Aposentado recebe como presente transplante que esperava há 2 anos
ANO NOVO, VIDA NOVA

Aposentado recebe como presente transplante que esperava há 2 anos

Edivaldo se preparava para passar o réveillon com a família, quando recebeu a notícia que lhe daria uma nova vida

Por Deborah Tavares em Cotidiano

11 de janeiro de 2017 às 07:00

Há 3 meses

Edivaldo era paciente de hemodiálise há quase dois anos (FOTO: reprodução/assessoria/HGF)

Para quem aguarda por um transplante de órgão, o tempo é precioso. A espera e a urgência fazem parte do cotidiano. Em 2016, o Hospital Geral de Fortaleza  (HGF) comemorou a marca de 2 mil transplantes renais realizados desde a implantação do serviço no hospital.

Edivaldo Ferreira, 67 anos, não esperava passar tão cedo pelo transplante. “Na hora fiquei sem chão, não sabia o que fazer, pois não esperava que fosse tão rápido. Foi uma felicidade tremenda que não sei nem explicar”, lembra.

Foi um presente de ano novo. O aposentado se preparava para passar o réveillon com a família, quando recebeu a notícia que lhe daria uma nova vida. Paciente de hemodiálise há quase dois anos, Edivaldo foi informado que um rim compatível o esperava no HGF.

A virada do ano foi um marco na vida de Edivaldo, que deu início a uma nova fase. “Nesse tempo em que passei dialisando vi alguns colegas morrendo por conta da doença, então isso para mim é um presente de Deus operando na minha vida”, agradece.

Edivaldo recebeu alta na última segunda-feira (9). A partir de agora, a rotina de acompanhamento médico será semanal, no ambulatório de transplante do HGF, e de acordo com a evolução do quadro clínico dele, o retorno passará a ser trimestral.

Naquela noite de transplante, além de Edivaldo, outros três pacientes receberam um órgão.

Publicidade

Dê sua opinião

ANO NOVO, VIDA NOVA

Aposentado recebe como presente transplante que esperava há 2 anos

Edivaldo se preparava para passar o réveillon com a família, quando recebeu a notícia que lhe daria uma nova vida

Por Deborah Tavares em Cotidiano

11 de janeiro de 2017 às 07:00

Há 3 meses

Edivaldo era paciente de hemodiálise há quase dois anos (FOTO: reprodução/assessoria/HGF)

Para quem aguarda por um transplante de órgão, o tempo é precioso. A espera e a urgência fazem parte do cotidiano. Em 2016, o Hospital Geral de Fortaleza  (HGF) comemorou a marca de 2 mil transplantes renais realizados desde a implantação do serviço no hospital.

Edivaldo Ferreira, 67 anos, não esperava passar tão cedo pelo transplante. “Na hora fiquei sem chão, não sabia o que fazer, pois não esperava que fosse tão rápido. Foi uma felicidade tremenda que não sei nem explicar”, lembra.

Foi um presente de ano novo. O aposentado se preparava para passar o réveillon com a família, quando recebeu a notícia que lhe daria uma nova vida. Paciente de hemodiálise há quase dois anos, Edivaldo foi informado que um rim compatível o esperava no HGF.

A virada do ano foi um marco na vida de Edivaldo, que deu início a uma nova fase. “Nesse tempo em que passei dialisando vi alguns colegas morrendo por conta da doença, então isso para mim é um presente de Deus operando na minha vida”, agradece.

Edivaldo recebeu alta na última segunda-feira (9). A partir de agora, a rotina de acompanhamento médico será semanal, no ambulatório de transplante do HGF, e de acordo com a evolução do quadro clínico dele, o retorno passará a ser trimestral.

Naquela noite de transplante, além de Edivaldo, outros três pacientes receberam um órgão.