Pipeiros de 50 cidades do Ceará ameaçam suspender abastecimento por falta de pagamento

CRISE HÍDRICA

Pipeiros de 50 cidades do Ceará ameaçam suspender abastecimento por falta de pagamento

Foram registradas manifestações com pneus queimados e bloqueios de avenidas em pelo menos 7 cidades cearenses

Por Jangadeiro FM em Cotidiano

17 de Janeiro de 2017 às 19:33

Há 10 meses

Motoristas queimaram pneus em protesto (FOTO: Eduardo Aragão)

Pipeiros de pelo menos 50 cidades cearenses estão sem receber os repasses do Exército Brasileiro. Com a falta de pagamento, eles ameaçam suspender o abastecimento das comunidades rurais.

Nesta terça-feira (17), foram registradas manifestações em pelo menos sete cidades cearenses, como mostra a reportagem da Jangadeiro FM.

Foram registradas manifestações nas cidades de Boa Viagem e Banabuiú, no Sertão Central; Acopiara, na Região Centro-Sul; e Morada Nova, no Vale Jaguaribano. Os pipeiros afirmam que estão há pelo menos quatro meses sem receber o repasse do exército, o que dificulta o trabalho de atendimento às comunidades rurais.

Ildete Silva, pipeira da cidade de Banabuiú, diz que a situação está insustentável e que o abastecimento pode ser suspenso a qualquer momento. “Tem pipeiro que já está aqui há cinco meses, no meu caso eu tô com quatro meses. O problema é que os homens não estão dando resposta concreta de quando vai sair esse pagamento. A situação chega no limite, nós não temos mais onde abastecer. Nós temos família para dar de comer. A nossa reivindicação é para que eles deem uma resposta para nós”, explica Ildete.

Em Banabuiú, Ildete e outros 32 pipeiros bloquearam a rodovia CE-153. Também foi registrado o bloqueio de um trecho da CE-358, em Morada Nova. Os pipeiros afirmam que só liberam as vias após resposta concreta do Exército brasileiro sobre o pagamento dos profissionais. “Nós vamos continuar aguardando até chegar uma resposta”, afirma Ildete.

Em Acopiara, por exemplo, são 37 carros-pipa que abastecem cerca de 370 comunidades rurais. O pipeiro Ademar Teixeira argumenta que a situação chegou ao limite e que os profissionais não têm condições de continuar operando sem receber o pagamento.

Para atender as comunidades rurais, os caminhões-pipa percorrem longas distâncias. Grande parte da água transportada é levada do açude público Trussu, no distrito de Suassurana, em Iguatu. “As outras cidades já estão se manifestando, e aqui em Acopiara não é diferente. Nós estamos vivendo cinco meses sem pagamento. Nós não temos mais condições de rodar”, diz Ademar Teixeira.

Em nota, o Exército Brasileiro, responsável pela gestão da operação carro-pipa da zona rural, informa que está tomando medidas administrativas para retomar o pagamento dos pipeiros até a próxima semana. Já a Defesa Civil do estado, responsável pela operação carro-pipa nas zonas urbanas, informa que os repasses de sua responsabilidade estão em dia.

Os 350 caminhões pipas que paralisaram as atividades nesta terça-feira são responsáveis por abastecer municípios do Sertão Central, Vale do Jaguaribe e Centro-Sul.

Confira mais detalhes na reportagem de Iury Costa, da Rede Jangadeiro FM:

Publicidade

Dê sua opinião

CRISE HÍDRICA

Pipeiros de 50 cidades do Ceará ameaçam suspender abastecimento por falta de pagamento

Foram registradas manifestações com pneus queimados e bloqueios de avenidas em pelo menos 7 cidades cearenses

Por Jangadeiro FM em Cotidiano

17 de Janeiro de 2017 às 19:33

Há 10 meses

Motoristas queimaram pneus em protesto (FOTO: Eduardo Aragão)

Pipeiros de pelo menos 50 cidades cearenses estão sem receber os repasses do Exército Brasileiro. Com a falta de pagamento, eles ameaçam suspender o abastecimento das comunidades rurais.

Nesta terça-feira (17), foram registradas manifestações em pelo menos sete cidades cearenses, como mostra a reportagem da Jangadeiro FM.

Foram registradas manifestações nas cidades de Boa Viagem e Banabuiú, no Sertão Central; Acopiara, na Região Centro-Sul; e Morada Nova, no Vale Jaguaribano. Os pipeiros afirmam que estão há pelo menos quatro meses sem receber o repasse do exército, o que dificulta o trabalho de atendimento às comunidades rurais.

Ildete Silva, pipeira da cidade de Banabuiú, diz que a situação está insustentável e que o abastecimento pode ser suspenso a qualquer momento. “Tem pipeiro que já está aqui há cinco meses, no meu caso eu tô com quatro meses. O problema é que os homens não estão dando resposta concreta de quando vai sair esse pagamento. A situação chega no limite, nós não temos mais onde abastecer. Nós temos família para dar de comer. A nossa reivindicação é para que eles deem uma resposta para nós”, explica Ildete.

Em Banabuiú, Ildete e outros 32 pipeiros bloquearam a rodovia CE-153. Também foi registrado o bloqueio de um trecho da CE-358, em Morada Nova. Os pipeiros afirmam que só liberam as vias após resposta concreta do Exército brasileiro sobre o pagamento dos profissionais. “Nós vamos continuar aguardando até chegar uma resposta”, afirma Ildete.

Em Acopiara, por exemplo, são 37 carros-pipa que abastecem cerca de 370 comunidades rurais. O pipeiro Ademar Teixeira argumenta que a situação chegou ao limite e que os profissionais não têm condições de continuar operando sem receber o pagamento.

Para atender as comunidades rurais, os caminhões-pipa percorrem longas distâncias. Grande parte da água transportada é levada do açude público Trussu, no distrito de Suassurana, em Iguatu. “As outras cidades já estão se manifestando, e aqui em Acopiara não é diferente. Nós estamos vivendo cinco meses sem pagamento. Nós não temos mais condições de rodar”, diz Ademar Teixeira.

Em nota, o Exército Brasileiro, responsável pela gestão da operação carro-pipa da zona rural, informa que está tomando medidas administrativas para retomar o pagamento dos pipeiros até a próxima semana. Já a Defesa Civil do estado, responsável pela operação carro-pipa nas zonas urbanas, informa que os repasses de sua responsabilidade estão em dia.

Os 350 caminhões pipas que paralisaram as atividades nesta terça-feira são responsáveis por abastecer municípios do Sertão Central, Vale do Jaguaribe e Centro-Sul.

Confira mais detalhes na reportagem de Iury Costa, da Rede Jangadeiro FM: