Grades vão substituir muros com grafite em blocos da UFC no Campus do Benfica

MUDANÇAS

Grades vão substituir muros com grafite em blocos da UFC no Campus do Benfica

Estudantes e frequentadores da região comentam sobre a perda da privacidade e do aumento da sensação de insegurança. “Fica muito mais visado”

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

21 de setembro de 2017 às 07:00

Há 3 meses
Trecho da Avenida 13 de Maio já teve o muro substituído pela grade (FOTO: Daniel Rocha/Tribuna do Ceará)

Trecho da Avenida 13 de Maio já teve o muro substituído pela grade (FOTO: Daniel Rocha/Tribuna do Ceará)

Até o fim deste mês de setembro, grades devem substituir os muros do Centro de Humanidades I (CH I) da Universidade Federal do Ceará (UFC), no Bairro Benfica, em Fortaleza. Já em execução em trecho da Avenida 13 de Maio, a obra faz parte de um projeto de padronização e segurança no Campus do Benfica.

“A medida dará maior visibilidade a estas unidades e fará com que as áreas se assemelhem à estrutura da Reitoria, observada na Avenida da Universidade e na Rua Paulino Nogueira”, afirma o engenheiro Rafael Henriques, superintendente adjunto da Superintendência de Infraestrutura e Gestão Ambiental (UFC-Infra).

Em nota, enviada através da assessoria de imprensa da UFC, o superintendente adjunto indica que o projeto será implantado em etapas, à medida em que sejam garantidas as dotações orçamentárias para as obras.

A próxima unidade da UFC a ser contemplada no projeto deve ser o Centro de Humanidades II, que fica em frente ao CH I, também no Benfica.

Os muros do bloco das Casas de Cultura tradicionalmente abrigavam grafites, por isso a ausência deles causa estranheza. “A arte do grafite continuará a ser realizada nos muros que permanecem, a exemplo dos da Reitoria, na Avenida 13 de Maio e na Rua Nossa Senhora dos Remédios”, pontua Rafael Henriques.

Opiniões

Os frequentadores do CH I ouvidos por Tribuna do Ceará veem na mudança uma perda da privacidade de quem está dentro da unidade — resultando, inclusive, em um aumento da sensação de insegurança. O estudante de Engenharia Mecatrônica do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) Germano Silva Lima, por exemplo, considera que a mudança deixou  os alunos mais suscetíveis a atos de violência.

O estudante de Letras da UFC, Marcos Paulo Ribeiro, concorda. “Fica muito mais visado. Quando tinha o muro, você podia usar um celular ou um notebook mais tranquilo. Agora, com a grade, inibe”. Ele também estranhou do ponto de vista estético. “Já tinha uma imagem consolidada do local”.

Antônio Lobo, frequentador da região, passou pelo incômodo de ser xingado por um pedinte, que passou a ter acesso a quem está dentro do CH I. Ele também vai sentir falta de passar e ver um grafite, uma arte, uma frase, uma politização. “Era massa de ver”.

Publicidade

Dê sua opinião

MUDANÇAS

Grades vão substituir muros com grafite em blocos da UFC no Campus do Benfica

Estudantes e frequentadores da região comentam sobre a perda da privacidade e do aumento da sensação de insegurança. “Fica muito mais visado”

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

21 de setembro de 2017 às 07:00

Há 3 meses
Trecho da Avenida 13 de Maio já teve o muro substituído pela grade (FOTO: Daniel Rocha/Tribuna do Ceará)

Trecho da Avenida 13 de Maio já teve o muro substituído pela grade (FOTO: Daniel Rocha/Tribuna do Ceará)

Até o fim deste mês de setembro, grades devem substituir os muros do Centro de Humanidades I (CH I) da Universidade Federal do Ceará (UFC), no Bairro Benfica, em Fortaleza. Já em execução em trecho da Avenida 13 de Maio, a obra faz parte de um projeto de padronização e segurança no Campus do Benfica.

“A medida dará maior visibilidade a estas unidades e fará com que as áreas se assemelhem à estrutura da Reitoria, observada na Avenida da Universidade e na Rua Paulino Nogueira”, afirma o engenheiro Rafael Henriques, superintendente adjunto da Superintendência de Infraestrutura e Gestão Ambiental (UFC-Infra).

Em nota, enviada através da assessoria de imprensa da UFC, o superintendente adjunto indica que o projeto será implantado em etapas, à medida em que sejam garantidas as dotações orçamentárias para as obras.

A próxima unidade da UFC a ser contemplada no projeto deve ser o Centro de Humanidades II, que fica em frente ao CH I, também no Benfica.

Os muros do bloco das Casas de Cultura tradicionalmente abrigavam grafites, por isso a ausência deles causa estranheza. “A arte do grafite continuará a ser realizada nos muros que permanecem, a exemplo dos da Reitoria, na Avenida 13 de Maio e na Rua Nossa Senhora dos Remédios”, pontua Rafael Henriques.

Opiniões

Os frequentadores do CH I ouvidos por Tribuna do Ceará veem na mudança uma perda da privacidade de quem está dentro da unidade — resultando, inclusive, em um aumento da sensação de insegurança. O estudante de Engenharia Mecatrônica do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) Germano Silva Lima, por exemplo, considera que a mudança deixou  os alunos mais suscetíveis a atos de violência.

O estudante de Letras da UFC, Marcos Paulo Ribeiro, concorda. “Fica muito mais visado. Quando tinha o muro, você podia usar um celular ou um notebook mais tranquilo. Agora, com a grade, inibe”. Ele também estranhou do ponto de vista estético. “Já tinha uma imagem consolidada do local”.

Antônio Lobo, frequentador da região, passou pelo incômodo de ser xingado por um pedinte, que passou a ter acesso a quem está dentro do CH I. Ele também vai sentir falta de passar e ver um grafite, uma arte, uma frase, uma politização. “Era massa de ver”.