Mais de 300 afogamentos foram registrados na Praia do Futuro somente até outubro

MAR PERIGOSO

Mais de 300 afogamentos foram registrados na Praia do Futuro somente até outubro

Neste fim de semana, dois afogamentos aconteceram no mesmo trecho da praia. Em 2018 já foram cinco mortes

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

26 de novembro de 2018 às 11:45

Há 2 semanas
salvamento

Corpo de Bombeiros orienta que banhistas procurem informação com salva-vidas. (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Afogamento é um tema bem recorrente, mas é sempre importante alertar. De janeiro a outubro de 2018, foram registrados 301 resgates na Praia do Futuro, em Fortaleza, segundo o Corpo de Bombeiros do Ceará. O alerta é de sempre pedir orientação aos salva-vidas da área. No último fim de semana, dois casos foram registrados na mesma faixa.

Em 2018, de janeiro a outubro, foram 301 resgates com vida e 3 óbitos. Até esta segunda-feira, 26 de novembro, outras duas mortes foram registradas. Ao todo, são cinco neste ano.

Um caso que ficou bastante conhecido, também neste mês, foi o da garçonete que salvou uma mulher, que veio a falecer depois.

O Tenente Romário, do Corpo de Bombeiros, explica que toda a faixa da Praia do Futuro é perigosa. No entanto, destaca que a área do Caça e Pesca é sempre por conta do encontro do rio com o mar. Ele ainda esclarece que os horários mais perigosos dependem da maré, da lua e isso muda bastante. No entanto, os guarda-vidas, do Corpo de Bombeiros, se informam sobre isso diariamente.

“Os guarda-vidas vão passando e orientando lugares para evitar. Eles são as pessoas mais indicadas para dar uma informação adequada e, no caso de afogamento, atuarem rapidamente. Eles se atualizam todos os dias a respeito disso, o horário da maré, se vai haver algum efeito específico de cheia, de ressaca”, disse o tenente.

O militar reforça ainda que a melhor recomendação a dar aos banhistas é que procurem se informar sobre a área onde pretendem tomar banho de mar.

“A melhor recomendação que a gente pode dar é a de que o banhista só tome banho próximos a locais com postos de guarda-vidas. Que fiquem sempre atentos, que perguntem aos guarda-vidas se é apropriado tomar banho ali. A gente põe placa. Não há um local específico, porque os pontos de periculosidade vão mudando, fora o Caça e Pesca”, completou.

Publicidade

Dê sua opinião

MAR PERIGOSO

Mais de 300 afogamentos foram registrados na Praia do Futuro somente até outubro

Neste fim de semana, dois afogamentos aconteceram no mesmo trecho da praia. Em 2018 já foram cinco mortes

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

26 de novembro de 2018 às 11:45

Há 2 semanas
salvamento

Corpo de Bombeiros orienta que banhistas procurem informação com salva-vidas. (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Afogamento é um tema bem recorrente, mas é sempre importante alertar. De janeiro a outubro de 2018, foram registrados 301 resgates na Praia do Futuro, em Fortaleza, segundo o Corpo de Bombeiros do Ceará. O alerta é de sempre pedir orientação aos salva-vidas da área. No último fim de semana, dois casos foram registrados na mesma faixa.

Em 2018, de janeiro a outubro, foram 301 resgates com vida e 3 óbitos. Até esta segunda-feira, 26 de novembro, outras duas mortes foram registradas. Ao todo, são cinco neste ano.

Um caso que ficou bastante conhecido, também neste mês, foi o da garçonete que salvou uma mulher, que veio a falecer depois.

O Tenente Romário, do Corpo de Bombeiros, explica que toda a faixa da Praia do Futuro é perigosa. No entanto, destaca que a área do Caça e Pesca é sempre por conta do encontro do rio com o mar. Ele ainda esclarece que os horários mais perigosos dependem da maré, da lua e isso muda bastante. No entanto, os guarda-vidas, do Corpo de Bombeiros, se informam sobre isso diariamente.

“Os guarda-vidas vão passando e orientando lugares para evitar. Eles são as pessoas mais indicadas para dar uma informação adequada e, no caso de afogamento, atuarem rapidamente. Eles se atualizam todos os dias a respeito disso, o horário da maré, se vai haver algum efeito específico de cheia, de ressaca”, disse o tenente.

O militar reforça ainda que a melhor recomendação a dar aos banhistas é que procurem se informar sobre a área onde pretendem tomar banho de mar.

“A melhor recomendação que a gente pode dar é a de que o banhista só tome banho próximos a locais com postos de guarda-vidas. Que fiquem sempre atentos, que perguntem aos guarda-vidas se é apropriado tomar banho ali. A gente põe placa. Não há um local específico, porque os pontos de periculosidade vão mudando, fora o Caça e Pesca”, completou.