Promoção por bravura deve obedecer leis, explica corporação sobre caso de bombeiros heróis

POLÊMICA

Promoção por bravura deve obedecer leis, explica corporação sobre caso de bombeiros heróis

Apesar de não terem recebido a promoção, os três bombeiros ganharam a principal medalha da corporação

Por Lyvia Rocha em Ceará

7 de julho de 2017 às 15:12

Há 5 meses
O resgate aconteceu em um dia de folga do trio (FOTO: Reprodução/Whatsapp)

O resgate aconteceu em um dia de folga do trio (FOTO: Reprodução/Whatsapp)

Os três bombeiros que participaram do resgate dramático de uma família, que caiu com o carro dentro de um canal na cidade de Morada Nova, em fevereiro, receberam a medalha de bravura Herói João Nogueira Jucá, a maior honraria do Corpo dos Bombeiros do Ceará. Foi o que explicou a assessoria de imprensa da corporação, após matéria do programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, que mostrou que os homens não receberam a prometida promoção por bravura.

Segundo a capitã Juliane Freire, a honraria é tão grande que é concedida apenas uma vez no ano, e nem sempre um bombeiro consegue receber, devido à complexidade que é conseguir a medalha. “Existem vários critérios que precisamos obedecer, honrarias que são previstas na legislação do Corpo dos Bombeiros”, minimizou.

Ainda segundo a capitã, uma comissão foi feita para conceder a medalha aos três militares e ouvir todas as testemunhas que estiveram no caso. Na ocasião, os bombeiros estavam de folga, mas não negaram ajuda a resgatar as vítimas do acidente.

Sobre a não promoção dos três, a capitã afirma que existem leis que decidem sobre as promoções e que, apesar do ato do trio ter sido de muita coragem, eles não ultrapassaram o limite do comum.

De qualquer forma, ela explica que a honraria dá uma grande vantagem para os bombeiros em futuras promoções. “A pontuação deles se fossem promovidos ficaria normal. Mas agora, eles têm 300 pontos a mais dos outros. Ou seja, se eles forem se candidatar, já têm esses números de pontos na frente, já que a promoção aqui é por acúmulo de pontos”, reiterou.

Em entrevista ao Barra Pesada, o presidente da Associação dos Profissionais da Segurança, Reginauro Sousa, afirma que espera a sensibilização do Comando do Corpo de Bombeiros para a promoção dos militares. “Esperamos que possa haver uma sensibilização do Comando, das nossas autoridades e do secretário de Segurança para que, realmente, possamos reverter essa situação, e os nossos militares sejam promovidos naquilo que é do seu direito”, disse.

O caso aconteceu em fevereiro de 2017. O motorista do carro seguia pela CE-138, quando perdeu o controle da direção, e o veículo caiu no Canal da Integração, na cidade de Morada Nova. Dentro do automóvel, estavam dois adultos e duas crianças. Os adultos não resistiram aos ferimentos, já as crianças de 10 anos e 11 meses foram salvas.

Publicidade

Dê sua opinião

POLÊMICA

Promoção por bravura deve obedecer leis, explica corporação sobre caso de bombeiros heróis

Apesar de não terem recebido a promoção, os três bombeiros ganharam a principal medalha da corporação

Por Lyvia Rocha em Ceará

7 de julho de 2017 às 15:12

Há 5 meses
O resgate aconteceu em um dia de folga do trio (FOTO: Reprodução/Whatsapp)

O resgate aconteceu em um dia de folga do trio (FOTO: Reprodução/Whatsapp)

Os três bombeiros que participaram do resgate dramático de uma família, que caiu com o carro dentro de um canal na cidade de Morada Nova, em fevereiro, receberam a medalha de bravura Herói João Nogueira Jucá, a maior honraria do Corpo dos Bombeiros do Ceará. Foi o que explicou a assessoria de imprensa da corporação, após matéria do programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, que mostrou que os homens não receberam a prometida promoção por bravura.

Segundo a capitã Juliane Freire, a honraria é tão grande que é concedida apenas uma vez no ano, e nem sempre um bombeiro consegue receber, devido à complexidade que é conseguir a medalha. “Existem vários critérios que precisamos obedecer, honrarias que são previstas na legislação do Corpo dos Bombeiros”, minimizou.

Ainda segundo a capitã, uma comissão foi feita para conceder a medalha aos três militares e ouvir todas as testemunhas que estiveram no caso. Na ocasião, os bombeiros estavam de folga, mas não negaram ajuda a resgatar as vítimas do acidente.

Sobre a não promoção dos três, a capitã afirma que existem leis que decidem sobre as promoções e que, apesar do ato do trio ter sido de muita coragem, eles não ultrapassaram o limite do comum.

De qualquer forma, ela explica que a honraria dá uma grande vantagem para os bombeiros em futuras promoções. “A pontuação deles se fossem promovidos ficaria normal. Mas agora, eles têm 300 pontos a mais dos outros. Ou seja, se eles forem se candidatar, já têm esses números de pontos na frente, já que a promoção aqui é por acúmulo de pontos”, reiterou.

Em entrevista ao Barra Pesada, o presidente da Associação dos Profissionais da Segurança, Reginauro Sousa, afirma que espera a sensibilização do Comando do Corpo de Bombeiros para a promoção dos militares. “Esperamos que possa haver uma sensibilização do Comando, das nossas autoridades e do secretário de Segurança para que, realmente, possamos reverter essa situação, e os nossos militares sejam promovidos naquilo que é do seu direito”, disse.

O caso aconteceu em fevereiro de 2017. O motorista do carro seguia pela CE-138, quando perdeu o controle da direção, e o veículo caiu no Canal da Integração, na cidade de Morada Nova. Dentro do automóvel, estavam dois adultos e duas crianças. Os adultos não resistiram aos ferimentos, já as crianças de 10 anos e 11 meses foram salvas.