Ceará precisará de um ano de enchentes para amenizar os cinco anos de seca extrema

CRISE HÍDRICA

Ceará precisará de um ano de enchentes para amenizar os cinco anos de seca extrema

Para especialistas, as chuvas desse ano não serão suficientes para reverter o cenário crítico que o Ceará vive com açudes em capacidade mínima

Por Matheus Ribeiro em Ceará

5 de Janeiro de 2017 às 07:00

Há 11 meses
Seca castiga municípios cearenses e Crateús enfrenta colapso de água (FOTO: Reprodução)

Seca castiga vários municípios cearenses que enfrentam colapso de água (FOTO: Reprodução)

A falta de chuvas no Ceará por mais um ano poderá não se repetir em 2017. Contudo, devido aos cinco anos de seca, a opinião dos meteorologista é unânime: um ano apenas não vai resolver os cinco anos seguidos de estiagem no Ceará.

Apesar do diagnóstico, boa parte das empresas e instituições climáticas consultadas pela Rádio Tribuna Bandnews FM considerou que há sim uma boa expectativa de uma quadra chuvosa favorável para esse ano.

Segundo o meteorologista da Climatempo, Alexandre Nascimento, a expectativa de um bom inverno é tão boa que o açude do Castanhão deve ganhar um aporte substancial este ano.

“Acredito num trimestre bastante úmido no Ceará. Acho que não será o sexto ano ruim, acho que esse ano será bom. Contudo, um ano bom não será capaz de acabar com os problemas ocasionados pelos outros cinco. Mas de qualquer forma saímos dessa condição e a expectativa é de uma recuperação de pelo menos 45%, por exemplo, para o reservatório do Castanhão”, contou à Tribuna Bandnews FM. 

A Somar Meteorologia aponta que o litoral cearense vai ser a área mais beneficiada com as precipitações, enquanto que as regiões Sul e Centro Estado vão ter volume de chuvas dentro do normal, ou seja, compatível com a média histórica.

Especialmente no litoral cearense, as chuvas se tornam mais frequentes a partir de fevereiro e intensas no meses de março e abril, de acordo com o prognóstico.

Apesar disso, o meteorologista da Somar Celso Oliveira confirma que as chuvas deste ano não serão suficientes para resolver os problemas gerados pelos outros cinco. “Como o solo vem sendo castigado pela seca há muitos anos, é muito possível após o término da quadra chuvosa rapidamente o nível dos reservatórios diminua novamente. Isso porque boa parte dessa água irá abastecer partes mais profundas do solo. O lençol freático do Ceará está muito baixo devido à seca extrema”, detalhou.

Extrema necessidade

A enorme necessidade de chuvas faz com que se crie grandes expectativas. De acordo com o meteorologista da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos Raul Fritz, é preciso que a quadra chuvosa deste ano seja além do normal. “É preciso que nesses próximos dois meses caia chuvas intensas, mais ou menos em torno de 450 milímetros. Só assim será possível recarregar os açudes, que estão bastante secos”, explicou.

Mas em relação ao prognóstico da quadra chuvosa do Ceará, a Funceme informou que a previsão de chuvas para o estado no início deste ano deverá ser divulgada no próximo dia 18 de janeiro. O documento da Fundação apresentará as probabilidades de cada uma das três categorias (abaixo, em torno e acima da média histórica) referentes ao acumulado de precipitações nos meses de fevereiro, março e abril.

Confira as entrevistas concedidas ao repórter Jackson de Moura, da Rádio Tribuna Bandnews FM:

Publicidade

Dê sua opinião

CRISE HÍDRICA

Ceará precisará de um ano de enchentes para amenizar os cinco anos de seca extrema

Para especialistas, as chuvas desse ano não serão suficientes para reverter o cenário crítico que o Ceará vive com açudes em capacidade mínima

Por Matheus Ribeiro em Ceará

5 de Janeiro de 2017 às 07:00

Há 11 meses
Seca castiga municípios cearenses e Crateús enfrenta colapso de água (FOTO: Reprodução)

Seca castiga vários municípios cearenses que enfrentam colapso de água (FOTO: Reprodução)

A falta de chuvas no Ceará por mais um ano poderá não se repetir em 2017. Contudo, devido aos cinco anos de seca, a opinião dos meteorologista é unânime: um ano apenas não vai resolver os cinco anos seguidos de estiagem no Ceará.

Apesar do diagnóstico, boa parte das empresas e instituições climáticas consultadas pela Rádio Tribuna Bandnews FM considerou que há sim uma boa expectativa de uma quadra chuvosa favorável para esse ano.

Segundo o meteorologista da Climatempo, Alexandre Nascimento, a expectativa de um bom inverno é tão boa que o açude do Castanhão deve ganhar um aporte substancial este ano.

“Acredito num trimestre bastante úmido no Ceará. Acho que não será o sexto ano ruim, acho que esse ano será bom. Contudo, um ano bom não será capaz de acabar com os problemas ocasionados pelos outros cinco. Mas de qualquer forma saímos dessa condição e a expectativa é de uma recuperação de pelo menos 45%, por exemplo, para o reservatório do Castanhão”, contou à Tribuna Bandnews FM. 

A Somar Meteorologia aponta que o litoral cearense vai ser a área mais beneficiada com as precipitações, enquanto que as regiões Sul e Centro Estado vão ter volume de chuvas dentro do normal, ou seja, compatível com a média histórica.

Especialmente no litoral cearense, as chuvas se tornam mais frequentes a partir de fevereiro e intensas no meses de março e abril, de acordo com o prognóstico.

Apesar disso, o meteorologista da Somar Celso Oliveira confirma que as chuvas deste ano não serão suficientes para resolver os problemas gerados pelos outros cinco. “Como o solo vem sendo castigado pela seca há muitos anos, é muito possível após o término da quadra chuvosa rapidamente o nível dos reservatórios diminua novamente. Isso porque boa parte dessa água irá abastecer partes mais profundas do solo. O lençol freático do Ceará está muito baixo devido à seca extrema”, detalhou.

Extrema necessidade

A enorme necessidade de chuvas faz com que se crie grandes expectativas. De acordo com o meteorologista da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos Raul Fritz, é preciso que a quadra chuvosa deste ano seja além do normal. “É preciso que nesses próximos dois meses caia chuvas intensas, mais ou menos em torno de 450 milímetros. Só assim será possível recarregar os açudes, que estão bastante secos”, explicou.

Mas em relação ao prognóstico da quadra chuvosa do Ceará, a Funceme informou que a previsão de chuvas para o estado no início deste ano deverá ser divulgada no próximo dia 18 de janeiro. O documento da Fundação apresentará as probabilidades de cada uma das três categorias (abaixo, em torno e acima da média histórica) referentes ao acumulado de precipitações nos meses de fevereiro, março e abril.

Confira as entrevistas concedidas ao repórter Jackson de Moura, da Rádio Tribuna Bandnews FM: