Cachorro paraplégico recebe doações, mas ainda aguarda adoção em clínica veterinária
UM LAR PARA TIRADENTES

Cachorro paraplégico recebe doações, mas ainda aguarda adoção em clínica veterinária

Tiradentes participou de um evento para adoção no shopping, mas ninguém se manifestou em adotá-lo

Por Lyvia Rocha em Cotidiano

21 de setembro de 2017 às 06:45

Há 4 semanas
O cachorrinho espera por uma adoção (FOTO: Reprodução)

O cachorrinho espera por uma adoção (FOTO: Reprodução)

O cachorro Tiradentes, que é paraplégico após ser vítima de um atropelamento, ainda aguarda uma adoção. O animal até recebeu várias doações após matéria publicada pelo Tribuna do Ceará, na semana passada, e seguirá na clínica Estação Pet, em Fortaleza, com todas as despesas pagas até outubro. Porém, ele ainda espera alguém que o adote.

A estudante de Psicologia e protetora independente de animais Renatha Sá conta que Tiradentes está sendo bem tratado na clínica. “Ele é tratado com muito amor e com todos os cuidados, mesmo sem lar”, afirma Renatha.

Apesar do anseio para ele ser adotado, o cachorro não será expulso do local. “Só queria esclarecer que ele não vai ser despejado da clínica depois disso, vai ficar lá, o problema é só que ficará gerando débitos”, esclarece.

Relembre o caso

Tiradentes foi encontrado no dia 21 de abril deste ano, por isso a escolha do nome do animal, próximo à praia do Pacheco, no município de Caucaia, com fraturas por conta de um atropelamento.

Devido ao acidente, Tiradentes precisou ser submetido a uma cirurgia de comprimento de medula óssea, realizado no hospital veterinário da Universidade Estadual do Ceará (Uece). Além disso, foram realizadas quatro sessões de fisioterapia e quatro de acupuntura.

Após esse processo de recuperação, o cachorro se encontra bem. Consegue comer, anda por meio de uma cadeira apropriada para a sua deficiência e brinca. Apesar de apresentar uma boa saúde, falta-lhe o essencial: um lar.

A estudante de Psicologia conta que não tem mais condições de mantê-lo hospedado na clínica Estação Pet, situado na Rua José Barcelos, por questões financeiras, nem pode levá-lo para casa por já cuidar de três cachorros, sendo um deficiente.

“Ele participou de um evento para adoção no shopping, mas ninguém se manifestou em adotá-lo. Esta quarta é o último dia de diária na clínica”, detalhou a situação.

Publicidade

Dê sua opinião

UM LAR PARA TIRADENTES

Cachorro paraplégico recebe doações, mas ainda aguarda adoção em clínica veterinária

Tiradentes participou de um evento para adoção no shopping, mas ninguém se manifestou em adotá-lo

Por Lyvia Rocha em Cotidiano

21 de setembro de 2017 às 06:45

Há 4 semanas
O cachorrinho espera por uma adoção (FOTO: Reprodução)

O cachorrinho espera por uma adoção (FOTO: Reprodução)

O cachorro Tiradentes, que é paraplégico após ser vítima de um atropelamento, ainda aguarda uma adoção. O animal até recebeu várias doações após matéria publicada pelo Tribuna do Ceará, na semana passada, e seguirá na clínica Estação Pet, em Fortaleza, com todas as despesas pagas até outubro. Porém, ele ainda espera alguém que o adote.

A estudante de Psicologia e protetora independente de animais Renatha Sá conta que Tiradentes está sendo bem tratado na clínica. “Ele é tratado com muito amor e com todos os cuidados, mesmo sem lar”, afirma Renatha.

Apesar do anseio para ele ser adotado, o cachorro não será expulso do local. “Só queria esclarecer que ele não vai ser despejado da clínica depois disso, vai ficar lá, o problema é só que ficará gerando débitos”, esclarece.

Relembre o caso

Tiradentes foi encontrado no dia 21 de abril deste ano, por isso a escolha do nome do animal, próximo à praia do Pacheco, no município de Caucaia, com fraturas por conta de um atropelamento.

Devido ao acidente, Tiradentes precisou ser submetido a uma cirurgia de comprimento de medula óssea, realizado no hospital veterinário da Universidade Estadual do Ceará (Uece). Além disso, foram realizadas quatro sessões de fisioterapia e quatro de acupuntura.

Após esse processo de recuperação, o cachorro se encontra bem. Consegue comer, anda por meio de uma cadeira apropriada para a sua deficiência e brinca. Apesar de apresentar uma boa saúde, falta-lhe o essencial: um lar.

A estudante de Psicologia conta que não tem mais condições de mantê-lo hospedado na clínica Estação Pet, situado na Rua José Barcelos, por questões financeiras, nem pode levá-lo para casa por já cuidar de três cachorros, sendo um deficiente.

“Ele participou de um evento para adoção no shopping, mas ninguém se manifestou em adotá-lo. Esta quarta é o último dia de diária na clínica”, detalhou a situação.