Feira no Rio de Janeiro abraça movimento contra assassinato da travesti Dandara
CASO DANDARA

Feira no Rio de Janeiro abraça movimento contra assassinato da travesti Dandara

Mensagens em cartazes de ordem contra o preconceito diziam: “ Homofobia mata”; “ Travesti Viva”; “ Sou Cearense travesti, resisto!”

Por Tribuna do Ceará em Ceará

7 de março de 2017 às 17:49

Há 2 meses

Manifestação na Feira de São Cristovão.  (FOTO: Divulgação)

A  bandeira do orgulho trans, nas cores rosa e branca, foi estendida no último domingo (5), em frente ao pavilhão da feira de São Cristovão, Feira Nordestina que acontece no Rio de Janeiro. O ato teve tom de manifestação com intuito de chamar atenção para o assassinato da travesti Dandara dos Santos.

O caso de transfobia despertou comoção pela crueldade que ainda ocorre no Brasil à comunidade LGBTT. Mensagens em cartazes de ordem contra o preconceito diziam: “ Homofobia mata” “ Travesti Viva” “ Sou Cearense travesti, resisto!” “ Respeite travestis e Transexuais”.

“Sou de Fortaleza, mas moro aqui no Rio, a importância de está aqui lutando hoje pela Dandara é por ser do mesmo lugar que ela está, sei como é duro morar lá e ser travesti ou gay, ou qualquer outro gênero, diferente do que eles querem que seja, então hoje pra mim é um marco”, declara a transexual Beatriz Marques.

O coordenador especial da Diversidade Sexual do Rio, Nélio Georgini, esteve presente na manifestação para apoiar a luta contra a homofobia “ Fiquei sabendo do encontro hoje pela manhã, estou aqui para que o principio da dignidade humana seja cumprida no nosso município. Como representante municipal, eu realmente fiquei muito chocado com o que eu vi no vídeo e venho me solidarizar com todos vocês, para que denuncie conosco nessa luta diária”, disse.

A manifestação foi bem recebida pela população nordestina e as autoridades da Feira Nordestina, dentre ela a Gestora Magna. No Facebook, as hastags #DandaraPresente #SomostodosDandara marcaram a organização do evento.

1/14

FOTO: Divulgação

2/14

FOTO: Divulgação

3/14

FOTO: Divulgação

4/14

FOTO: Divulgação

5/14

FOTO: Divulgação

6/14

FOTO: Divulgação

7/14

FOTO: Divulgação

8/14

FOTO: Divulgação

9/14

FOTO: Divulgação

10/14

FOTO: Divulgação

11/14

FOTO: Divulgação

12/14

FOTO: Divulgação

13/14

FOTO: Divulgação

14/14

FOTO: Divulgação

O crime contra Dandara

Dandara foi morta no dia 15 de fevereiro por pelo menos cinco homens, mas o crime brutal só ganhou repercussão na sexta-feira (3), depois de as imagens da violência serem compartilhadas na internet. Segundo a Polícia, os suspeitos já foram identificados, mas estão foragidos. A principal suspeita é de que o crime foi motivado por homofobia.

No trecho divulgado do crime de ódio, Dandara está sentada ao chão, sem forças para levantar, e balbucia algumas palavras, dentre elas a sua idade e diz que quase morre. Dandara pede para que não batam mais nela e é novamente agredida com pedrada no ombro.

Acompanhe o caso:

4 de março – Não iremos tolerar esse tipo de violência, diz governador do Ceará sobre morte de travesti

4 de março – Vídeo mostra travesti Dandara à espera de socorro antes de ser morta

6 de março – Polícia está perto de identificar homens que mataram travesti brutalmente e filmaram crime

6 de março – Polícia intensificou investigações da morte de Dandara só após divulgação de vídeo feito por criminosos

6 de março – Governador diz que suspeitos da morte de Dandara foram identificados e já há ordem de prisão

7 de março – Ato contra LGBTfobia será realizado após travesti ser morta brutalmente no Bom Jardim

7 de março – 4 homens são presos suspeitos de participar do assassinato de travesti em Fortaleza

Publicidade

Dê sua opinião

CASO DANDARA

Feira no Rio de Janeiro abraça movimento contra assassinato da travesti Dandara

Mensagens em cartazes de ordem contra o preconceito diziam: “ Homofobia mata”; “ Travesti Viva”; “ Sou Cearense travesti, resisto!”

Por Tribuna do Ceará em Ceará

7 de março de 2017 às 17:49

Há 2 meses

Manifestação na Feira de São Cristovão.  (FOTO: Divulgação)

A  bandeira do orgulho trans, nas cores rosa e branca, foi estendida no último domingo (5), em frente ao pavilhão da feira de São Cristovão, Feira Nordestina que acontece no Rio de Janeiro. O ato teve tom de manifestação com intuito de chamar atenção para o assassinato da travesti Dandara dos Santos.

O caso de transfobia despertou comoção pela crueldade que ainda ocorre no Brasil à comunidade LGBTT. Mensagens em cartazes de ordem contra o preconceito diziam: “ Homofobia mata” “ Travesti Viva” “ Sou Cearense travesti, resisto!” “ Respeite travestis e Transexuais”.

“Sou de Fortaleza, mas moro aqui no Rio, a importância de está aqui lutando hoje pela Dandara é por ser do mesmo lugar que ela está, sei como é duro morar lá e ser travesti ou gay, ou qualquer outro gênero, diferente do que eles querem que seja, então hoje pra mim é um marco”, declara a transexual Beatriz Marques.

O coordenador especial da Diversidade Sexual do Rio, Nélio Georgini, esteve presente na manifestação para apoiar a luta contra a homofobia “ Fiquei sabendo do encontro hoje pela manhã, estou aqui para que o principio da dignidade humana seja cumprida no nosso município. Como representante municipal, eu realmente fiquei muito chocado com o que eu vi no vídeo e venho me solidarizar com todos vocês, para que denuncie conosco nessa luta diária”, disse.

A manifestação foi bem recebida pela população nordestina e as autoridades da Feira Nordestina, dentre ela a Gestora Magna. No Facebook, as hastags #DandaraPresente #SomostodosDandara marcaram a organização do evento.

1/14

FOTO: Divulgação

2/14

FOTO: Divulgação

3/14

FOTO: Divulgação

4/14

FOTO: Divulgação

5/14

FOTO: Divulgação

6/14

FOTO: Divulgação

7/14

FOTO: Divulgação

8/14

FOTO: Divulgação

9/14

FOTO: Divulgação

10/14

FOTO: Divulgação

11/14

FOTO: Divulgação

12/14

FOTO: Divulgação

13/14

FOTO: Divulgação

14/14

FOTO: Divulgação

O crime contra Dandara

Dandara foi morta no dia 15 de fevereiro por pelo menos cinco homens, mas o crime brutal só ganhou repercussão na sexta-feira (3), depois de as imagens da violência serem compartilhadas na internet. Segundo a Polícia, os suspeitos já foram identificados, mas estão foragidos. A principal suspeita é de que o crime foi motivado por homofobia.

No trecho divulgado do crime de ódio, Dandara está sentada ao chão, sem forças para levantar, e balbucia algumas palavras, dentre elas a sua idade e diz que quase morre. Dandara pede para que não batam mais nela e é novamente agredida com pedrada no ombro.

Acompanhe o caso:

4 de março – Não iremos tolerar esse tipo de violência, diz governador do Ceará sobre morte de travesti

4 de março – Vídeo mostra travesti Dandara à espera de socorro antes de ser morta

6 de março – Polícia está perto de identificar homens que mataram travesti brutalmente e filmaram crime

6 de março – Polícia intensificou investigações da morte de Dandara só após divulgação de vídeo feito por criminosos

6 de março – Governador diz que suspeitos da morte de Dandara foram identificados e já há ordem de prisão

7 de março – Ato contra LGBTfobia será realizado após travesti ser morta brutalmente no Bom Jardim

7 de março – 4 homens são presos suspeitos de participar do assassinato de travesti em Fortaleza