Historiador compara período de estiagem atual com a seca do 15
TEMPOS DIFÍCEIS

Historiador compara período de estiagem atual com a Seca do Quinze

Atualmente o Ceará apresenta o pior resultado de volume de água dos últimos 23 anos, com 9,5% do total

Por Jangadeiro FM em Ceará

10 de setembro de 2016 às 06:45

Há 7 meses
Ceará apresenta o pior resultado de volume de água dos últimos 23 anos. (FOTO: arquivo Tribuna do Ceará)

Ceará apresenta o pior resultado de volume de água dos últimos 23 anos. (FOTO: arquivo Tribuna do Ceará)

Em tempos de seca, que persiste há 5 anos, é inevitável a lembrança da Seca do Quinze, eternizada no livro da escritora Rachel de Queiroz. Ela ilustrou em seu livro a seca que assolou o Ceará em 1915. Mais de 100 anos após a tragédia, a seca volta a atormentar os cearenses. O professor e escritor Airton de Farias nos ajuda a lembrar aquele momento histórico.

Talvez não se vê mais gente deixar suas casas no sertão para viajar ao norte, sudeste ou até mesmo retirantes rumo à capital cearense em busca de sustento por causa da seca. Mas a comparação entre 1915 e os dias atuais é inevitável para quem guarda na memória as histórias contadas pelos pais ou avós sobre aquele tempo.

Atualmente o Ceará apresenta o pior resultado de volume de água dos últimos 23 anos. Os açudes cearenses contam com apenas 9,5% da capacidade total. Se nos dias atuais o governo propõe como enfrentamento à seca a construção de adutoras de montagem rápida, perfuração e instalação de poços, na seca do 15 as autoridades demoraram a agir em favor do sertanejo.

O relatório do governo em 1916, ano seguinte à seca, relata que cerca de 70 mil pessoas saíram de suas cidades do interior do Ceará. Na época, em torno de 27 mil pessoas faleceram.

Confira na reportagem de João Ricart para a Rede Jangadeiro FM:

Publicidade

Dê sua opinião

TEMPOS DIFÍCEIS

Historiador compara período de estiagem atual com a Seca do Quinze

Atualmente o Ceará apresenta o pior resultado de volume de água dos últimos 23 anos, com 9,5% do total

Por Jangadeiro FM em Ceará

10 de setembro de 2016 às 06:45

Há 7 meses
Ceará apresenta o pior resultado de volume de água dos últimos 23 anos. (FOTO: arquivo Tribuna do Ceará)

Ceará apresenta o pior resultado de volume de água dos últimos 23 anos. (FOTO: arquivo Tribuna do Ceará)

Em tempos de seca, que persiste há 5 anos, é inevitável a lembrança da Seca do Quinze, eternizada no livro da escritora Rachel de Queiroz. Ela ilustrou em seu livro a seca que assolou o Ceará em 1915. Mais de 100 anos após a tragédia, a seca volta a atormentar os cearenses. O professor e escritor Airton de Farias nos ajuda a lembrar aquele momento histórico.

Talvez não se vê mais gente deixar suas casas no sertão para viajar ao norte, sudeste ou até mesmo retirantes rumo à capital cearense em busca de sustento por causa da seca. Mas a comparação entre 1915 e os dias atuais é inevitável para quem guarda na memória as histórias contadas pelos pais ou avós sobre aquele tempo.

Atualmente o Ceará apresenta o pior resultado de volume de água dos últimos 23 anos. Os açudes cearenses contam com apenas 9,5% da capacidade total. Se nos dias atuais o governo propõe como enfrentamento à seca a construção de adutoras de montagem rápida, perfuração e instalação de poços, na seca do 15 as autoridades demoraram a agir em favor do sertanejo.

O relatório do governo em 1916, ano seguinte à seca, relata que cerca de 70 mil pessoas saíram de suas cidades do interior do Ceará. Na época, em torno de 27 mil pessoas faleceram.

Confira na reportagem de João Ricart para a Rede Jangadeiro FM: