Smartphones ficarão até 30% mais baratos antes do Dia das Mães


Smartphones ficarão até 30% mais baratos antes do Dia das Mães

“As empresas vão ter que se virar nos trinta, porque deve crescer a procura”, afirma o Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo

Por Roberta Tavares em Ceará

10 de Abril de 2013 às 09:05

Há 5 anos
Os smartphones ficarão até 30% mais baratos antes do Dia das Mães em todo o Brasil.

Terão direito à desoneração os smartphones com internet em alta velocidade e com valores até R$ 1.500,00 (Foto: Divulgação)

Os smartphones ficarão até 30% mais baratos antes do Dia das Mães em todo o Brasil. A presidente Dilma Roussef assinou decreto publicado no Diário Oficial da União desta terça-feira (9) desonerando os smartphones de Pis/Pasep e Cofins, com uma renúncia de até R$ 500 milhões ao ano.

A desoneração deve levar a uma redução no preço final ao consumidor de até 30% em relação aos smartphones importados, que pagam também IPI. De acordo com os termos do Decreto, terão direito à desoneração os celulares com internet em alta velocidade do tipo smartphone com valores até R$ 1.500,00.

Outro benefício esperado com a desoneração é incentivar a disponibilidade de aparelhos 4G no padrão brasileiro. Atualmente, existem apenas três modelos com 4G no mercado brasileiro.

Características necessárias

Dentre as características técnicas necessárias do celular estão o wi-fi, aplicativo de navegação e de correio eletrônico, sistema operacional que disponibilize kit de desenvolvimento por terceiros, tela igual ou superior a 18 cm², teclado Qwerty e aplicativos desenvolvidos no país, inclusive por terceiros.

Aumento da procura

“As empresas vão ter que se virar nos trinta, porque deve crescer a procura”, afirma o Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. Há, no Brasil, cerca de 65 milhões de pessoas que possuem smartphones. Sem as medidas anunciadas nesta terça-feira, a expectativa do governo era de que, até o final do ano que vem, esse número ficasse entre 130 milhões e 140 milhões. “Com certeza esse número ficará maior [a partir dos benefícios anunciados hoje]”, adiantou Bernardo.

Publicidade

Dê sua opinião

Smartphones ficarão até 30% mais baratos antes do Dia das Mães

“As empresas vão ter que se virar nos trinta, porque deve crescer a procura”, afirma o Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo

Por Roberta Tavares em Ceará

10 de Abril de 2013 às 09:05

Há 5 anos
Os smartphones ficarão até 30% mais baratos antes do Dia das Mães em todo o Brasil.

Terão direito à desoneração os smartphones com internet em alta velocidade e com valores até R$ 1.500,00 (Foto: Divulgação)

Os smartphones ficarão até 30% mais baratos antes do Dia das Mães em todo o Brasil. A presidente Dilma Roussef assinou decreto publicado no Diário Oficial da União desta terça-feira (9) desonerando os smartphones de Pis/Pasep e Cofins, com uma renúncia de até R$ 500 milhões ao ano.

A desoneração deve levar a uma redução no preço final ao consumidor de até 30% em relação aos smartphones importados, que pagam também IPI. De acordo com os termos do Decreto, terão direito à desoneração os celulares com internet em alta velocidade do tipo smartphone com valores até R$ 1.500,00.

Outro benefício esperado com a desoneração é incentivar a disponibilidade de aparelhos 4G no padrão brasileiro. Atualmente, existem apenas três modelos com 4G no mercado brasileiro.

Características necessárias

Dentre as características técnicas necessárias do celular estão o wi-fi, aplicativo de navegação e de correio eletrônico, sistema operacional que disponibilize kit de desenvolvimento por terceiros, tela igual ou superior a 18 cm², teclado Qwerty e aplicativos desenvolvidos no país, inclusive por terceiros.

Aumento da procura

“As empresas vão ter que se virar nos trinta, porque deve crescer a procura”, afirma o Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. Há, no Brasil, cerca de 65 milhões de pessoas que possuem smartphones. Sem as medidas anunciadas nesta terça-feira, a expectativa do governo era de que, até o final do ano que vem, esse número ficasse entre 130 milhões e 140 milhões. “Com certeza esse número ficará maior [a partir dos benefícios anunciados hoje]”, adiantou Bernardo.