Trabalhadores da Siderúrgica do Pecém bloqueiam CE-085 em protesto

Os manifestantes estão em greve há cerca de uma semana, segundo o presidente do Sintepav, Raimundo Nonato

Os trabalhadores que atuam nas obras de construção da usina da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) bloquearam o trecho localizado no quilômetro 40 da CE-085, em São Gonçalo do Amarante, na manhã desta sexta-feira (16), segundo a Polícia Rodoviária Estadual (PRE).

Aproximadamente 250 manifestantes estão em greve há cerca de uma semana, segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Industrias da Construção de Estradas, Pavimentação e Obras de Terraplenagem em Geral no Estado do Ceará (Sintepav) , Raimundo Nonato.

Ele afirma que 2.500 operários estão à frente das obras na Siderúrgica, mas parte da categoria vinculada a uma empresa que presta serviço ao CSP está de braços cruzados desde a última sexta-feira (9). “Eles já estão em greve há uma semana, mas são apenas o trabalhadores vinculados a um determinada empresa, o que representa cerca de 250 operários”, ressalta

Nonato explica que os trabalhadores alegam que o acordo fechado na nova convenção coletiva, que prevê o reajuste salarial entre outras condições de trabalho, não tem sido cumprida.

CSP responde

A Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) esclarece que os trabalhadores que paralisaram as obras em seu canteiro, no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP), estão ligados a uma de suas contratadas, no caso a Construtora CMM.

De acordo com assessoria da CSP, o Sintepav-CE, que está à frente do movimento de paralisação, descumpre liminar expedida pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT-7ª Região), na noite da última quarta-feira, impetrada pelo Sindicato da Construção Civil do Ceará (Sinduscom-CE).

Pela liminar, o Sintepav-CE foi impedido de praticar qualquer ato, inclusive, manifestação e/ou assembleia que impedisse o acesso dos empregados que desejassem trabalhar, bem como a entrada e saída de veículos no site da CSP. Todos os acesos ao site estão liberados.

Ainda segundo a assessoria, do total de empregados da empresa (aproximadamente 160), apenas 22 aderiram à paralisação no dia de hoje. A CSP está acompanhando todos os desdobramentos da paralisação, objetivando a normalização dos trabalhos.

Nota de esclarecimento do Sinduscon-CE 

O Sinduscon-CE informou por meio de nota que a obra que está sendo executada pela construtora associada na Companhia Siderúrgica do Pecém enquadra-se na definição de construção leve e os seus trabalhadores estão sendo regidos pela Convenção Coletiva 2012 da categoria da construção civil.

“Importante esclarecer que estes trabalhadores não são representados pelo Sintepav-CE, sindicato que está à frente do movimento, uma vez que o imposto sindical arrecadado destina-se ao Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil da Região Metropolitana de Fortaleza (STCCRMF), tendo esses esclarecimentos já sido prestados ao Sintepav-CE em reunião realizada esta semana na Procuradoria Regional do Trabalho”.

Além disso, ainda ressaltou que o Sintepav-CE descumpre liminar expedida na noite da quarta-feira (14) pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT-7ª Região), “que determina a abstenção da prática de qualquer ato, inclusive manifestação e/ou assembleia que impeça o acesso dos empregados que desejam trabalhar, bem como a entrada e saída de veículos no site da CSP”.

Dê sua Opinião