Férias no Ceará: Pacatuba disponibiliza diversão radical junto a natureza


Férias no Ceará: Pacatuba disponibiliza diversão radical junto à natureza

Esta matéria é a primeira de uma série direcionada a locais no Ceará ideais para a prática de esportes radicais

Por Matheus Ribeiro em Ceará

29 de novembro de 2012 às 19:16

Há 6 anos

Para quem gosta de natureza, e ao mesmo tempo, de esportes radicais, o município de Pacatuba, distante 32 quilômetros de Fortaleza, é o lugar ideal para se divertir nestas férias. Entre as opções radicais está o voo de parapente e asa delta, trilhas e a tirolesa, considerada a maior do Ceará e a 2ª maior do Nordeste.

Em meio a trilhas ecológicas, cachoeiras e piscinas naturais, no alto da Serra da Aratanha, é comum ver pessoas praticando voo livre, um esporte radical que está em expansão no estado. Segundo o presidente da Federação de Voo Livre do Estado do Ceará, Guy Almeida, as pessoas preferem o pico da Pacatuba por proporcionar o melhor visual de todo o estado. “Do alto se vê Fortaleza, Caucaia, Morro Branco, Icaraí e outras regiões cearenses. Os ventos são perfeitos para o parapente e asa delta”, informou Guy.

De acordo com o piloto Jamil Sales, cerca de 60 pessoas frequentam a pista de voo por semana. Os voos acontecem todos os dias da semana, incluindo sábados e domingos. “Tanto pilotos quanto iniciantes gostam do pico da Pacatuba. O local é favorecido pelos ventos alísios e a velocidade de voo é de cerca de 25 quilômetros por hora”, informou Jamil.

Como fazer para praticar voo livre

Para os que ficaram interessados em praticar o voo na Serra da Aratanha, Jamil explica que o custo do salto duplo, no qual se voa com um instrutor, é de R$ 150,00. “Normalmente o passeio demora de 20 a 30 minutos, podendo se prolongar ou diminuir dependendo das condições de voo. A idade mínima para voar é de 12 anos, com autorização dos pais, e não há limite de idade. Porém, o voo não é indicado para quem tem hipertensão, problemas cardíacos e labirintite”, pontuou.

Quem quiser aprender a pilotar, o curso tem duração de três meses, com valor aproximado de R$ 1.500. O custo do equipamento varia de R$ 5 a 10 mil. Jamil alertou que tanto para pilotos experientes, quanto para iniciantes, o uso de equipamentos de segurança é indispensável.

Em 2010 a rampa de Pacatuba foi recorde em números de voos registrados no Brasil, com quase 800 saltos. Para chegar até a rampa, o aventureiro pode optar por subir a serra por uma trilha a pé ou de carro 4×4. “A distância para a rampa pela pista de acesso motorizado é de 1,5 quilômetro”, disse o Secretário de Turismo e Cultura de Pacatuba, Emanuel Monteiro.

Pacatuba 1
Pacatuba 2
Pacatuba 3
Pacatuba 4
Pacatuba 5
Pacatuba 6

Fotos: Divulgação

Piscina natural

Para quem gosta de estar em contato com a natureza, a dica é subir a serra a pé por trilhas, e se refrescar em piscinas naturais e cascatas que ficam no cume da Serra da Aratanha. Lá em cima o aventureiro encontra também o balneário Parque das Andreas e o Complexo Ecoturístico Apoena Park, sendo este a última área com vegetação da Mata Atlântica no Ceará. No Complexo, o aventureiro encontra a tirolesa “Assombrosa”, considerada a maior tirolesa do Ceará e a segunda maior do Nordeste com 330 metros de extensão.

Trilhas

Para quem gosta de história, a dica é fazer a trilha do Boaçu, pois durante a caminhada os visitantes irão se deparar com inscrições rupestres, e no final de três horas de caminhada poderão se refrescar na lagoa do Boaçu. Como continuação da trilha do Boaçu, o visitante pode escolher entre a trilha do Letreiro e a trilha do Cetref, onde após 6 km de caminhada encontrarão uma piscina com águas naturais.

O Secretário de Turismo alerta que é importante que as trilhas sejam realizadas com o acompanhamento de guias da associação local, para evitar que os visitantes se percam durante as caminhadas.

Publicidade

Dê sua opinião

Férias no Ceará: Pacatuba disponibiliza diversão radical junto à natureza

Esta matéria é a primeira de uma série direcionada a locais no Ceará ideais para a prática de esportes radicais

Por Matheus Ribeiro em Ceará

29 de novembro de 2012 às 19:16

Há 6 anos

Para quem gosta de natureza, e ao mesmo tempo, de esportes radicais, o município de Pacatuba, distante 32 quilômetros de Fortaleza, é o lugar ideal para se divertir nestas férias. Entre as opções radicais está o voo de parapente e asa delta, trilhas e a tirolesa, considerada a maior do Ceará e a 2ª maior do Nordeste.

Em meio a trilhas ecológicas, cachoeiras e piscinas naturais, no alto da Serra da Aratanha, é comum ver pessoas praticando voo livre, um esporte radical que está em expansão no estado. Segundo o presidente da Federação de Voo Livre do Estado do Ceará, Guy Almeida, as pessoas preferem o pico da Pacatuba por proporcionar o melhor visual de todo o estado. “Do alto se vê Fortaleza, Caucaia, Morro Branco, Icaraí e outras regiões cearenses. Os ventos são perfeitos para o parapente e asa delta”, informou Guy.

De acordo com o piloto Jamil Sales, cerca de 60 pessoas frequentam a pista de voo por semana. Os voos acontecem todos os dias da semana, incluindo sábados e domingos. “Tanto pilotos quanto iniciantes gostam do pico da Pacatuba. O local é favorecido pelos ventos alísios e a velocidade de voo é de cerca de 25 quilômetros por hora”, informou Jamil.

Como fazer para praticar voo livre

Para os que ficaram interessados em praticar o voo na Serra da Aratanha, Jamil explica que o custo do salto duplo, no qual se voa com um instrutor, é de R$ 150,00. “Normalmente o passeio demora de 20 a 30 minutos, podendo se prolongar ou diminuir dependendo das condições de voo. A idade mínima para voar é de 12 anos, com autorização dos pais, e não há limite de idade. Porém, o voo não é indicado para quem tem hipertensão, problemas cardíacos e labirintite”, pontuou.

Quem quiser aprender a pilotar, o curso tem duração de três meses, com valor aproximado de R$ 1.500. O custo do equipamento varia de R$ 5 a 10 mil. Jamil alertou que tanto para pilotos experientes, quanto para iniciantes, o uso de equipamentos de segurança é indispensável.

Em 2010 a rampa de Pacatuba foi recorde em números de voos registrados no Brasil, com quase 800 saltos. Para chegar até a rampa, o aventureiro pode optar por subir a serra por uma trilha a pé ou de carro 4×4. “A distância para a rampa pela pista de acesso motorizado é de 1,5 quilômetro”, disse o Secretário de Turismo e Cultura de Pacatuba, Emanuel Monteiro.

Pacatuba 1
Pacatuba 2
Pacatuba 3
Pacatuba 4
Pacatuba 5
Pacatuba 6

Fotos: Divulgação

Piscina natural

Para quem gosta de estar em contato com a natureza, a dica é subir a serra a pé por trilhas, e se refrescar em piscinas naturais e cascatas que ficam no cume da Serra da Aratanha. Lá em cima o aventureiro encontra também o balneário Parque das Andreas e o Complexo Ecoturístico Apoena Park, sendo este a última área com vegetação da Mata Atlântica no Ceará. No Complexo, o aventureiro encontra a tirolesa “Assombrosa”, considerada a maior tirolesa do Ceará e a segunda maior do Nordeste com 330 metros de extensão.

Trilhas

Para quem gosta de história, a dica é fazer a trilha do Boaçu, pois durante a caminhada os visitantes irão se deparar com inscrições rupestres, e no final de três horas de caminhada poderão se refrescar na lagoa do Boaçu. Como continuação da trilha do Boaçu, o visitante pode escolher entre a trilha do Letreiro e a trilha do Cetref, onde após 6 km de caminhada encontrarão uma piscina com águas naturais.

O Secretário de Turismo alerta que é importante que as trilhas sejam realizadas com o acompanhamento de guias da associação local, para evitar que os visitantes se percam durante as caminhadas.