Três dias depois de forte chuva, Bica do Ipu volta a ficar sem água

CACHOEIRA

Três dias depois de forte chuva, Bica do Ipu volta a ficar sem água

Na última sexta-feira (20), o “Véu de Noiva” jorrou e atraiu os moradores para apreciar a beleza natural

Por Jangadeiro FM em Ceará

24 de Janeiro de 2017 às 10:39

Há 1 ano
agua-bica-ipu

A bica voltou a jorrar água na última sexta-feira (20) (FOTO: Ricardo Martins Aragão)

O local estava completamente sem água há 4 meses, desde setembro de 2016, até que na última sexta-feira (20) uma forte chuva de mais de 100 milímetros que banhou a região da Ibiapaba fez com que a cachoeira que tem uma queda d’água de 130 metros de altura voltasse a atrair visitantes, como informa na matéria da Rede Jangadeiro FM.

Mas o Véu de Noiva voltou a ficar escasso novamente na última segunda-feira (23), o que deixou Elisa Pires, cearense que mora no Rio de Janeiro há 23 anos, triste. “Com essa bica tão fraquinha, diferente de antigamente, que era aquele véu caindo lindo, é triste”, declara.

Ieda Lima mora em Quixadá, no sertão central, e logo que soube que a bica estava com água, não perdeu tempo. Foi arrumar as malas e aproveitou para curtir um pouco da beleza do lugar.

Manoel Rodrigues Monteiro é taxista em Ipu há muito tempo. Ele, que está acostumado com a pouca movimentação de turistas no local, acredita que com a chegada da água os negócios possam melhorar. “Tá fraco, não tinha água na bica. Acho que logo mais será animado por aqui”, acredita.

A gestora da área de proteção ambiental da Bica do Ipu, Helaine Matos, explica o motivo de em poucos dias a bica ter ficado quase sem água novamente. Ela lembra que o local também é um indicador ambiental.

“Depois de sexta, as chuvas não foram tão significativas e a gente observa visivelmente o fluxo da água diminuir. Existem cinco comunidades inseridas dentro do entorno da Bica do Ipu, e essas comunidades também utilizam essa água para o plantio, irrigação”, analisa.

A cidade possui ainda projetos para o local, incluindo um teleférico, como conta o chefe de gabinete de Ipu, Sebastião Rufino. “Nós já mantemos contatos sempre com uma empresa italiana que está trazendo esse projeto para cá, já foi feito até estudo”, afirma.

Ipu deixou de fazer parte do mapa dos roteiros turísticos desde julho de 2016, ao lado de quatro outras cidades cearenses como Cascavel, na Região Metropolitana, Granja na Região Norte, Aiuaba no Inhamuns e Jaguaribe.

Esses municípios não recebem mais recursos federais destinados para o turismo, mas a situação de Ipu é ainda mais delicada, já que não possui uma secretaria de turismo, o que dificulta a atração de incentivos financeiros.

Ouça mais: 

Publicidade

Dê sua opinião

CACHOEIRA

Três dias depois de forte chuva, Bica do Ipu volta a ficar sem água

Na última sexta-feira (20), o “Véu de Noiva” jorrou e atraiu os moradores para apreciar a beleza natural

Por Jangadeiro FM em Ceará

24 de Janeiro de 2017 às 10:39

Há 1 ano
agua-bica-ipu

A bica voltou a jorrar água na última sexta-feira (20) (FOTO: Ricardo Martins Aragão)

O local estava completamente sem água há 4 meses, desde setembro de 2016, até que na última sexta-feira (20) uma forte chuva de mais de 100 milímetros que banhou a região da Ibiapaba fez com que a cachoeira que tem uma queda d’água de 130 metros de altura voltasse a atrair visitantes, como informa na matéria da Rede Jangadeiro FM.

Mas o Véu de Noiva voltou a ficar escasso novamente na última segunda-feira (23), o que deixou Elisa Pires, cearense que mora no Rio de Janeiro há 23 anos, triste. “Com essa bica tão fraquinha, diferente de antigamente, que era aquele véu caindo lindo, é triste”, declara.

Ieda Lima mora em Quixadá, no sertão central, e logo que soube que a bica estava com água, não perdeu tempo. Foi arrumar as malas e aproveitou para curtir um pouco da beleza do lugar.

Manoel Rodrigues Monteiro é taxista em Ipu há muito tempo. Ele, que está acostumado com a pouca movimentação de turistas no local, acredita que com a chegada da água os negócios possam melhorar. “Tá fraco, não tinha água na bica. Acho que logo mais será animado por aqui”, acredita.

A gestora da área de proteção ambiental da Bica do Ipu, Helaine Matos, explica o motivo de em poucos dias a bica ter ficado quase sem água novamente. Ela lembra que o local também é um indicador ambiental.

“Depois de sexta, as chuvas não foram tão significativas e a gente observa visivelmente o fluxo da água diminuir. Existem cinco comunidades inseridas dentro do entorno da Bica do Ipu, e essas comunidades também utilizam essa água para o plantio, irrigação”, analisa.

A cidade possui ainda projetos para o local, incluindo um teleférico, como conta o chefe de gabinete de Ipu, Sebastião Rufino. “Nós já mantemos contatos sempre com uma empresa italiana que está trazendo esse projeto para cá, já foi feito até estudo”, afirma.

Ipu deixou de fazer parte do mapa dos roteiros turísticos desde julho de 2016, ao lado de quatro outras cidades cearenses como Cascavel, na Região Metropolitana, Granja na Região Norte, Aiuaba no Inhamuns e Jaguaribe.

Esses municípios não recebem mais recursos federais destinados para o turismo, mas a situação de Ipu é ainda mais delicada, já que não possui uma secretaria de turismo, o que dificulta a atração de incentivos financeiros.

Ouça mais: