Mais quatro suspeitos da morte de universitária são presos em Fortaleza

INVESTIGAÇÃO

Em menos de 48 horas, mais quatro suspeitos da morte de universitária são presos em Fortaleza

Cecília Moura levou um tiro na cabeça em suposto latrocínio, quando seu carro foi abordado por bandidos em rua de Fortaleza

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

14 de Abril de 2018 às 13:10

Há 3 meses
Primeiro suspeito da morte da universitária preso na quinta-feira. (Foto: TV Jangadeiro)

Primeiro suspeito da morte da universitária preso na quinta-feira. (Foto: TV Jangadeiro)

Em menos de 48 horas, sobe para seis o número de presos envolvidos direta e indiretamente na morte da universitária Cecília Rachel Gonçalves Moura, de 23 anos, morta em suposto crime de latrocínio na quinta-feira (12). No domingo (15), há dois protestos programados na Capital pela morte da jovem.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) quatro pessoas foram presas na madrugada deste sábado (14), em Fortaleza.

Na quinta-feira, poucas horas depois do crime, Antônio Honorato Pinheiro Macedo Filho, de 18 anos, com antecedentes criminais; e Leonardo Lima do Nascimento, de 21 anos, com passagem pela Polícia por tráfico de drogas; foram presos. O carro utilizado no crime também foi apreendido pelas equipes policiais.

Cecília trafegava em seu veículo pela Rua Vereador Pedro Paulo, no bairro Parque Manibura, quando foi abordada pelos suspeitos, que atiraram contra o automóvel. A vítima levou um tiro na cabeça e perdeu o controle da direção, colidindo o carro contra o muro. Os bandidos deixaram o local em seguida.

A jovem chegou a ser socorrida e levada para uma unidade de saúde, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital.

Cecília levou um tiro na cabeça e colidiu carro em muro. (Foto: Reprodução/Whatsapp)

Cecília levou um tiro na cabeça e colidiu carro em muro. (Foto: Reprodução/Whatsapp)

Investigação
O caso é investigado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Uma das linhas de investigação aponta para retaliação ao irmão da jovem, que seria policial.

Detalhes das demais prisões e do andamento das investigações serão divulgados na próxima segunda-feira (16), em coletiva de imprensa. O 13º Distrito Policial também participa da investigação. Equipes da Unidade Tático Operacional (UTO) e da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD) deram apoio às ações policiais.

A Polícia trabalha duas linhas de investigação: a tentativa de latrocínio e tentativa de execução. Segundo apuração inicial, Cecília seria irmã de um policial que estaria envolvido em um confronto com bandidos, no qual um deles morreu. No caso, a morte da jovem seria retaliação.

Homenagem

Amigos, professores e o namorado da jovem fizeram uma homenagem à Cecília na manhã desta sexta-feira (13), na Unifor. Depois, o grupo deixou a instituição e bloqueou o trânsito nos dois sentidos da Avenida Washington Soares por dez minutos, em protesto contra a violência policial.

namorado Cecilia

Ato reuniu estudantes da Unifor (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

O namorado da universitária morta em suposta tentativa de assalto, Isaac Anderson, fez discurso emocionado durante a manifestação. Ele também aproveitou o momento para declarar o amor que sentia por Cecília.

“Digam que amam, a última vez que eu disse isso pra minha namorada ela estava em uma maca de hospital, não me olhava. Não deixem a oportunidade passar. Amem muito, digam que amam. Tudo que queria era abraçá-la”, falou o rapaz.

Novos protestos

No domingo (15), novos protestos pela morte estão programados na Capital. O primeiro, denominado “Marcha pela Paz”, está marcado para as 8h30, na rua Juiz de Fora, número 34, no bairro Parque Manibura. Às 10 horas, há outra manifestação marcada no Anfiteatro do Parque do Cocó.

Publicidade

Dê sua opinião

INVESTIGAÇÃO

Em menos de 48 horas, mais quatro suspeitos da morte de universitária são presos em Fortaleza

Cecília Moura levou um tiro na cabeça em suposto latrocínio, quando seu carro foi abordado por bandidos em rua de Fortaleza

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

14 de Abril de 2018 às 13:10

Há 3 meses
Primeiro suspeito da morte da universitária preso na quinta-feira. (Foto: TV Jangadeiro)

Primeiro suspeito da morte da universitária preso na quinta-feira. (Foto: TV Jangadeiro)

Em menos de 48 horas, sobe para seis o número de presos envolvidos direta e indiretamente na morte da universitária Cecília Rachel Gonçalves Moura, de 23 anos, morta em suposto crime de latrocínio na quinta-feira (12). No domingo (15), há dois protestos programados na Capital pela morte da jovem.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) quatro pessoas foram presas na madrugada deste sábado (14), em Fortaleza.

Na quinta-feira, poucas horas depois do crime, Antônio Honorato Pinheiro Macedo Filho, de 18 anos, com antecedentes criminais; e Leonardo Lima do Nascimento, de 21 anos, com passagem pela Polícia por tráfico de drogas; foram presos. O carro utilizado no crime também foi apreendido pelas equipes policiais.

Cecília trafegava em seu veículo pela Rua Vereador Pedro Paulo, no bairro Parque Manibura, quando foi abordada pelos suspeitos, que atiraram contra o automóvel. A vítima levou um tiro na cabeça e perdeu o controle da direção, colidindo o carro contra o muro. Os bandidos deixaram o local em seguida.

A jovem chegou a ser socorrida e levada para uma unidade de saúde, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital.

Cecília levou um tiro na cabeça e colidiu carro em muro. (Foto: Reprodução/Whatsapp)

Cecília levou um tiro na cabeça e colidiu carro em muro. (Foto: Reprodução/Whatsapp)

Investigação
O caso é investigado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Uma das linhas de investigação aponta para retaliação ao irmão da jovem, que seria policial.

Detalhes das demais prisões e do andamento das investigações serão divulgados na próxima segunda-feira (16), em coletiva de imprensa. O 13º Distrito Policial também participa da investigação. Equipes da Unidade Tático Operacional (UTO) e da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD) deram apoio às ações policiais.

A Polícia trabalha duas linhas de investigação: a tentativa de latrocínio e tentativa de execução. Segundo apuração inicial, Cecília seria irmã de um policial que estaria envolvido em um confronto com bandidos, no qual um deles morreu. No caso, a morte da jovem seria retaliação.

Homenagem

Amigos, professores e o namorado da jovem fizeram uma homenagem à Cecília na manhã desta sexta-feira (13), na Unifor. Depois, o grupo deixou a instituição e bloqueou o trânsito nos dois sentidos da Avenida Washington Soares por dez minutos, em protesto contra a violência policial.

namorado Cecilia

Ato reuniu estudantes da Unifor (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

O namorado da universitária morta em suposta tentativa de assalto, Isaac Anderson, fez discurso emocionado durante a manifestação. Ele também aproveitou o momento para declarar o amor que sentia por Cecília.

“Digam que amam, a última vez que eu disse isso pra minha namorada ela estava em uma maca de hospital, não me olhava. Não deixem a oportunidade passar. Amem muito, digam que amam. Tudo que queria era abraçá-la”, falou o rapaz.

Novos protestos

No domingo (15), novos protestos pela morte estão programados na Capital. O primeiro, denominado “Marcha pela Paz”, está marcado para as 8h30, na rua Juiz de Fora, número 34, no bairro Parque Manibura. Às 10 horas, há outra manifestação marcada no Anfiteatro do Parque do Cocó.