Moradores de Independência sofrem com água barrenta e abastecimento irregular

ÁGUA BARRENTA

Moradores de Independência sofrem com água barrenta e abastecimento irregular

O jeito encontrado pela população da cidade é comprar água de municípios vizinhos para poder cozinhar e beber

Por Daniel Rocha em Ceará

27 de dezembro de 2017 às 07:00

Há 4 meses

Os moradores estão comprando água para poder consumir (FOTO: Reprodução/WhatsApp)

Os moradores do município de Independência, a 300 km de distância de Fortaleza, estão com problemas de abastecimento de água. De acordo com eles, a água está saindo com uma cor amarela e, em alguns dias, com um odor forte.

Além disso, há um período do dia em que algumas residências ficam sem acesso ao abastecimento de água. Devido a qualidade, a opção encontrada pelos moradores foi comprar garrafões para poder ter água para cozinhar e consumir.

“A gente lava a roupa com a água porque é o jeito. Roupa branca não fica mais branca. Sai amarela”, relata a agricultora Terezinha Ribeiro.

Para driblar a situação, ela compra garrafões de água para poder cozinhar e beber. Entretanto, a utiliza para tomar banho e irrigar a sua plantação. “Eu estou utilizando para tomar banho, limpar a casa e na plantação. Às vezes, ela sai com um cheiro forte”, explica.

Além do problema da qualidade, a residência de Terezinha também sofre com o abastecimento irregular. De acordo com ela, há dias que não há água nos períodos da manhã ou nos períodos da tarde. “Às vezes falta pela manhã por volta das 10h30 e à tarde às 15h. O abastecimento volta somente à noite ou só no outro dia”, ressalta.

A situação é mais delicada para quem trabalha como produtos alimentícios. É o caso de Expedito Oriel, que junto com a sua esposa produz bolos para vender. A alternativa encontrada pelo casal foi a mesma de Terezinha. Eles compram garrafões de 20 litros para poder atender a demanda.

“É uma despesa a mais que temos que arcar. A gente compra um garrafão de 20 litros por R$ 5, sendo que utilizamos por dia cerca de 80 litros”, explica Expedito. No total, para poder produzir os bolos, o casal precisa desembolsar todos os dias R$ 20 para comprar água. “Um garrafão não dá para nada”, ressalta.

Em nota, a Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) explica que a ocorrência foi causada por conta do açude Jaburu II, responsável por abastecer o município, ter atingido o volume morte devido as faltas de chuvas. O órgão acrescentou que está buscando água no subsolo e realizando ajustes para solucionar o caso até o próximo domingo (31).

“A companhia informa ainda que para solucionar as ocorrências de intermitência na distribuição de água da cidade, está concluindo até amanhã (28), a instalação de poços na zona urbana do município, e que está empreendendo esforços para continuar garantindo o abastecimento de Independência mesmo diante do volume morto do Jaburu II. Dentre as medidas, captação de água do subsolo por meio de ponteiras de rebaixamento e instalação de oito novos poços”, informou a nota.

Publicidade

Dê sua opinião

ÁGUA BARRENTA

Moradores de Independência sofrem com água barrenta e abastecimento irregular

O jeito encontrado pela população da cidade é comprar água de municípios vizinhos para poder cozinhar e beber

Por Daniel Rocha em Ceará

27 de dezembro de 2017 às 07:00

Há 4 meses

Os moradores estão comprando água para poder consumir (FOTO: Reprodução/WhatsApp)

Os moradores do município de Independência, a 300 km de distância de Fortaleza, estão com problemas de abastecimento de água. De acordo com eles, a água está saindo com uma cor amarela e, em alguns dias, com um odor forte.

Além disso, há um período do dia em que algumas residências ficam sem acesso ao abastecimento de água. Devido a qualidade, a opção encontrada pelos moradores foi comprar garrafões para poder ter água para cozinhar e consumir.

“A gente lava a roupa com a água porque é o jeito. Roupa branca não fica mais branca. Sai amarela”, relata a agricultora Terezinha Ribeiro.

Para driblar a situação, ela compra garrafões de água para poder cozinhar e beber. Entretanto, a utiliza para tomar banho e irrigar a sua plantação. “Eu estou utilizando para tomar banho, limpar a casa e na plantação. Às vezes, ela sai com um cheiro forte”, explica.

Além do problema da qualidade, a residência de Terezinha também sofre com o abastecimento irregular. De acordo com ela, há dias que não há água nos períodos da manhã ou nos períodos da tarde. “Às vezes falta pela manhã por volta das 10h30 e à tarde às 15h. O abastecimento volta somente à noite ou só no outro dia”, ressalta.

A situação é mais delicada para quem trabalha como produtos alimentícios. É o caso de Expedito Oriel, que junto com a sua esposa produz bolos para vender. A alternativa encontrada pelo casal foi a mesma de Terezinha. Eles compram garrafões de 20 litros para poder atender a demanda.

“É uma despesa a mais que temos que arcar. A gente compra um garrafão de 20 litros por R$ 5, sendo que utilizamos por dia cerca de 80 litros”, explica Expedito. No total, para poder produzir os bolos, o casal precisa desembolsar todos os dias R$ 20 para comprar água. “Um garrafão não dá para nada”, ressalta.

Em nota, a Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) explica que a ocorrência foi causada por conta do açude Jaburu II, responsável por abastecer o município, ter atingido o volume morte devido as faltas de chuvas. O órgão acrescentou que está buscando água no subsolo e realizando ajustes para solucionar o caso até o próximo domingo (31).

“A companhia informa ainda que para solucionar as ocorrências de intermitência na distribuição de água da cidade, está concluindo até amanhã (28), a instalação de poços na zona urbana do município, e que está empreendendo esforços para continuar garantindo o abastecimento de Independência mesmo diante do volume morto do Jaburu II. Dentre as medidas, captação de água do subsolo por meio de ponteiras de rebaixamento e instalação de oito novos poços”, informou a nota.