#Fortaleza291Anos: Relembre o dia em que nem o sol escapou da vaia cearense
CEARÁ MOLEQUE

#Fortaleza291Anos: Relembre o dia em que nem o sol escapou da vaia cearense

A série “Que História É Essa?”, da Rádio Tribuna BandNews FM, relembra um dia histórico de 1942, que a Praça do Ferreira vaiou o sol

Por Tribuna Bandnews FM em Ceará

13 de abril de 2017 às 07:00

Há 3 meses

Era dia 30 de janeiro de 1942, os frequentadores da Praça do Ferreira, vaiaram o sol, que não aparecia há dois dias (FOTO: Ana Clara Jovino/Tirbuna do Ceará)

A Rádio Tribuna Band News FM está contando histórias curiosas sobre o aniversário dessa Fortaleza acolhedora e com jeito de moleque. A primeira da série “Que História É Essa?” é justamente sobre a irreverência cearense.

Era início da tarde do dia 30 de janeiro de 1942, quando os frequentadores da Praça do Ferreira, no Centro da Capital, vaiaram o sol, que não aparecia há dois dias.

Marcelo Holanda relembra o dia em que o sol foi vaiado. Ele conta que tudo começou na primeira metade do século XX, quando tinha em Fortaleza uma revista chamada “A Jandaia”, que criou um termo que vai ser marcante, que sintetiza o jeito de ser do cearense, o “Ceará Moleque”.

Ele revela que o espaço onde essa molecagem se apresentava era o Centro, principalmente na Praça do Ferreira, pois era onde desfilavam os tipos mais pitorescos, onde as piadas e os apelidos aconteciam e qualquer elemento que quebrasse a normalidade do espaço urbana podia ser alvo das gargalhadas e também ser motivo de vaias.

Nem mesmo o sol escapou da famosa vaia cearense. “Depois de mais uma seca que tanto maltratava o povo cearense, eis que a chuva chega e chega por vários dias. O momento em que ela começa a se dissipar, o sol vem aparecendo entre nuvens, de maneira lá bem tímida e uma aglomeração se forma, de maneira espontânea, só esperando o astro rei dar as caras e no instante em que, de forma inclemente ele se apresenta, tome vaia! A gente conhece bem o jeito cearense de vaiar”, relata.

Saiba os detalhes da história no áudio da Tribuna Band News FM:
Publicidade

Dê sua opinião

CEARÁ MOLEQUE

#Fortaleza291Anos: Relembre o dia em que nem o sol escapou da vaia cearense

A série “Que História É Essa?”, da Rádio Tribuna BandNews FM, relembra um dia histórico de 1942, que a Praça do Ferreira vaiou o sol

Por Tribuna Bandnews FM em Ceará

13 de abril de 2017 às 07:00

Há 3 meses

Era dia 30 de janeiro de 1942, os frequentadores da Praça do Ferreira, vaiaram o sol, que não aparecia há dois dias (FOTO: Ana Clara Jovino/Tirbuna do Ceará)

A Rádio Tribuna Band News FM está contando histórias curiosas sobre o aniversário dessa Fortaleza acolhedora e com jeito de moleque. A primeira da série “Que História É Essa?” é justamente sobre a irreverência cearense.

Era início da tarde do dia 30 de janeiro de 1942, quando os frequentadores da Praça do Ferreira, no Centro da Capital, vaiaram o sol, que não aparecia há dois dias.

Marcelo Holanda relembra o dia em que o sol foi vaiado. Ele conta que tudo começou na primeira metade do século XX, quando tinha em Fortaleza uma revista chamada “A Jandaia”, que criou um termo que vai ser marcante, que sintetiza o jeito de ser do cearense, o “Ceará Moleque”.

Ele revela que o espaço onde essa molecagem se apresentava era o Centro, principalmente na Praça do Ferreira, pois era onde desfilavam os tipos mais pitorescos, onde as piadas e os apelidos aconteciam e qualquer elemento que quebrasse a normalidade do espaço urbana podia ser alvo das gargalhadas e também ser motivo de vaias.

Nem mesmo o sol escapou da famosa vaia cearense. “Depois de mais uma seca que tanto maltratava o povo cearense, eis que a chuva chega e chega por vários dias. O momento em que ela começa a se dissipar, o sol vem aparecendo entre nuvens, de maneira lá bem tímida e uma aglomeração se forma, de maneira espontânea, só esperando o astro rei dar as caras e no instante em que, de forma inclemente ele se apresenta, tome vaia! A gente conhece bem o jeito cearense de vaiar”, relata.

Saiba os detalhes da história no áudio da Tribuna Band News FM: