Parte do corpo de mulher atropelada na BR-116 é encontrada na Grande Messejana
BUSCA ENCERRADA

Parte do corpo de mulher atropelada na BR-116 é encontrada na Grande Messejana

Francisca Sulamita dos Reis Marques foi atropelada e teve parte do corpo arrancada

Por Ana Clara Jovino em Cotidiano

13 de março de 2017 às 16:56

Há 5 meses
Francisca foi atropelada na BR-116 (FOTO: Arquivo pessoal)

Francisca foi atropelada na BR-116 (FOTO: Arquivo pessoal)

Foi encontrado a parte do corpo de Francisca Sulamita dos Reis Marques, no bairro Pedras, na tarde desta segunda-feira (13). A mulher de 52 anos foi atropelada no km 10 da BR-116, na noite da última sexta-feira (10). No acidente, ela teve seu corpo partido e a parte superior ficou desaparecida.

Desde então, a polícia e os familiares da vítima realiza buscas para encontrar a parte do corpo de Francisca. Policiais civis, rodoviários federais e familiares da vítima receberam a denúncia anônima de que o restante do corpo de Francisca Sulamita, o tronco dela, estaria escondido em um matagal às margens da rodovia. Buscas foram feitas na região.

Porém, quem deu a dica de onde o corpo estaria foi a advogada do suposto motorista do carro que atropelou Francisca. Então, policiais civis do  3oº Distrito Policial e da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) encontraram o tronco da vítima enrolado em um lençol, em um matagal.

O carro do autor do acidente, de modelo Corsa Hatch, na cor vermelha, foi encontrado desmontado e levado para Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) para passar por perícia. Uma parte do veículo estava localizado em uma oficina mecânica na Paupina. Já a carcaça do veículo e outras peças estavam em outra oficina, localizada no bairro Montese. Todo o material foi levado para o pátio do prédio da divisão de homicídios que instaurou um inquérito policial.

O motorista responsável pelo atropelamento informou aos policiais que ele iria se apresentar com um advogado. Um vídeo recebido pela equipe de produção do Barra Pesada mostra o exato momento do atropelamento da mulher. É possível ver que a vítima é levada para o outro lado da pista.

O caso deixou toda a família da vítima abalada. Em entrevista ao repórter Gilson Sales, do programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, a filha Regilane Reis, bastante emocionada, contou sobre o que aconteceu com a mãe.

“Ela estava atravessando quando o carro colidiu nela. Ela costumava pegar uma topic para ir a Horizonte. Uma tia falou com ela minutos antes, perdeu o contato com ela e começamos a desconfiar”, conta a filha.

Suspeitando que algo poderia ter acontecido, a família entrou em contato com a Polícia Rodoviária Federal, que confirmou um atropelamento com vítima fatal na via. “Infelizmente ligamos os pontos e fomos ao IML, onde lá tivemos que fazer o reconhecimento do corpo apenas da cintura para baixo. Eu reconheci pelos pés”, emociona-se.

Nas redes sociais, a filha da vítima fazia uma campanha em que pedia para que testemunhas pudessem ajudar a identificar a pessoa responsável pelo atropelamento.

“Gente essa é minha mãe ela foi atropelada brutalmente nessa sexta-feira por volta da 18h na altura do km 10 da BR 116. Venho pedir pra vocês que divulguem, pois esse monstro, além de atropelar ela, levou parte do corpo dela com ele, e nós familiares estamos sofrendo muito à procura da outra parte do corpo dela, peço, por favor, que divulguem”, pedia a filha.

Publicidade

Dê sua opinião

BUSCA ENCERRADA

Parte do corpo de mulher atropelada na BR-116 é encontrada na Grande Messejana

Francisca Sulamita dos Reis Marques foi atropelada e teve parte do corpo arrancada

Por Ana Clara Jovino em Cotidiano

13 de março de 2017 às 16:56

Há 5 meses
Francisca foi atropelada na BR-116 (FOTO: Arquivo pessoal)

Francisca foi atropelada na BR-116 (FOTO: Arquivo pessoal)

Foi encontrado a parte do corpo de Francisca Sulamita dos Reis Marques, no bairro Pedras, na tarde desta segunda-feira (13). A mulher de 52 anos foi atropelada no km 10 da BR-116, na noite da última sexta-feira (10). No acidente, ela teve seu corpo partido e a parte superior ficou desaparecida.

Desde então, a polícia e os familiares da vítima realiza buscas para encontrar a parte do corpo de Francisca. Policiais civis, rodoviários federais e familiares da vítima receberam a denúncia anônima de que o restante do corpo de Francisca Sulamita, o tronco dela, estaria escondido em um matagal às margens da rodovia. Buscas foram feitas na região.

Porém, quem deu a dica de onde o corpo estaria foi a advogada do suposto motorista do carro que atropelou Francisca. Então, policiais civis do  3oº Distrito Policial e da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) encontraram o tronco da vítima enrolado em um lençol, em um matagal.

O carro do autor do acidente, de modelo Corsa Hatch, na cor vermelha, foi encontrado desmontado e levado para Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) para passar por perícia. Uma parte do veículo estava localizado em uma oficina mecânica na Paupina. Já a carcaça do veículo e outras peças estavam em outra oficina, localizada no bairro Montese. Todo o material foi levado para o pátio do prédio da divisão de homicídios que instaurou um inquérito policial.

O motorista responsável pelo atropelamento informou aos policiais que ele iria se apresentar com um advogado. Um vídeo recebido pela equipe de produção do Barra Pesada mostra o exato momento do atropelamento da mulher. É possível ver que a vítima é levada para o outro lado da pista.

O caso deixou toda a família da vítima abalada. Em entrevista ao repórter Gilson Sales, do programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, a filha Regilane Reis, bastante emocionada, contou sobre o que aconteceu com a mãe.

“Ela estava atravessando quando o carro colidiu nela. Ela costumava pegar uma topic para ir a Horizonte. Uma tia falou com ela minutos antes, perdeu o contato com ela e começamos a desconfiar”, conta a filha.

Suspeitando que algo poderia ter acontecido, a família entrou em contato com a Polícia Rodoviária Federal, que confirmou um atropelamento com vítima fatal na via. “Infelizmente ligamos os pontos e fomos ao IML, onde lá tivemos que fazer o reconhecimento do corpo apenas da cintura para baixo. Eu reconheci pelos pés”, emociona-se.

Nas redes sociais, a filha da vítima fazia uma campanha em que pedia para que testemunhas pudessem ajudar a identificar a pessoa responsável pelo atropelamento.

“Gente essa é minha mãe ela foi atropelada brutalmente nessa sexta-feira por volta da 18h na altura do km 10 da BR 116. Venho pedir pra vocês que divulguem, pois esse monstro, além de atropelar ela, levou parte do corpo dela com ele, e nós familiares estamos sofrendo muito à procura da outra parte do corpo dela, peço, por favor, que divulguem”, pedia a filha.