Combustível pode acabar neste domingo nos postos

DÉFICIT

Estoque de combustível em postos de Fortaleza pode acabar neste domingo

Por conta da greve dos caminhoneiros, o estoque dos postos de Fortaleza ficou comprometido. Motoristas que encontram estabelecimentos ainda com combustível aproveitam para encher o tanque

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

25 de Maio de 2018 às 19:37

Há 4 meses
Bomba de gasolina

Muitos motoristas estão enchendo o tanque com receio de ficar sem combustível (FOTO: Agência Brasil)

O estoque de combustíveis dos postos de Fortaleza deve chegar ao fim neste domingo (27), segundo o Sindipostos do Ceará. O déficit deve-se aos dias de greve consecutivos dos caminhoneiros por conta do aumento do preço do diesel, comprometendo o abastecimento.

Devido ao receio de ficar sem gasolina nos próximos dias caso a situação não normalize, muitos motoristas estão aproveitando para abastecer os veículos. Segundo o Sindipostos, antes o cliente colocava R$ 50 de combustível, agora está enchendo o tanque, reduzindo ainda mais o estoque nos estabelecimentos.

Os transportes públicos, por sua vez, devem operar normalmente e não há previsão de redução dos coletivos, segundo a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor). Alguns supermercados de Fortaleza devem fechar no fim de semana.

De acordo com a diretora comercial de uma rede de supermercados de Fortaleza, Gláddys Albuquerque, alimentos diários dos brasileiros estão em pouca quantidade, como as carnes e leite. “Nós já estamos sentindo isso com esses alimentos perecíveis.

As verduras, frutas, carnes, leite pasteurizado são os produtos que estão com baixo estoque e com os preços elevados. A procura é grande desses alimentos diariamente, mas eles estão em pouca quantidade”, explica diretora. Os preços de frutas e hortaliças subiram em até 221%, segundo as Centrais de Abastecimento do Ceará (Ceasa). A uva e o maracujá, por exemplo, aumentaram 77,78% e 37,50%, respectivamente.

A frota de taxistas não deve ser tão prejudicada com a greve dos caminhoneiros. Segundo o presidente do Sinditaxis, Vicente de Paula, 60% dos veículos circulam com Gás Natural Veicular (GNV), e o abastecimento não depende dos transportes. “Nós estamos nos preparando da melhor maneira possível. Os taxistas estão abastecendo em postos mais distantes da cidade para assegurar o serviço à população”, afirmou Vicente.

Publicidade

Dê sua opinião

DÉFICIT

Estoque de combustível em postos de Fortaleza pode acabar neste domingo

Por conta da greve dos caminhoneiros, o estoque dos postos de Fortaleza ficou comprometido. Motoristas que encontram estabelecimentos ainda com combustível aproveitam para encher o tanque

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

25 de Maio de 2018 às 19:37

Há 4 meses
Bomba de gasolina

Muitos motoristas estão enchendo o tanque com receio de ficar sem combustível (FOTO: Agência Brasil)

O estoque de combustíveis dos postos de Fortaleza deve chegar ao fim neste domingo (27), segundo o Sindipostos do Ceará. O déficit deve-se aos dias de greve consecutivos dos caminhoneiros por conta do aumento do preço do diesel, comprometendo o abastecimento.

Devido ao receio de ficar sem gasolina nos próximos dias caso a situação não normalize, muitos motoristas estão aproveitando para abastecer os veículos. Segundo o Sindipostos, antes o cliente colocava R$ 50 de combustível, agora está enchendo o tanque, reduzindo ainda mais o estoque nos estabelecimentos.

Os transportes públicos, por sua vez, devem operar normalmente e não há previsão de redução dos coletivos, segundo a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor). Alguns supermercados de Fortaleza devem fechar no fim de semana.

De acordo com a diretora comercial de uma rede de supermercados de Fortaleza, Gláddys Albuquerque, alimentos diários dos brasileiros estão em pouca quantidade, como as carnes e leite. “Nós já estamos sentindo isso com esses alimentos perecíveis.

As verduras, frutas, carnes, leite pasteurizado são os produtos que estão com baixo estoque e com os preços elevados. A procura é grande desses alimentos diariamente, mas eles estão em pouca quantidade”, explica diretora. Os preços de frutas e hortaliças subiram em até 221%, segundo as Centrais de Abastecimento do Ceará (Ceasa). A uva e o maracujá, por exemplo, aumentaram 77,78% e 37,50%, respectivamente.

A frota de taxistas não deve ser tão prejudicada com a greve dos caminhoneiros. Segundo o presidente do Sinditaxis, Vicente de Paula, 60% dos veículos circulam com Gás Natural Veicular (GNV), e o abastecimento não depende dos transportes. “Nós estamos nos preparando da melhor maneira possível. Os taxistas estão abastecendo em postos mais distantes da cidade para assegurar o serviço à população”, afirmou Vicente.