Ceará

 

Clássico-Rei: por risco de confrontos de torcedores, Uece suspende aulas

A Reitoria considera que existe um "contexto de risco" em razão da disputa das torcidas

Em nota, a instituição afirmou que existe um contexto de “risco” devido à disputa entre duas grandes torcidas no entorno das vias de acesso ao estádio (FOTO: FLICKR CREATIVE COMMONS)

Em nota, a instituição afirmou que existe um contexto de “risco” devido à disputa entre duas grandes torcidas no entorno das vias de acesso ao estádio (FOTO: FLICKR CREATIVE COMMONS)

A Universidade Estadual do Ceará (Uece) suspendeu as aulas noturnas desta quarta-feira (23) no campus do Itaperi, em Fortaleza, em razão da final do Campeonato Cearense, entre Ceará e Fortaleza. O jogo acontecerá às 22h na Arena Castelão, que fica nas proximidades da universidade.

Em nota, a instituição afirmou que existe um contexto de “risco” devido à disputa entre duas grandes torcidas no entorno das vias de acesso ao estádio.

> LEIA MAIS

A Reitoria considera  a alteração no fluxo de ônibus e a presença de torcedores nos terminais de integração utilizados pelos estudantes, com destaque ao Terminal da Parangaba, como risco aos alunos.

Expedição no Monte Everest pode ser cancelada, diz montanhista cearense

Os sherpas reivindicam melhores condições de trabalho e assistência familiar em caso de morte; se não houver consenso para a continuidade das expedições, todas serão canceladas

Resgate de corpos após avalanche no Everest (FOTO: Rosier Alexandre)

Resgate de corpos após avalanche no Everest (FOTO: Rosier Alexandre)

Após avalanche no Monte Everest, guias nepalenses e alpinistas podem cancelar a expedição na montanha mais alta do mundo, com 8.848 metros de altura. De acordo com o montanhista cearense Rosier Alexandre Saraiva, a situação no Campo Base do Everest (5.350 m) “não está como gostaria” e “caso não exista consenso em continuar as expedições, não continuaremos”.

Depois da tragédia, que vitimou 16 pessoas – incluindo três membros da equipe do brasileiro – os sherpas (guias nativos que ajudam na escalada dos alpinistas) exigem que o governo nepalês ofereça melhores condições de trabalho e assistência familiar em caso de morte.

Eles pedem a criação de um fundo de apoio financiado por 30% dos valores pagos pelos alpinistas para receber a licença de escalada ao Everest. Também exigem a duplicação das indenizações concedidas pelas seguradoras no caso de acidentes deste tipo, que atualmente estão em US$ 10 mil. “É solicitado ao governo também o fim desta temporada, encerrando todas as expedições, mas o Ministério do Turismo não quer fazer isso, porque traria prejuízos financeiros”, explica Rosier.

Helicóptero levando corpos para Kathmandu, capital do Nepal (FOTO: Rosier Alexandre)

Helicóptero levando corpos para Kathmandu, capital do Nepal (FOTO: Rosier Alexandre)

Os sherpas solicitam aos líderes que encerrem suas expedições como protesto ao governo e respeito aos mortos, mas – segundo disse – nada disso está ocorrendo. Na reunião, os guias produziram um documento com as reivindicações e estabeleceram um prazo de sete dias para que as demandas sejam atendidas. Caso isso não ocorra, deverá haver greve coletiva.

“Cada dia perdido é precioso para uma expedição. Mas estamos diante da maior tragédia que já existiu no Everest em todos os tempos, e isso deixou a comunidade sherpa abalada. Precisamos respeitar sua cultura e seu sofrimento”, lamentou o montanhista.

> LEIA MAIS

Próximos dias

Os próximos dias devem ser decisivos, como o próprio cearense ressalta. De acordo com ele, a partir desta terça-feira (22) os alpinistas descerão para Lobuche (4.900 m) e iniciarão a escalada do Pico Lobuche (6.150 m), como período de aclimatação (processo para se ajustar a mudanças climáticas). Em cinco dias, os grupos devem retornar ao Campo Base.

“Se existir um consenso entre os sherpas em continuar as expedições, nós continuaremos. Caso contrário, lamentavelmente devemos cancelar definitivamente a nossa expedição”, afirma Rosier. “Quero deixar registrado que respeito e acato plenamente a decisão dos guias nativos e também não darei prosseguimento à minha expedição se não sentir a segurança mínima necessária. Agradeço as muitas vibrações e orações de todos”, completa.

