Justiça nega liberdade à universitária que atropelou e matou três pessoas


Justiça nega liberdade à universitária que atropelou e matou três pessoas

A Justiça cearense negou, nesta terça-feira (10), pedido de habeas corpus à universitária Amanda Cruz da Silva, acusada de atropelar e matar três pessoas, entre elas um bebê e um idoso no dia 17 de março deste ano em Fortaleza

Por Felipe Lima e Thamiris Treigher em Ceará

11 de julho de 2012 às 07:08

Há 6 anos

A Justiça cearense negou, nesta terça-feira (10), pedido de habeas corpus à universitária Amanda Cruz da Silva, acusada de atropelar e matar três pessoas, entre elas um bebê e um idoso. O crime ocorreu no dia 17 de março deste ano, na avenida Deputado Paulino Rocha, em Fortaleza.

De acordo com o processo, Amanda trafegava pela via, quando perdeu o controle do veículo e atingiu Marcilene Silva Maia, de 17 anos, a filha dela, Ana Rafaela da Silva Maia, de um ano e sete meses, e Alex Nascimento de Sousa. Os três não resistiram aos ferimentos.

Em depoimento, Amanda alegou que perdeu a direção do carro ao tentar desviar de um buraco na pista. Os advogados de defesa ingressaram com pedido de habeas corpus no Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), alegando que não há fundamentação da prisão e que a ré possui bons antecedentes.

O desembargador Francisco Pedrosa Teixeira, no entanto, negou o pedido.“As condições pessoais, mesmo que favoráveis à soltura, não elidem, necessariamente, a decretação ou manutenção da prisão cautelar, bem como não autorizam automaticamente a concessão da liberdade provisória”, alegou.

Atualmente, Amanda Cruz está detida no Instituto Penal Feminino Desembargadora Auri Moura Costa, em Aquiraz, Região Metropolitana de Fortaleza.

Publicidade

Dê sua opinião

Justiça nega liberdade à universitária que atropelou e matou três pessoas

A Justiça cearense negou, nesta terça-feira (10), pedido de habeas corpus à universitária Amanda Cruz da Silva, acusada de atropelar e matar três pessoas, entre elas um bebê e um idoso no dia 17 de março deste ano em Fortaleza

Por Felipe Lima e Thamiris Treigher em Ceará

11 de julho de 2012 às 07:08

Há 6 anos

A Justiça cearense negou, nesta terça-feira (10), pedido de habeas corpus à universitária Amanda Cruz da Silva, acusada de atropelar e matar três pessoas, entre elas um bebê e um idoso. O crime ocorreu no dia 17 de março deste ano, na avenida Deputado Paulino Rocha, em Fortaleza.

De acordo com o processo, Amanda trafegava pela via, quando perdeu o controle do veículo e atingiu Marcilene Silva Maia, de 17 anos, a filha dela, Ana Rafaela da Silva Maia, de um ano e sete meses, e Alex Nascimento de Sousa. Os três não resistiram aos ferimentos.

Em depoimento, Amanda alegou que perdeu a direção do carro ao tentar desviar de um buraco na pista. Os advogados de defesa ingressaram com pedido de habeas corpus no Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), alegando que não há fundamentação da prisão e que a ré possui bons antecedentes.

O desembargador Francisco Pedrosa Teixeira, no entanto, negou o pedido.“As condições pessoais, mesmo que favoráveis à soltura, não elidem, necessariamente, a decretação ou manutenção da prisão cautelar, bem como não autorizam automaticamente a concessão da liberdade provisória”, alegou.

Atualmente, Amanda Cruz está detida no Instituto Penal Feminino Desembargadora Auri Moura Costa, em Aquiraz, Região Metropolitana de Fortaleza.