Morre o husky siberiano de Fortaleza era celebridade nas redes sociais

TRISTEZA DOS AUMIGOS

Morre o husky siberiano de Fortaleza que virou celebridade nas redes sociais

Sucesso no Instagram, com mais de 36 mil seguidores, o husky siberiano Loki morreu após problemas gástricos

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

3 de Janeiro de 2018 às 10:23

Há 4 meses

Loki faria quatro anos em julho e também era “dogmodel” (Foto: Charlie Câmara)

Por Crisneive Silveira

Sucesso no Instagram, com mais de 36 mil seguidores, o husky siberiano Loki, de Fortaleza, morreu de problemas gástricos na madrugada desta terça-feira (2). Em seu perfil na rede social, o dono do cachorro, Charlie Câmara, de 30 anos, informou o ocorrido.

Fã de fotografia e apaixonado por animais, em 2014 ele resolveu criar o perfil para mostrar os momentos do animal e caiu no gosto dos internautas. Loki completaria quatro anos em julho. Após o velório, o cachorro foi cremado.

Segundo o dono do animal, o diagnóstico da doença foi para torção gástrica. Charlie conta que acordou às 5h da manhã para trabalhar, foi brincar com o cachorro e ele não se mexeu. 

O técnico de segurança se desesperou no momento ao perceber o corpo do animal rígido, mas ainda quente. “Tentei fazer massagem cardíaca, respiração boca a boca, mas ele já tinha ido. Ainda levei para a clínica, numa última tentativa, mas era irreversível. Meu filho já não era mais meu!” 

Muito abalado com a perda, o dono ressalta que Loki era bem assistido pela veterinária e ainda tenta entender o que houve. “Ainda estou buscando respostas de como tudo isso aconteceu. Eu era muito cuidadoso em relação a alimentar, para não dar água em seguida, porque a gente sabia do perigo da torção (gástrica) em cães grandes”, explica Charlie. 

Em 2016, o Tribuna do Ceará mostrou o sucesso de Loki nas redes sociais. De lá para cá, muita coisa mudou.

Morte de Loki causou comoção nas redes. (Foto: Reprodução/Instagram)

“A visibilidade dele começou a mudar bastante. As pessoas começaram a seguir o perfil, a querer saber mais sobre a raça, sobre a rotina dele. Seguimos nossa rotina de sempre. Sempre fui louco por fotografia de praia e pôr do sol e acho que isso ficou meio que uma marca registrada dele. Não tinha como não imaginar uma praia ou um pôr do sol sem vê-lo nas fotos. Loki tinha um sorriso lindo e único para cada foto que fazia dele”, lembra Charlie.

A vida de Loki e do dono era agitada. A rotina do cão era prioridade. Antes do trabalho, quando possível, Charlie passeava com o cachorro. Às vezes, isso ocorria durante a noite, após a volta da faculdade.

“Ele já me esperava para passear outra vez. Mas nos fins de semana os passeios eram sagrados. Dar lazer para ele era prioridade, e também íamos a eventos pet para ele poder socializar com outros ‘AUmigos’”, explica.

Mas a simpatia de Loki ia além do sucesso no Instagram. O cachorro também era “dogmodel” e garoto propaganda de um petshop. Já o dono, Charlie, participava de um grupo de criadores da raça no Ceará. Na página do Facebook do animal, diversos amigos e “aumigos” também lamentaram a morte do husky.

Publicidade

Dê sua opinião

TRISTEZA DOS AUMIGOS

Morre o husky siberiano de Fortaleza que virou celebridade nas redes sociais

Sucesso no Instagram, com mais de 36 mil seguidores, o husky siberiano Loki morreu após problemas gástricos

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

3 de Janeiro de 2018 às 10:23

Há 4 meses

Loki faria quatro anos em julho e também era “dogmodel” (Foto: Charlie Câmara)

Por Crisneive Silveira

Sucesso no Instagram, com mais de 36 mil seguidores, o husky siberiano Loki, de Fortaleza, morreu de problemas gástricos na madrugada desta terça-feira (2). Em seu perfil na rede social, o dono do cachorro, Charlie Câmara, de 30 anos, informou o ocorrido.

Fã de fotografia e apaixonado por animais, em 2014 ele resolveu criar o perfil para mostrar os momentos do animal e caiu no gosto dos internautas. Loki completaria quatro anos em julho. Após o velório, o cachorro foi cremado.

Segundo o dono do animal, o diagnóstico da doença foi para torção gástrica. Charlie conta que acordou às 5h da manhã para trabalhar, foi brincar com o cachorro e ele não se mexeu. 

O técnico de segurança se desesperou no momento ao perceber o corpo do animal rígido, mas ainda quente. “Tentei fazer massagem cardíaca, respiração boca a boca, mas ele já tinha ido. Ainda levei para a clínica, numa última tentativa, mas era irreversível. Meu filho já não era mais meu!” 

Muito abalado com a perda, o dono ressalta que Loki era bem assistido pela veterinária e ainda tenta entender o que houve. “Ainda estou buscando respostas de como tudo isso aconteceu. Eu era muito cuidadoso em relação a alimentar, para não dar água em seguida, porque a gente sabia do perigo da torção (gástrica) em cães grandes”, explica Charlie. 

Em 2016, o Tribuna do Ceará mostrou o sucesso de Loki nas redes sociais. De lá para cá, muita coisa mudou.

Morte de Loki causou comoção nas redes. (Foto: Reprodução/Instagram)

“A visibilidade dele começou a mudar bastante. As pessoas começaram a seguir o perfil, a querer saber mais sobre a raça, sobre a rotina dele. Seguimos nossa rotina de sempre. Sempre fui louco por fotografia de praia e pôr do sol e acho que isso ficou meio que uma marca registrada dele. Não tinha como não imaginar uma praia ou um pôr do sol sem vê-lo nas fotos. Loki tinha um sorriso lindo e único para cada foto que fazia dele”, lembra Charlie.

A vida de Loki e do dono era agitada. A rotina do cão era prioridade. Antes do trabalho, quando possível, Charlie passeava com o cachorro. Às vezes, isso ocorria durante a noite, após a volta da faculdade.

“Ele já me esperava para passear outra vez. Mas nos fins de semana os passeios eram sagrados. Dar lazer para ele era prioridade, e também íamos a eventos pet para ele poder socializar com outros ‘AUmigos’”, explica.

Mas a simpatia de Loki ia além do sucesso no Instagram. O cachorro também era “dogmodel” e garoto propaganda de um petshop. Já o dono, Charlie, participava de um grupo de criadores da raça no Ceará. Na página do Facebook do animal, diversos amigos e “aumigos” também lamentaram a morte do husky.