Balanço aponta que 1º semestre de 2016 teve o dobro de praias reprovadas em comparação ao 2º
EFEITO CHUVAS

Balanço aponta que 1º semestre de 2016 teve o dobro de praias reprovadas em comparação ao 2º

Com o início da temporada de chuvas em 2017, as praias voltam a sofrer com a descida de lixo para o litoral

Por Matheus Ribeiro em Cotidiano

10 de janeiro de 2017 às 07:00

Há 1 mês

Praias do litoral oeste ficaram impróprias durante boa parte do ano (FOTO: Reprodução)

Balanço feito pela Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) apontou uma situação que chama a atenção em relação a balneabilidade das praias de Fortaleza em 2016. De acordo com o registro, o primeiro semestre do ano passado teve o dobro de praias reprovadas para banho em comparação ao segundo.

Segundo a gestora ambiental da Semace, Janelane Coelho, esse motivo é explicado pela estação chuvosa do Ceará. “Sempre percebemos esse aumento de praias impróprias para banho nos primeiros meses do ano. Isso é devido as chuvas do primeiro semestre, que levam mais lixo para as praias. Contudo, vale destacar que tivemos uma melhora significativa do primeiro para o segundo. Isso é importante destacar”, explicou.

As praias de Fortaleza são classificadas em quatro categorias diferenciadas: excelente, muito boa, satisfatória e imprópria. Isso de acordo com as densidades de coliformes termotolerantes, amostradas durante cinco semanas consecutivas. Segundo o órgão, entretanto, o primeiro semestre de 2016 foi o período mais preocupante para os banhistas de Fortaleza.

Durante os meses de janeiro e junho de 2016, 15 praias ficaram impróprias para banho em toda a capital cearense. Entretanto, no segundo semestre o número de praias impróprias caiu praticamente para metade, quando apenas 7 das 15 ficaram impróprias para banho.

A exemplo disso, estão as praias localizadas no setor Centro, região onde ficam localizadas as praias Beira Mar e de Iracema. Segundo os dados, essas praias apresentaram uma evolução substancial do início para o final do ano. No segundo semestre de 2016 houve um aumento considerável dos pontos classificados como excelentes, passando de um para seis, entre os 10 trechos monitorados.

Ainda de acordo com o relatório, o setor Oeste, avaliado por apresentar mais pontos impróprios durante o ano, também mostrou-se com progressão de balneabilidade. Comparando o primeiro com o segundo semestre, a área obteve redução de nove para cinco trechos fora dos padrões. Os demais pontos tiveram avaliações satisfatórias em relação aos dois semestres.

Ainda conforme a gestora ambiental, a probabilidade é de que os primeiros meses de 2017 repitam os dados colhidos no ano passado devido ao período de chuvas. Dessa maneira, o aconselhável é que a população evite jogar lixo na rua, e coloque o lixo para coleta apenas quando for dia do caminhão de lixo passar no local.

“Indicamos que as pessoas evitem jogar lixo em locais inapropriados e também coloquem os resíduos para coleta apenas nos dias disponíveis para isso. Caso contrário, as chuvas podem levar os dejetos e prejudicar ainda mais as condições ambientais. Além disso, as pessoas devem evitar durante períodos chuvosos tomar banho nas praias por questão de segurança própria”, explicou.

Fatores como condições climáticas, aumento da maré, presença de animais, disposição imprópria de resíduos sólidos e adensamento urbano nas proximidades das praias, podem interferir no resultado da balneabilidade. As águas são avaliadas nas categorias própria e imprópria utilizando como parâmetro indicador básico a densidade de coliformes termotolerantes (ou fecais).

A Semace realiza o monitoramento de balneabilidade das praias de Fortaleza desde a sua criação. Ao todo, são monitorados 31 pontos disponíveis para banho em Fortaleza.

Praias do litoral Leste

Posto 1 – Entre o Posto dos Bombeiros 08 e a foz do Rio Cocó
Posto 2 – Entre os postos 7 e 8 dos Bombeiros
Posto 3 – Entre os postos 6 e 7 dos Bombeiros
Posto 4 – Entre os Posto dos Bombeiros 6 até a Praça da Paz Dom Hélder Câmara
Posto 5 – Entre a Praça da Paz Dom Hélder Câmara até Posto dos Bombeiros 4
Posto 6 – Entre os postos 3 e 4 dos Bombeiros
Posto 7 – Entre os postos 2 e 3 dos Bombeiros
Posto 8 – Entre os postos 1 e 2 dos Bombeiros
Posto 9 – Entre a rua Ismael Pordeus até Posto dos Bombeiros 1 (Impróprio para banho no 1º semestre; Excelente para banho no 2º semestre) 
Posto 10– Entre o Farol até a Rua Ismael Pordeus (Impróprio para banho no 1º semestre; Excelente para banho no 2º semestre) 
Posto 11 – Farol (Impróprio para banho no 1º semestre; Excelente para banho no 2º semestre) 

Resultado: Ao compararmos os dois semestres constata-se uma evolução satisfatória nas condições de balneabilidade das praias desse setor.

Praias do Centro

Posto 12 – Entre a Praia dos Botes e o Farol (Impróprio para banho no 1º semestre; Excelente para banho no 2º semestre) 
Posto 13 – Entre o Monumento do Jangadeiro até a Praia dos Botes (Impróprio para banho no 1º semestre; Excelente para banho no 2º semestre) 
Posto 14 – Entre a foz do Riacho Maceió e o Monumento dos Jangadeiros (Impróprio para banho no 1º semestre; Impróprio para banho no 2º semestre) 
Posto 15 – Entre a Volta da Jurema até foz do Riacho Maceió
Posto 16 – Entre Espigão da Av. Desembargador Moreira até a Volta da Jurema
Posto 17 – Entre a Rua José Vilar e o Espigão da Av. Desembargador Moreira
Posto 18 – Entre Espigão da Rui Barbosa até a Rua José Vilar e o Espigão
Posto 19 – Entre os Espigões da rua João Cordeiro e Av. Rui Barbosa
Posto 20 – Entre o Aquário até o Espigão da Rua João Cordeiro
Posto 21 – Entre o Inace (Ind. Naval do Ceará) até o Aquário

Resultado: Ao compararmos os dois semestres evidencia-se uma evolução substancial nas condições de balneabilidade das praias desse setor. No segundo semestre de 2016 houve um aumento considerável dos pontos classificados como Excelentes, passando de 1 para 6.

Praias do litoral Oeste

Posto 22 – Entre a Rua Padre Mororó até a Av. Alberto Nepomuceno (Imprópria para banho em Dezembro)
Posto 23 – Entre a Av. Philomeno Gomes até a Rua Padre Mororó
Posto 24– Entre a rua Jacinto Matos e a Av. Philomeno Gomes
Posto 25 – Entre a Av. Pasteur até a Rua Jacinto Matos (Impróprio para banho durante todo o ano de 2016)
Posto 26 – Entre a Rua Francisco Calaça até a Av. Pasteur (Impróprio para banho durante todo o ano de 2016)
Posto 27 – Entre a Rua Seis Companheiros até a Rua Francisco Calaça (Impróprio para banho durante todo o ano de 2016)
Posto 28 – Entre a Rua Lagoa do Abaeté até a Rua Seis Companheiros (Impróprio para banho durante todo o ano de 2016)
Posto 29 – Entre a Rua das Goiabeiras até a Rua lagoa do Abaeté
Posto 30 – Entre a foz do Rio Ceará até a Rua das Goiabeiras
Posto 31– Barra do Ceará (Impróprio para banho durante todo o ano de 2016)

Resultado: Ao compararmos os dois semestres constata-se uma evolução satisfatória nas condições de balneabilidade das praias desse setor.

Publicidade

Dê sua opinião

EFEITO CHUVAS

Balanço aponta que 1º semestre de 2016 teve o dobro de praias reprovadas em comparação ao 2º

Com o início da temporada de chuvas em 2017, as praias voltam a sofrer com a descida de lixo para o litoral

Por Matheus Ribeiro em Cotidiano

10 de janeiro de 2017 às 07:00

Há 1 mês

Praias do litoral oeste ficaram impróprias durante boa parte do ano (FOTO: Reprodução)

Balanço feito pela Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) apontou uma situação que chama a atenção em relação a balneabilidade das praias de Fortaleza em 2016. De acordo com o registro, o primeiro semestre do ano passado teve o dobro de praias reprovadas para banho em comparação ao segundo.

Segundo a gestora ambiental da Semace, Janelane Coelho, esse motivo é explicado pela estação chuvosa do Ceará. “Sempre percebemos esse aumento de praias impróprias para banho nos primeiros meses do ano. Isso é devido as chuvas do primeiro semestre, que levam mais lixo para as praias. Contudo, vale destacar que tivemos uma melhora significativa do primeiro para o segundo. Isso é importante destacar”, explicou.

As praias de Fortaleza são classificadas em quatro categorias diferenciadas: excelente, muito boa, satisfatória e imprópria. Isso de acordo com as densidades de coliformes termotolerantes, amostradas durante cinco semanas consecutivas. Segundo o órgão, entretanto, o primeiro semestre de 2016 foi o período mais preocupante para os banhistas de Fortaleza.

Durante os meses de janeiro e junho de 2016, 15 praias ficaram impróprias para banho em toda a capital cearense. Entretanto, no segundo semestre o número de praias impróprias caiu praticamente para metade, quando apenas 7 das 15 ficaram impróprias para banho.

A exemplo disso, estão as praias localizadas no setor Centro, região onde ficam localizadas as praias Beira Mar e de Iracema. Segundo os dados, essas praias apresentaram uma evolução substancial do início para o final do ano. No segundo semestre de 2016 houve um aumento considerável dos pontos classificados como excelentes, passando de um para seis, entre os 10 trechos monitorados.

Ainda de acordo com o relatório, o setor Oeste, avaliado por apresentar mais pontos impróprios durante o ano, também mostrou-se com progressão de balneabilidade. Comparando o primeiro com o segundo semestre, a área obteve redução de nove para cinco trechos fora dos padrões. Os demais pontos tiveram avaliações satisfatórias em relação aos dois semestres.

Ainda conforme a gestora ambiental, a probabilidade é de que os primeiros meses de 2017 repitam os dados colhidos no ano passado devido ao período de chuvas. Dessa maneira, o aconselhável é que a população evite jogar lixo na rua, e coloque o lixo para coleta apenas quando for dia do caminhão de lixo passar no local.

“Indicamos que as pessoas evitem jogar lixo em locais inapropriados e também coloquem os resíduos para coleta apenas nos dias disponíveis para isso. Caso contrário, as chuvas podem levar os dejetos e prejudicar ainda mais as condições ambientais. Além disso, as pessoas devem evitar durante períodos chuvosos tomar banho nas praias por questão de segurança própria”, explicou.

Fatores como condições climáticas, aumento da maré, presença de animais, disposição imprópria de resíduos sólidos e adensamento urbano nas proximidades das praias, podem interferir no resultado da balneabilidade. As águas são avaliadas nas categorias própria e imprópria utilizando como parâmetro indicador básico a densidade de coliformes termotolerantes (ou fecais).

A Semace realiza o monitoramento de balneabilidade das praias de Fortaleza desde a sua criação. Ao todo, são monitorados 31 pontos disponíveis para banho em Fortaleza.

Praias do litoral Leste

Posto 1 – Entre o Posto dos Bombeiros 08 e a foz do Rio Cocó
Posto 2 – Entre os postos 7 e 8 dos Bombeiros
Posto 3 – Entre os postos 6 e 7 dos Bombeiros
Posto 4 – Entre os Posto dos Bombeiros 6 até a Praça da Paz Dom Hélder Câmara
Posto 5 – Entre a Praça da Paz Dom Hélder Câmara até Posto dos Bombeiros 4
Posto 6 – Entre os postos 3 e 4 dos Bombeiros
Posto 7 – Entre os postos 2 e 3 dos Bombeiros
Posto 8 – Entre os postos 1 e 2 dos Bombeiros
Posto 9 – Entre a rua Ismael Pordeus até Posto dos Bombeiros 1 (Impróprio para banho no 1º semestre; Excelente para banho no 2º semestre) 
Posto 10– Entre o Farol até a Rua Ismael Pordeus (Impróprio para banho no 1º semestre; Excelente para banho no 2º semestre) 
Posto 11 – Farol (Impróprio para banho no 1º semestre; Excelente para banho no 2º semestre) 

Resultado: Ao compararmos os dois semestres constata-se uma evolução satisfatória nas condições de balneabilidade das praias desse setor.

Praias do Centro

Posto 12 – Entre a Praia dos Botes e o Farol (Impróprio para banho no 1º semestre; Excelente para banho no 2º semestre) 
Posto 13 – Entre o Monumento do Jangadeiro até a Praia dos Botes (Impróprio para banho no 1º semestre; Excelente para banho no 2º semestre) 
Posto 14 – Entre a foz do Riacho Maceió e o Monumento dos Jangadeiros (Impróprio para banho no 1º semestre; Impróprio para banho no 2º semestre) 
Posto 15 – Entre a Volta da Jurema até foz do Riacho Maceió
Posto 16 – Entre Espigão da Av. Desembargador Moreira até a Volta da Jurema
Posto 17 – Entre a Rua José Vilar e o Espigão da Av. Desembargador Moreira
Posto 18 – Entre Espigão da Rui Barbosa até a Rua José Vilar e o Espigão
Posto 19 – Entre os Espigões da rua João Cordeiro e Av. Rui Barbosa
Posto 20 – Entre o Aquário até o Espigão da Rua João Cordeiro
Posto 21 – Entre o Inace (Ind. Naval do Ceará) até o Aquário

Resultado: Ao compararmos os dois semestres evidencia-se uma evolução substancial nas condições de balneabilidade das praias desse setor. No segundo semestre de 2016 houve um aumento considerável dos pontos classificados como Excelentes, passando de 1 para 6.

Praias do litoral Oeste

Posto 22 – Entre a Rua Padre Mororó até a Av. Alberto Nepomuceno (Imprópria para banho em Dezembro)
Posto 23 – Entre a Av. Philomeno Gomes até a Rua Padre Mororó
Posto 24– Entre a rua Jacinto Matos e a Av. Philomeno Gomes
Posto 25 – Entre a Av. Pasteur até a Rua Jacinto Matos (Impróprio para banho durante todo o ano de 2016)
Posto 26 – Entre a Rua Francisco Calaça até a Av. Pasteur (Impróprio para banho durante todo o ano de 2016)
Posto 27 – Entre a Rua Seis Companheiros até a Rua Francisco Calaça (Impróprio para banho durante todo o ano de 2016)
Posto 28 – Entre a Rua Lagoa do Abaeté até a Rua Seis Companheiros (Impróprio para banho durante todo o ano de 2016)
Posto 29 – Entre a Rua das Goiabeiras até a Rua lagoa do Abaeté
Posto 30 – Entre a foz do Rio Ceará até a Rua das Goiabeiras
Posto 31– Barra do Ceará (Impróprio para banho durante todo o ano de 2016)

Resultado: Ao compararmos os dois semestres constata-se uma evolução satisfatória nas condições de balneabilidade das praias desse setor.