ” negrada vai te matar se tu não sair fora” e “sai fora logo senão vão te matar aí mesmo”. Ninguém presta socorro. Depois de ser agredida com chutes, pedradas e pauladas, a travesti é colocada pelos agressores em um carro de mão e levada para outro local que não aparece nas imagens.

Acompanhe o caso:

4 de março – Não iremos tolerar esse tipo de violência, diz governador do Ceará sobre morte de travesti

5 de março – Vídeo mostra travesti Dandara à espera de socorro antes de ser morta

6 de março – Polícia está perto de identificar homens que mataram travesti brutalmente e filmaram crime