Campanha cearense sobre violência contra mulher é finalista em prêmio internacional
CONSCIENTIZAÇÃO

Campanha cearense sobre violência contra mulher é finalista em prêmio internacional

Os idealistas da campanha relataram sobre a violência contra a mulher que tem números muito altos no Brasil

Por Lyvia Rocha em Cotidiano

6 de abril de 2017 às 07:00

Há 4 meses
A campanha foi finalista de prêmio em Portugal (FOTO: Divulgação)

A campanha foi finalista de prêmio em Portugal (FOTO: Divulgação)

Uma campanha cearense criada para o Instituto Maria da Penha ganhou repercussão em empresas de publicidades no mundo, como Ads of The World, Adeevee, e foi finalista do Prêmio Lusófonos 2017, que aconteceu na última semana em Portugal.

Apesar de novo, o Prêmio Lusófonos, que acontece em Lisboa, já possui bastante credibilidade. No júri, grandes nomes da propaganda nacional e internacional como Eco Moliterno, André Kassu, Hugo Rodrigues, Luiz Sanches, José Borghi e Eduardo Tracanella julgaram as melhores peças desta edição.

O VT cearense finalista no Prêmio Lusófonos tem como base a brincadeira #mannequinchallenge, que viralizou nas redes sociais. Os criativos Mateus Cândido e Victor Rocha, redator e diretor de arte respectivamente, contam que viram no desafio do manequim a oportunidade de atrair a atenção do público para um problema presente na nossa sociedade: a violência contra a mulher.

“A cada 24 segundos, uma mulher é agredida e, em muitos casos, amigos, vizinhos e parentes sabem, porém não fazem nada para ajudar a vítima. É preciso que atitudes sejam tomadas para erradicar os casos de abusos. Os dados fornecidos por Conceição de Maria Mendes, diretora de marketing do IMP, são alarmantes. No nosso #mannequinchallenge, desafiamos as pessoas a não ficarem paradas”, comentou Mateus.

Carolina Mapurunga, sócia-diretora da agência de publicidade, reforça a importância de ações com esse tema. “Essa é a maneira que encontramos de dar retorno à sociedade. Vamos muito além de apenas oferecer uma comunicação de qualidade. Sempre estamos atentos aos problemas sociais, debatendo e criando ações de conscientização”, acrescenta Carolina.

Publicidade

Dê sua opinião

CONSCIENTIZAÇÃO

Campanha cearense sobre violência contra mulher é finalista em prêmio internacional

Os idealistas da campanha relataram sobre a violência contra a mulher que tem números muito altos no Brasil

Por Lyvia Rocha em Cotidiano

6 de abril de 2017 às 07:00

Há 4 meses
A campanha foi finalista de prêmio em Portugal (FOTO: Divulgação)

A campanha foi finalista de prêmio em Portugal (FOTO: Divulgação)

Uma campanha cearense criada para o Instituto Maria da Penha ganhou repercussão em empresas de publicidades no mundo, como Ads of The World, Adeevee, e foi finalista do Prêmio Lusófonos 2017, que aconteceu na última semana em Portugal.

Apesar de novo, o Prêmio Lusófonos, que acontece em Lisboa, já possui bastante credibilidade. No júri, grandes nomes da propaganda nacional e internacional como Eco Moliterno, André Kassu, Hugo Rodrigues, Luiz Sanches, José Borghi e Eduardo Tracanella julgaram as melhores peças desta edição.

O VT cearense finalista no Prêmio Lusófonos tem como base a brincadeira #mannequinchallenge, que viralizou nas redes sociais. Os criativos Mateus Cândido e Victor Rocha, redator e diretor de arte respectivamente, contam que viram no desafio do manequim a oportunidade de atrair a atenção do público para um problema presente na nossa sociedade: a violência contra a mulher.

“A cada 24 segundos, uma mulher é agredida e, em muitos casos, amigos, vizinhos e parentes sabem, porém não fazem nada para ajudar a vítima. É preciso que atitudes sejam tomadas para erradicar os casos de abusos. Os dados fornecidos por Conceição de Maria Mendes, diretora de marketing do IMP, são alarmantes. No nosso #mannequinchallenge, desafiamos as pessoas a não ficarem paradas”, comentou Mateus.

Carolina Mapurunga, sócia-diretora da agência de publicidade, reforça a importância de ações com esse tema. “Essa é a maneira que encontramos de dar retorno à sociedade. Vamos muito além de apenas oferecer uma comunicação de qualidade. Sempre estamos atentos aos problemas sociais, debatendo e criando ações de conscientização”, acrescenta Carolina.