Pagamento do 13º salário do Bolsa Família deve beneficiar 1 milhão de famílias cearenses

BENEFÍCIO

Pagamento do 13º salário do Bolsa Família deve beneficiar 1 milhão de famílias cearenses

Ao todo, 4 milhões de cearenses, ou seja metade da população, vivem na pobreza, com menos de R$ 406 por mês

Por Tribuna Bandnews FM em Ceará

26 de janeiro de 2019 às 07:00

Há 4 semanas

(FOTO: Site Calendário Bolsa Família 2019)

Entre as 35 prioridades para os primeiros 100 dias do Governo Federal, a concessão do 13º salário do Bolsa Família deve ser viabilizada pelo Ministério da Cidadania no final do ano. Se fosse pago agora, no Ceará, a medida impactaria pelo menos 1,046 milhão de famílias que recebem o benefício com valor médio de R$ 188,10.

A maior parte dos beneficiados é do interior do Estado: são 844 mil famílias.

Por mês, o pagamento do programa de transferência de renda custa no Estado quase R$ 197 milhões, com recursos do orçamento da União. De acordo com o professor do doutorado em Economia Rural da Universidade Federal do Ceará Jair Andrade Araújo, a ampliação do programa vai beneficiar mais a população rural e os municípios cearenses mais pobres.

“Esse programa pode contribuir para a redução da desigualdade de renda. Como ele aumenta a renda das famílias pelo recebimento do 13º, ele pode contribuir para a diminuição da desigualdade de renda das famílias cearenses, principalmente nas zonas rurais. Ele pode contribuir para dinamizar a economia desses diferentes municípios, a medida que os indivíduos vão demandar mais alimentos pra suprir as necessidades e o aumento da renda em si, contribuindo para melhorar as condições de vida da população tanto no meio urbano quanto no meio rural”, explicou o professor.

De acordo com dados do IBGE, 4 milhões de cearenses, ou seja metade da população, vivem na pobreza, com menos de R$ 406 por mês. Já o número de habitantes cearenses que vivem em pobreza extrema, com menos de R$ 140 por mês, supera 1,250 milhão.

Com as mais de 1,046 milhão de famílias recebendo o 13º do Bolsa Família, o especialista avalia que a economia do Estado, especialmente do interior, vai ser dinamizada, por conta da maior demanda de alimentos.

“O que se observa é que nesses municípios que têm o percentual maior de famílias recebendo do Bolsa Família, ocorre o aumento da demanda desses alimentos. Obviamente, quando se aumenta a demanda por alimentos, você tem uma dinâmica diferente no comércio nesses municípios e nessas comunidades pobres”, explicou.

Entre outras medidas do Governo federal que podem beneficiar o Ceará, estão a implantação de um plano nacional de segurança hídrica e de um Centro de Testes de Tecnologia de Dessalinização, além do estímulo à agricultura familiar.

Publicidade

Dê sua opinião

BENEFÍCIO

Pagamento do 13º salário do Bolsa Família deve beneficiar 1 milhão de famílias cearenses

Ao todo, 4 milhões de cearenses, ou seja metade da população, vivem na pobreza, com menos de R$ 406 por mês

Por Tribuna Bandnews FM em Ceará

26 de janeiro de 2019 às 07:00

Há 4 semanas

(FOTO: Site Calendário Bolsa Família 2019)

Entre as 35 prioridades para os primeiros 100 dias do Governo Federal, a concessão do 13º salário do Bolsa Família deve ser viabilizada pelo Ministério da Cidadania no final do ano. Se fosse pago agora, no Ceará, a medida impactaria pelo menos 1,046 milhão de famílias que recebem o benefício com valor médio de R$ 188,10.

A maior parte dos beneficiados é do interior do Estado: são 844 mil famílias.

Por mês, o pagamento do programa de transferência de renda custa no Estado quase R$ 197 milhões, com recursos do orçamento da União. De acordo com o professor do doutorado em Economia Rural da Universidade Federal do Ceará Jair Andrade Araújo, a ampliação do programa vai beneficiar mais a população rural e os municípios cearenses mais pobres.

“Esse programa pode contribuir para a redução da desigualdade de renda. Como ele aumenta a renda das famílias pelo recebimento do 13º, ele pode contribuir para a diminuição da desigualdade de renda das famílias cearenses, principalmente nas zonas rurais. Ele pode contribuir para dinamizar a economia desses diferentes municípios, a medida que os indivíduos vão demandar mais alimentos pra suprir as necessidades e o aumento da renda em si, contribuindo para melhorar as condições de vida da população tanto no meio urbano quanto no meio rural”, explicou o professor.

De acordo com dados do IBGE, 4 milhões de cearenses, ou seja metade da população, vivem na pobreza, com menos de R$ 406 por mês. Já o número de habitantes cearenses que vivem em pobreza extrema, com menos de R$ 140 por mês, supera 1,250 milhão.

Com as mais de 1,046 milhão de famílias recebendo o 13º do Bolsa Família, o especialista avalia que a economia do Estado, especialmente do interior, vai ser dinamizada, por conta da maior demanda de alimentos.

“O que se observa é que nesses municípios que têm o percentual maior de famílias recebendo do Bolsa Família, ocorre o aumento da demanda desses alimentos. Obviamente, quando se aumenta a demanda por alimentos, você tem uma dinâmica diferente no comércio nesses municípios e nessas comunidades pobres”, explicou.

Entre outras medidas do Governo federal que podem beneficiar o Ceará, estão a implantação de um plano nacional de segurança hídrica e de um Centro de Testes de Tecnologia de Dessalinização, além do estímulo à agricultura familiar.