R$ 1,6 bilhão: impostos arrecadados nos primeiros meses do ano aumentam em 15%


R$ 1,6 bilhão: impostos arrecadados nos primeiros meses do ano aumentam em 15%

Até as 17h desta segunda-feira (4), o total de impostos arrecadados no estado estava em torno de R$ 1,7 bilhão

Por Jackson Cruz em Ceará

5 de Março de 2013 às 10:54

Há 5 anos

Já foram arrecadados, no Ceará, em torno de R$ 200 milhões de impostos a mais em comparação com os dois primeiros meses de 2012. Isso significa um aumento de cerca de 15% em apenas um ano. Os dados são com base nos cálculos do Impostômetro, que considera todos os valores arrecadados pelas três esferas de governo a título de tributos: impostos, taxas e contribuições, incluindo as multas, juros e correção monetária.

Até essa segunda-feira (4), o total de impostos arrecadados no estado estava em torno de R$ 1,7 bilhão. De acordo com o presidente da Comissão de Direitos Tributários da Ordem dos Advogados do Estado do Ceará (OAB/CE), Pedro Medeiros, o percentual do aumento é expressivo. “O aumento da arrecadação se da por vários motivos. O principal motivo é o aumento de consumo, então provavelmente o consumo aumentou tanto no comércio quanto na indústria”, explicou.

Aumento dos impostos

Para ele, há três fatores que potencializam o resultado: aumento da carga tributária, do salário e do consumo. Segundo Medeiros, a carga tributária aumentou durante o ano, principalmente a federal. “Com certeza o PIB não manteve o crescimento de 15%, provavelmente o que ocorreu foi justamente o aumento da carga tributária, pois só o aumento do consumo e do salario talvez não atingisse esse valor todo”, disse.

Quanto ao aumento do salário e do consumo, Medeiros ressaltou que quanto maior a remuneração, maior o gasto. “O consumo já é reflexo do aumento salarial. Como você ganha mais, tanto paga mais imposto como consome mais”, apontou. Além disso, ele acrescentou que muitas pessoas ainda desconhecem quais impostos são pagos regularmente e ressalta que isso dificulta a realização de uma cobrança mais efetiva.

Com o valor arrecadado no Ceará até esta segunda, confira a lista de ações que poderiam ser realizadas com o total citado acima:

  • Construir mais de 123.180 salas de aula equipadas;
  • Pagar 114 meses a conta de luz de todos os brasileiros;
  • Fornecer mais de 12.142.098 bolsas família;
  • Construir mais de 35.415 postos policiais equipados;
  • Comprar mais de 21.117 ambulâncias equipadas;
  • Construir mais de 18.477 quilômetros de redes de esgoto;
  • Plantar 339.981.429 de árvores;
  • Pagar mais de 2.732.972 salários mínimos;
  • A arrecadação de tributos corresponde a 1.416.595 notebooks;
  • Construir mais de 48.569 casas populares de 40 metros quadrados;
  • Contratar mais de 105.587 policiais por ano;
  • Comprar mais de 849.977 TVs de Led;
  • Comprar mais de 62.961 carros populares;
  • Asfaltar mais de 1.478 quilômetros de estradas;
  • Adquirir mais de 1.545.419 geladeiras simples;
  • Fornecer medicamentos para toda a população do Brasil por 658 meses;
  • Construir mais de 5.903 postos de saúde equipados;
  • Contratar mais de 127.435 professores do ensino fundamental por ano.
Publicidade

Dê sua opinião

R$ 1,6 bilhão: impostos arrecadados nos primeiros meses do ano aumentam em 15%

Até as 17h desta segunda-feira (4), o total de impostos arrecadados no estado estava em torno de R$ 1,7 bilhão

Por Jackson Cruz em Ceará

5 de Março de 2013 às 10:54

Há 5 anos

Já foram arrecadados, no Ceará, em torno de R$ 200 milhões de impostos a mais em comparação com os dois primeiros meses de 2012. Isso significa um aumento de cerca de 15% em apenas um ano. Os dados são com base nos cálculos do Impostômetro, que considera todos os valores arrecadados pelas três esferas de governo a título de tributos: impostos, taxas e contribuições, incluindo as multas, juros e correção monetária.

Até essa segunda-feira (4), o total de impostos arrecadados no estado estava em torno de R$ 1,7 bilhão. De acordo com o presidente da Comissão de Direitos Tributários da Ordem dos Advogados do Estado do Ceará (OAB/CE), Pedro Medeiros, o percentual do aumento é expressivo. “O aumento da arrecadação se da por vários motivos. O principal motivo é o aumento de consumo, então provavelmente o consumo aumentou tanto no comércio quanto na indústria”, explicou.

Aumento dos impostos

Para ele, há três fatores que potencializam o resultado: aumento da carga tributária, do salário e do consumo. Segundo Medeiros, a carga tributária aumentou durante o ano, principalmente a federal. “Com certeza o PIB não manteve o crescimento de 15%, provavelmente o que ocorreu foi justamente o aumento da carga tributária, pois só o aumento do consumo e do salario talvez não atingisse esse valor todo”, disse.

Quanto ao aumento do salário e do consumo, Medeiros ressaltou que quanto maior a remuneração, maior o gasto. “O consumo já é reflexo do aumento salarial. Como você ganha mais, tanto paga mais imposto como consome mais”, apontou. Além disso, ele acrescentou que muitas pessoas ainda desconhecem quais impostos são pagos regularmente e ressalta que isso dificulta a realização de uma cobrança mais efetiva.

Com o valor arrecadado no Ceará até esta segunda, confira a lista de ações que poderiam ser realizadas com o total citado acima:

  • Construir mais de 123.180 salas de aula equipadas;
  • Pagar 114 meses a conta de luz de todos os brasileiros;
  • Fornecer mais de 12.142.098 bolsas família;
  • Construir mais de 35.415 postos policiais equipados;
  • Comprar mais de 21.117 ambulâncias equipadas;
  • Construir mais de 18.477 quilômetros de redes de esgoto;
  • Plantar 339.981.429 de árvores;
  • Pagar mais de 2.732.972 salários mínimos;
  • A arrecadação de tributos corresponde a 1.416.595 notebooks;
  • Construir mais de 48.569 casas populares de 40 metros quadrados;
  • Contratar mais de 105.587 policiais por ano;
  • Comprar mais de 849.977 TVs de Led;
  • Comprar mais de 62.961 carros populares;
  • Asfaltar mais de 1.478 quilômetros de estradas;
  • Adquirir mais de 1.545.419 geladeiras simples;
  • Fornecer medicamentos para toda a população do Brasil por 658 meses;
  • Construir mais de 5.903 postos de saúde equipados;
  • Contratar mais de 127.435 professores do ensino fundamental por ano.