Avalanche no Everest

O deslizamento no Everest foi registrado por volta das 7h (horário local, 1h15 de Brasília) na última sexta-feira (18), quando 50 montanhistas, em sua maioria ajudantes nepalenses, iam ao acampamento base I para o II. O Nepal abandonou as buscas pelos três desaparecidos, no domingo (20), descartando qualquer possibilidade de encontrá-los com vida.

Três sherpas da equipe de Rosier mortos na avalanche. A foto foi registrada um dia antes da tragédia (FOTO: Arquivo pessoal/Rosier Alexandre)

Três sherpas da equipe de Rosier mortos na avalanche. A foto foi registrada um dia antes da tragédia (FOTO: Arquivo pessoal/Rosier Alexandre)

A temporada de escalada de primavera começou oficialmente em março, mas os primeiros alpinistas só iniciaram a subida ao Everest em abril. Em setembro de 2012, em uma das piores avalanches dos últimos anos, na montanha Manaslu, no Himalaia, 11 alpinistas morreram, entre eles oito franceses e um espanhol. Em novembro de 1995, um deslizamento no Everest deixou 26 montanhistas mortos, dos quais 12 eram japoneses e o restante nepaleses.

A escalada ao Monte Everest, a montanha mais alta do mundo, faz parte do sonho de Rosier de concluir o Projeto Sete Cumes. Até hoje, aproximadamente 200 pessoas conseguiram finalizar o projeto, que abrange as mais altas montanhas de cada continente.

Rosier já escalou o Monte McKinley (6.194 m), na América do Norte; Monte Carstensz (4.884 m), na Oceania; Monte Vinson (4.897 m), na Antártida; Kilimanjaro (5.895 m), na África; Monte Elbrus (5.642 m), na Europa; e Monte Aconcágua (6.962 m), na América do Sul.

Ouça o áudio do montanhista cearense, diretamente de Nepal:

Mais de mil adolescentes já foram apreendidos no Ceará em 2014

Somente em janeiro e fevereiro de 2014, foram apreendidos 1.013 meninos com idade até 18 anos

Média de apreensões por mês em 2014 já é superior a de 2013 (FOTO: Flickr/ Creative Commons/ Stevendepolo)

Média de apreensões por mês em 2014 já é superior a de 2013 (FOTO: Flickr/ Creative Commons/ Stevendepolo)

O número de apreensões de crianças e adolescentes no Ceará neste ano já ultrapassou a barreira de mil. Somente em janeiro e fevereiro de 2014, foram apreendidos 1.013 meninos com idade até 18 anos. Os dados são da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

Se comparado ao mesmo período do ano passado, o total de 2014 é superior em 195 casos. Além disso, a média de apreensões por mês em 2014 é de 506. Já em 2013, é de 438. O que mostra maior atuação de crianças e adolescentes no mundo do crime ou ação policial mais precisa.

>LEIA MAIS:

Motivação

Além disso, ainda de acordo com os dados da secretaria, o principal tipo de infração cometida por esses jovens é o crime violento contra o patrimônio (24,73%), como roubos. Em seguida, aparece o tráfico lícito de drogas, que somado ao consumo de drogas, são os delitos cometidos por 20,24% das apreensões.

“Não se pode responsabilizar somente as drogas por esse resultado [número de apreensões]. Há uma série de deficiências no que se refere às políticas voltadas para a juventude, isso sem falar no contexto de vulnerabilidade social em que muitos jovens e adolescentes vivem”, pondera Ricardo Moura, que é pesquisador do Laboratório de Estudos da Violência (LEV).

Aliado a isso, as escolas não conseguem ser um espaço atrativo e acolhedor para esse público. “Temos então uma série de condições que propiciam o ingresso desse jovem e adolescente em redes criminosas que se alimentam do comércio ilegal de armas de fogo e drogas. E, o mais preocupante, é que esse recrutamento para o mundo do crime ocorre cada vez mais cedo”.

Solução?

Em um período em que o estado e, principalmente, Fortaleza passam por uma forte onda de violência, medidas devem ser adotadas para minimizar os números e reverter o quadro. “O primeiro passo é encarar a nossa juventude como uma fonte potencial de riquezas e não apenas como um problema social”.

Já o segundo passo, seria reformular os centros educacionais para cumprir realmente o que determina o Estatuto da Criança e do Adolescente. Superlotados e sem as condições necessárias, essas unidades dificilmente conseguirão oferecer uma possibilidade real de mudança de vida aos adolescentes internados.

