Causa da morte de médica cubana no Ceará ainda é desconhecida um mês depois
MISTÉRIO

Causa da morte de médica cubana no Ceará ainda é desconhecida um mês depois

Mabel Sanchez, encontrada morta em Iguatu, estava no último dia de trabalho pelo programa Mais Médicos

Por Jangadeiro FM em Ceará

17 de dezembro de 2016 às 07:00

Há 6 meses
(FOTO: Reprodução/Arquivo Pessoal)

Mabel Sanchez estava no Ceará havia três anos (FOTO: Reprodução/Arquivo Pessoal)

O laudo médico que indicaria as causas da morte da médica cubana Mabel Sanchez, encontrada morta no último dia 23 de novembro dentro de casa, em Iguatu, ainda não foi divulgado pela Perícia. O documento, que tinha o prazo de 15 dias para ficar pronto, pode demorar mais de um mês para sair. Enquanto isso, a causa ainda segue indefinida.

Em entrevista à Rede Jangadeiro FM, o delegado titular da Delegacia Regional de Iguatu, a 382 km de Fortaleza, Wesley Alves, informou que apenas um novo exame necroscópico pode identificar outras causas.

“Algum tipo de overdose, alguma ingestão de substância, entre outras possibilidades. Somente a partir desse laudo que eu vou poder aprofundar nas investigações e saber realmente qual foi a causa da morte”, explicou o delegado. 

O delegado também informou que três pessoas que moravam com a médica já prestaram depoimentos e não informaram se Mabel teria um quadro de depressão.

A cubana fazia parte do programa Mais Médicos em Iguatu, onde atuava há três anos. Com o fim do contrato, ela deveria ter voltado ao país de origem no dia 28 de novembro. A médica foi encontrada morta na manhã do dia 23 de novembro, no jardim da sua residência, e não apresentava sinais de violência.

Confira a reportagem de João Ricart para a Jangadeiro FM:

Publicidade

Dê sua opinião

MISTÉRIO

Causa da morte de médica cubana no Ceará ainda é desconhecida um mês depois

Mabel Sanchez, encontrada morta em Iguatu, estava no último dia de trabalho pelo programa Mais Médicos

Por Jangadeiro FM em Ceará

17 de dezembro de 2016 às 07:00

Há 6 meses
(FOTO: Reprodução/Arquivo Pessoal)

Mabel Sanchez estava no Ceará havia três anos (FOTO: Reprodução/Arquivo Pessoal)

O laudo médico que indicaria as causas da morte da médica cubana Mabel Sanchez, encontrada morta no último dia 23 de novembro dentro de casa, em Iguatu, ainda não foi divulgado pela Perícia. O documento, que tinha o prazo de 15 dias para ficar pronto, pode demorar mais de um mês para sair. Enquanto isso, a causa ainda segue indefinida.

Em entrevista à Rede Jangadeiro FM, o delegado titular da Delegacia Regional de Iguatu, a 382 km de Fortaleza, Wesley Alves, informou que apenas um novo exame necroscópico pode identificar outras causas.

“Algum tipo de overdose, alguma ingestão de substância, entre outras possibilidades. Somente a partir desse laudo que eu vou poder aprofundar nas investigações e saber realmente qual foi a causa da morte”, explicou o delegado. 

O delegado também informou que três pessoas que moravam com a médica já prestaram depoimentos e não informaram se Mabel teria um quadro de depressão.

A cubana fazia parte do programa Mais Médicos em Iguatu, onde atuava há três anos. Com o fim do contrato, ela deveria ter voltado ao país de origem no dia 28 de novembro. A médica foi encontrada morta na manhã do dia 23 de novembro, no jardim da sua residência, e não apresentava sinais de violência.

Confira a reportagem de João Ricart para a Jangadeiro FM: