Funceme alerta para baixo nível de água nos reservatórios apesar da frequência das chuvas - Noticias

ALERTA

Funceme alerta para baixo nível de água nos reservatórios apesar da frequência das chuvas

Reservatórios do Ceará, como os açudes Castanhão e Orós, ainda acumulam pouca água apesar das chuvas.

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

23 de Janeiro de 2018 às 10:53

Há 10 meses
Consumo de água agrava situação da seca no Ceará. (Foto: Jéssica Welma/Tribuna do Ceará)

Açude Castanhão é uma das fontes de abastecimento do Estadp.  (Foto: Jéssica Welma/Tribuna do Ceará)

Apesar das chuvas recorrentes neste início de 2018, a Funceme (Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos) alerta que o volume ainda não é suficiente para mudar a realidade dos reservatórios do Estado, como o açude Castanhão e Orós. De acordo com o órgão, o período entre os meses de fevereiro até abril devem registrar chuvas 40% acima da média este ano, mas isso não deve sanar os danos dos seis anos seguidos de seca.

As chances das precipitações ficarem em torno média histórica são de 35% e 25% para a categoria abaixo do normal. As condições do oceano e da atmosfera indicam que o mês de março pode ser com maior volume de chuvas. Além disso, há uma preocupação de que chova nos reservatórios do Estado. E isso vai depender se a chuva cai mais concentrada em um lugar ou mais distribuída. Com seis anos seguidos de seca, os açudes acumulam apenas 7% do armazenamento.

O Governador do Ceará, Camilo Santana, comentou o assunto e falou em novos projetos para diversificar a fonte de abastecimento de água de Fortaleza e da Região Metropolitana. Entre eles, a captação da água da barragem de contenção do Rio Cocó.

Confira reportagem completa do Jornal Jangadeiro.

Publicidade

Dê sua opinião

ALERTA

Funceme alerta para baixo nível de água nos reservatórios apesar da frequência das chuvas

Reservatórios do Ceará, como os açudes Castanhão e Orós, ainda acumulam pouca água apesar das chuvas.

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

23 de Janeiro de 2018 às 10:53

Há 10 meses
Consumo de água agrava situação da seca no Ceará. (Foto: Jéssica Welma/Tribuna do Ceará)

Açude Castanhão é uma das fontes de abastecimento do Estadp.  (Foto: Jéssica Welma/Tribuna do Ceará)

Apesar das chuvas recorrentes neste início de 2018, a Funceme (Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos) alerta que o volume ainda não é suficiente para mudar a realidade dos reservatórios do Estado, como o açude Castanhão e Orós. De acordo com o órgão, o período entre os meses de fevereiro até abril devem registrar chuvas 40% acima da média este ano, mas isso não deve sanar os danos dos seis anos seguidos de seca.

As chances das precipitações ficarem em torno média histórica são de 35% e 25% para a categoria abaixo do normal. As condições do oceano e da atmosfera indicam que o mês de março pode ser com maior volume de chuvas. Além disso, há uma preocupação de que chova nos reservatórios do Estado. E isso vai depender se a chuva cai mais concentrada em um lugar ou mais distribuída. Com seis anos seguidos de seca, os açudes acumulam apenas 7% do armazenamento.

O Governador do Ceará, Camilo Santana, comentou o assunto e falou em novos projetos para diversificar a fonte de abastecimento de água de Fortaleza e da Região Metropolitana. Entre eles, a captação da água da barragem de contenção do Rio Cocó.

Confira reportagem completa do Jornal Jangadeiro.