Férias no Ceará: trilhas ecológicas para quem gosta de aventura

O grupo que quiser se aventurar é importante procurar o acompanhamento de guias com o cursos de condutores realizado pela Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (Abeta)

Para quem gosta de natureza e se divertir com os amigos, a dica nestas férias é se aventurar em trilhas ecológicas. No Ceará, o Parque Nacional de Ubajara, distante 340 quilômetros de Fortaleza, é uma das melhores opções para quem quiser explorar a natureza. De acordo com o guia e coordenador do grupo Bichos do Mato, Michel Calvet, o parque tem diversas trilhas bem sinalizadas e com estruturas que tornam a trilha muito interessante como, por exemplo, um mirante suspenso, cachoeiras e a gruta.

Para quem não quiser ir muito longe, em Fortaleza, as serras da Aratanha (popularmente conhecida como Pacatuba) e Maranguape são as mais indicadas por causa da segurança e da preservação ambiental. “Nestes locais as trilhas não são demarcadas e, por isso, é necessário a presença de guias. Nestes locais também são encontradas muitos mirantes e banhos de rios e cachoeiras”, informou Calvet.

O Mirante Pedra Rajada, em Maranguape, por exemplo é um dos pontos mais altos da região com 920 metros. Para chegar lá é preciso fazer uma trilha mais difícil e mais longa com mais de 12km de trechos radicais.

Segundo Calvet, fazer trilhas é uma atividade para os amantes da natureza. “A alegria das pessoas quando conhecem locais tão próximos de Fortaleza e quase intocados é muito intensa. A beleza de uma trilha está em cada canto. As vezes é um mirante com uma ampla vista ou simplesmente uma flor ou animal na mata”, disse Calvet. Ainda de acordo com o guia, a adrenalina também existe nas trilhas mais radicais. “Alguns roteiros exigem muito esforço e grandes dificuldades. Alguns superam o medo, outros superam o cansaço, mas ao final quando atingem o objetivo se sentem realizados”, finalizou.

>> Férias no Ceará: mergulho e aventura em baixo d’água <<

Orientações

Para quem quiser começar a fazer trilhas nestas férias, é preciso adquirir alguns equipamentos fundamentais como tênis, roupas leves e mochila. Mas existem equipamentos especiais como tênis ou botas específicas para trilhas que possuem o solados mais resistentes e prontos para qualquer terreno, roupas mais leves e de secagem rápida, mochilas apropriadas que oferecem mais conforto, repelentes, etc.

Na verdade o fator limitante para fazer uma trilha não é a idade, e sim o condicionamento físico do aventureiro. “Uma trilha leve, com percurso curto e sem muitos obstáculos pode ser feita por qualquer pessoa. Já as mais longas e com subidas fortes necessitam de um bom condicionamento físico”, disse o guia Calvet.

Antes de cada trilha, a alimentação deve ser leve, nutritiva, e ter muito líquido. Cada lanche de trilha deve ser pensado de acordo com o tempo que se gastará na trilha e o nível de esforço para que você se mantenha sempre bem alimentado. Outro dado importante é que toda trilha é uma atividade que exige esforço físico e o ideal para se praticar é não estar sedentário. Por isso é importante se você quer começar a fazer trilhas que procure um médico para saber suas reais capacidades físicas.

Fotos: Bichos do Mato

>> Férias no Ceará: Pacatuba disponibiliza diversão radical junto à natureza <<

Segurança

Em Fortaleza, o grupo Bichos do Mato organiza trilhas ecológicas há mais de 15 anos. O fundador e guia, Michel Calvet, alerta sobre a importância de realizar trilhas com segurança. “O melhor procedimento é a prevenção. Para cada trilha passamos um detalhamento do percurso e os graus de dificuldade aos participantes. Também enfatizamos as regras como: não andar fora da trilha, não subir em árvores ou pedras, não nanar ou saltar em rios e sempre obedecer as orientações dos guias. O grupo também sempre sai com material básico de socorros para pequenas contusões e ferimentos”, completou.

É importante que o grupo que quiser se aventurar nas trilhas sempre procure o acompanhamento de guias com o cursos de condutores de trilha realizado pela Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (Abeta). Durante o passeio os guias devem estar equipados com rádios e celulares. Michel Calvet orienta que as serras próximas de Fortaleza facilita na agilidade dos guias em caso de um resgate.

Para as trilhas realizadas pelo Grupo Bicho do Mato, saem grupos de 15 a 30 participantes, geralmente aos domingos. Para organizar sua trilha ligue: (85)9263.7023

 

Dê sua Opinião