Copa do Mundo: dívida pública de Fortaleza cresce 26% em dois anos

A dívida pública de Fortaleza, em 2011, correspondia a 0,2% de sua receita corrente e agora chaga a 15%. Levantamento tem com base em dados do Banco Central,

Das dez obras previstas dentro do pacote do Mundial, apenas quatro serão entregues até o torneio: rotatória do Castelão, Bus Rapid Transit (BRTs) das avenidas Paulino Rocha e Alberto Craveiro e túnel da Avenida Santos Dumont sob a Via Expressa. Elas representam 40% do total planejado (FOTO: PORTAL DA COPA/DIVULGAÇÃO)

Das dez obras previstas dentro do pacote do Mundial, apenas quatro serão entregues até o torneio: rotatória do Castelão, Bus Rapid Transit (BRTs) das avenidas Paulino Rocha e Alberto Craveiro e túnel da Avenida Santos Dumont sob a Via Expressa. Elas representam 40% do total planejado (FOTO: PORTAL DA COPA/DIVULGAÇÃO)

Fortaleza aparece entre as capitais que mais se endividaram às vésperas da Copa do Mundo. O levantamento foi realizado pelo jornal Folha de São Paulo, com base em dados do Banco Central, incluindo não somente cidades que sediarão partidas para o torneio, mas também outras que não foram escaladas para esse fim.

A primeira constatação foi a de que as sedes do Mundial apresentaram ritmo de endividamento muito superior as demais: nos últimos dois anos, as dívidas das cidades da Copa com o Tesouro Nacional e com bancos públicos cresceram, em média, 51%; enquanto nas capitais sem Copa apresentaram crescimento de 20%.

A dívida pública da capital cearense, em 2011, correspondia a 0,2% de sua receita corrente e agora chaga a 15%. Entre janeiro de 2012 e janeiro de 2014, o crescimento da dívida foi de 26,7%. Esse é o quinto maior valor registrado entre as sedes. Em primeiro aparece Curitiba (256%), seguido de Recife (154,3%), Belo Horizonte (58,4%) e Porto Alegre (37,9%).

Na outra ponta, as capitais que registraram aumentos menores de suas dívidas foram Brasília (24,3%), Rio de Janeiro (23,1%), São Paulo (22%), Natal (11,2%), Cuiabá (4,8%) e Manaus (2,7%).

A única sede do Mundial que conseguiu reduzir o endividamento foi Salvador, que recuou 5,6%.

Na reportagem, diversas prefeituras alegaram que o aumento é esperado, em razão dos investimentos feitos em infraestrutura e transporte, mas, segundo a Folha, as administrações de Brasília e de Fortaleza não responderam aos questionamentos feitos pelo jornal.

Jovens desenvolvem inovações tecnológicas em Aracati

O programa Aracati Digital tem o objetivo de formar jovens para atuar no mercado de trabalho, possibilitando exercer trabalho mais humano

Aracati Digital tem o objetivo de formar jovens para atuar no mercado de trabalho (FOTO: Arquivo pessoal/Mauro Oliveira)

Aracati Digital tem o objetivo de formar jovens para atuar no mercado de trabalho (FOTO: Arquivo pessoal/Mauro Oliveira)

Uma cooperativa formada por professores e alunos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFCE) transforma a vida de jovens no município de Aracati, a 148 quilômetros de Fortaleza. Intitulado “Aracati Digital”, o projeto surgiu neste ano e já desenvolve soluções de inovação tecnológica na área da informática, para pessoas físicas, empresas públicas e privadas.

Vinte alunos do curso de bacharelado em Ciência da Computação têm ajuda de pesquisadores parceiros e profissionais especializados da área de computação e de telecomunicações. “A cooperativa é baseada em solidariedade, onde os estudantes prestam serviço a empresas e, em contrapartida, recebem bolsas de pesquisa”, explica o presidente do Conselho Deliberativo, Mauro Oliveira. “Eles devem entender que são privilegiados, porque nem todos têm essa oportunidade”, completa.

A exemplo do “Pirambu Digital”, o programa tem o objetivo de formar jovens para atuar no mercado de trabalho, possibilitando exercer trabalho mais humano. Dentro do IFCE, eles têm formação acadêmica. No Aracati Digital, instalado fora do campus, tem atuação no mercado, gerando negócios e renda.

> LEIA MAIS

Ao todo, alunos e professores atuam em sete áreas do conhecimento: aplicação móveis, jogos eletrônicos, TV digital interativa, tecnologias educacionais, mineração de dados, sistemas inteligentes em saúde e modelos baseados em odontologia. “Em todas as áreas já temos produções, experiências e projetos. Eles não começam do zero”, conta Oliveira.

O apoio científico e tecnológico fica por conta do Laboratório de Redes de Computadores (LAR), primeiro laboratório de pesquisa e desenvolvimento do Ceará na área de informática, criado em 1985.

