Laudo conclui que acidente fatal em parque aquático foi causado por excesso de peso

RADIALISTA MORREU

Laudo conclui que acidente fatal em parque aquático foi causado por excesso de peso

Segundo o laudo, o limite de aproximadamente 390 kg foi excedido em 70 kg. As informações foram repassadas para a Delegacia de Proteção ao Turista (Deprotur)

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

13 de novembro de 2018 às 12:13

Há 1 mês
A atração foi interditada. (Foto: Divulgação)

A atração foi interditada. (Foto: Divulgação)

Laudo da Perícia Forense apontou que o acidente que vitimou o radialista Ricardo José Hilário Silva, no Beach Park, na praia do Porto das Dunas, em Aquiraz, na Região Metropolitana de Fortaleza, foi provocado por excesso de peso. De acordo com as investigações, houve uma distribuição irregular das quatro pessoas que estavam na boia, no caso registrado em julho deste ano.

A vítima, que era do interior de São Paulo, estava acompanhado da família em Fortaleza. Um perito independente deve analisar o laudo para fundamentar o trabalho dos advogados.

Segundo o laudo, o limite de aproximadamente 390 kg foi excedido em 70 kg. As informações foram repassadas para a Delegacia de Proteção ao Turista (Deprotur). O caso deve ser acompanhado pela Promotoria do município de Aquiraz.

Em nota, o Beach Park afirmou que durante seus 33 anos de existência sempre cumpriu rigorosamente todos os procedimentos de acordo com as normas de segurança em parques aquáticos e as regras estipuladas pelo fabricante de cada atração.

O parque informa que realizou diversos testes no período posterior ao acidente com o acompanhamento do engenheiro especialista em segurança na área de entretenimento e membro do comitê de segurança da Associação Internacional de Parques de Diversões e Atrações, Francisco Donatiello.

Ainda segundo a nota, o laudo apresentado pela perícia apresenta uma incoerência em sua conclusão. Além disso, os peritos afirmam que o laudo é inconclusivo, por não conter a análise do projeto do brinquedo, que não foi enviado pelo fabricante. O Beach Park informou que o Vainkará permanecerá fechado por tempo indeterminado.

Confira a nota do Beach Park na íntegra:

“Diante do laudo apresentado pela Coordenadoria de Perícia Criminal do Estado do Ceará, o Beach Park esclarece que durante seus 33 anos de existência sempre cumpriu rigorosamente todos os procedimentos de acordo com as normas de segurança em parques aquáticos e as regras estipuladas pelo fabricante de cada atração.

O Beach Park realizou diversos testes no período posterior ao acidente com o acompanhamento do engenheiro especialista em segurança na área de entretenimento e membro do comitê de segurança da Associação Internacional de Parques de Diversões e Atrações, Francisco Donatiello. Ficou comprovado que o peso não é fator de risco. Caso fosse, o fabricante seria obrigado a indicar, no manual de operações, equipamento determinado para a medição do peso durante a operação.

O próprio laudo da perícia apresenta uma incoerência em sua conclusão. Confirma os testes realizados pelo Beach Park ao afirmar que nos ensaios realizados com “400 kg regular (Carga Equilibrada) e 400 kg irregular (Carga Desequilibrada), foi constatada uma descida regular sem muitas oscilações no final do brinquedo”. O laudo, portanto, confirma que nem o peso, nem a distribuição na boia são fatores decisivos para o acidente.

Além disso, os peritos afirmam que o laudo é inconclusivo por não conter a análise do projeto do brinquedo, que não foi enviado pelo fabricante. Inclusive, inúmeros testes realizados pelo Beach Park mostraram uma descida irregular e instável mesmo com pesos de 320 kg e 310 kg, o que pode revelar a existência de falhas estruturais, de projeto, ainda não explicadas pela fabricante ProSlide nem investigadas pela perícia oficial.

O Beach Park informa que o Vainkará permanecerá fechado por tempo indeterminado.

O parque informa também que entrou em contato com os advogados da família de Ricardo José Hilário Silva e que não obteve retorno.

Todos que fazem o Beach Park ainda sentem profundamente o ocorrido que certamente nunca mais saíra de nossa memória e será base para melhorias de procedimentos em todas as áreas da empresa”.

Publicidade

Dê sua opinião

RADIALISTA MORREU

Laudo conclui que acidente fatal em parque aquático foi causado por excesso de peso

Segundo o laudo, o limite de aproximadamente 390 kg foi excedido em 70 kg. As informações foram repassadas para a Delegacia de Proteção ao Turista (Deprotur)

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

13 de novembro de 2018 às 12:13

Há 1 mês
A atração foi interditada. (Foto: Divulgação)

A atração foi interditada. (Foto: Divulgação)

Laudo da Perícia Forense apontou que o acidente que vitimou o radialista Ricardo José Hilário Silva, no Beach Park, na praia do Porto das Dunas, em Aquiraz, na Região Metropolitana de Fortaleza, foi provocado por excesso de peso. De acordo com as investigações, houve uma distribuição irregular das quatro pessoas que estavam na boia, no caso registrado em julho deste ano.

A vítima, que era do interior de São Paulo, estava acompanhado da família em Fortaleza. Um perito independente deve analisar o laudo para fundamentar o trabalho dos advogados.

Segundo o laudo, o limite de aproximadamente 390 kg foi excedido em 70 kg. As informações foram repassadas para a Delegacia de Proteção ao Turista (Deprotur). O caso deve ser acompanhado pela Promotoria do município de Aquiraz.

Em nota, o Beach Park afirmou que durante seus 33 anos de existência sempre cumpriu rigorosamente todos os procedimentos de acordo com as normas de segurança em parques aquáticos e as regras estipuladas pelo fabricante de cada atração.

O parque informa que realizou diversos testes no período posterior ao acidente com o acompanhamento do engenheiro especialista em segurança na área de entretenimento e membro do comitê de segurança da Associação Internacional de Parques de Diversões e Atrações, Francisco Donatiello.

Ainda segundo a nota, o laudo apresentado pela perícia apresenta uma incoerência em sua conclusão. Além disso, os peritos afirmam que o laudo é inconclusivo, por não conter a análise do projeto do brinquedo, que não foi enviado pelo fabricante. O Beach Park informou que o Vainkará permanecerá fechado por tempo indeterminado.

Confira a nota do Beach Park na íntegra:

“Diante do laudo apresentado pela Coordenadoria de Perícia Criminal do Estado do Ceará, o Beach Park esclarece que durante seus 33 anos de existência sempre cumpriu rigorosamente todos os procedimentos de acordo com as normas de segurança em parques aquáticos e as regras estipuladas pelo fabricante de cada atração.

O Beach Park realizou diversos testes no período posterior ao acidente com o acompanhamento do engenheiro especialista em segurança na área de entretenimento e membro do comitê de segurança da Associação Internacional de Parques de Diversões e Atrações, Francisco Donatiello. Ficou comprovado que o peso não é fator de risco. Caso fosse, o fabricante seria obrigado a indicar, no manual de operações, equipamento determinado para a medição do peso durante a operação.

O próprio laudo da perícia apresenta uma incoerência em sua conclusão. Confirma os testes realizados pelo Beach Park ao afirmar que nos ensaios realizados com “400 kg regular (Carga Equilibrada) e 400 kg irregular (Carga Desequilibrada), foi constatada uma descida regular sem muitas oscilações no final do brinquedo”. O laudo, portanto, confirma que nem o peso, nem a distribuição na boia são fatores decisivos para o acidente.

Além disso, os peritos afirmam que o laudo é inconclusivo por não conter a análise do projeto do brinquedo, que não foi enviado pelo fabricante. Inclusive, inúmeros testes realizados pelo Beach Park mostraram uma descida irregular e instável mesmo com pesos de 320 kg e 310 kg, o que pode revelar a existência de falhas estruturais, de projeto, ainda não explicadas pela fabricante ProSlide nem investigadas pela perícia oficial.

O Beach Park informa que o Vainkará permanecerá fechado por tempo indeterminado.

O parque informa também que entrou em contato com os advogados da família de Ricardo José Hilário Silva e que não obteve retorno.

Todos que fazem o Beach Park ainda sentem profundamente o ocorrido que certamente nunca mais saíra de nossa memória e será base para melhorias de procedimentos em todas as áreas da empresa”.