Projeto tem estrutura própria e não funciona dentro do campus de Aracati (FOTO: Divulgação/Aracati Digital)

Projeto tem estrutura própria e não funciona dentro do campus de Aracati (FOTO: Divulgação/Aracati Digital)

De acordo com o presidente Mauro Oliveira, o projeto tem relevância a curto e longo prazo. A finalidade principal do Aracati Digital é fazer com que os alunos não deixem o município após a formação. “É legal ver a meninada se comportando de forma diferente. Quero mostrar que não é necessário ir a outro local para ganhar dinheiro. Eles podem ficar na cidade natal”, explica. A longo prazo, o objetivo do professor é tornar Aracati uma célula de Tecnologia da Informação. “Vamos mexer no PIB [Produto Interno Bruto]. Temos capacidade para ser o Vale do Silício nordestino”, brinca.

Membros da equipe de montanhista cearense morrem após avalanche no Monte Everest

De acordo com publicação da assessoria de imprensa, Rosier Alexandre fez contato com sua equipe no Brasil nesta madrugada e está bem

Rosier Alexandre faz expedição no Projeto Sete Cumes (FOTO: Reprodução/Facebook)

Rosier Alexandre faz expedição no Projeto Sete Cumes (FOTO: Reprodução/Facebook)

Um deslizamento no Everest foi registrado por volta das 7h (horário local, 1h15 de Brasília) nesta sexta-feira (18), a cerca de 6,2 mil metros de altitude, quando 50 montanhistas, em sua maioria sherpas nepalenses, iam do acampamento base I para o II.

Três sherpas da equipe do montanhista Rosier Alexandre morreram. O Tribuna do Ceará entrou em contato com o cearense, que está no Everest para expedição. De acordo com ele, o número de desaparecidos ainda é incerto. “Alguns dizem que tem mais de 10. A catástrofe matou gente de diversas expedições”, lamentou.

Ainda não é possível saber se existe condições para a continuidade da expedição. Segundo Rosier, todos ainda estão “de olho no furacão”, já que a tragédia ocorreu há pouco mais de 12 horas. “Devemos rever o plano e continuar. Mas diante de uma catástrofe sem igual em toda a história do Everest, tudo pode acontecer”, lamentou, acrescentando que, caso os sherpas sobreviventes ficarem abalados, existe a possibilidade de cancelamento da escalada. A equipe do montanhista era composta por 15 membros, destes 11 são sherpas e quatro pretendem chegar ao cume.

Em Nepal, Rosier lamenta mortes (Imagem: Tribuna do Ceará)

Em Nepal, Rosier lamenta mortes (Imagem: Tribuna do Ceará)

De acordo com publicação da assessoria de imprensa, por meio do Facebook, Rosier – que está no Everest para expedição – fez contato com sua equipe no Brasil logo na madrugada. “Ele continua no campo base. Todos estão muito abalados”, disse. Pelo menos treze sherpas nepaleses – guias nativos que ajudam na escalada dos alpinistas – morreram.

A temporada de escalada de primavera começou oficialmente em março, mas os primeiros alpinistas só iniciaram a subida ao Everest em abril. Em setembro de 2012, em uma das piores avalanches dos últimos anos, na montanha Manaslu, no Himalaia, 11 alpinistas morreram, entre eles oito franceses e um espanhol.

> LEIA MAIS

Em novembro de 1995, um deslizamento no Everest deixou 26 montanhistas mortos, dos quais 12 eram japoneses e o restante nepaleses.

Sete Cumes

A escalada ao Monte Everest, a montanha mais alta do mundo, com 8.848 metros de altura, faz parte do sonho de Rosier de concluir o Projeto Sete Cumes. Até hoje, aproximadamente 200 pessoas conseguiram finalizar o projeto, que abrange as mais altas montanhas de cada continente.

Rosier já escalou o Monte McKinley (6.194 m), na América do Norte; Monte Carstensz (4.884 m), na Oceania; Monte Vinson (4.897 m), na Antártida; Kilimanjaro (5.895 m), na África; Monte Elbrus (5.642 m), na Europa; e Monte Aconcágua (6.962 m), na América do Sul.

Setores do turismo opinam sobre insegurança em Fortaleza

Empresários das Barracas de Praia, Associação da Indústria de Hotéis Ceará, Sindicato dos Guias de Turismo do Ceará e o Secretário de Turismo do Ceará comentam a questão

A onda de violência em Fortaleza e os noticiários que repercutem a falta de segurança na capital ganham espaço no cenário nacional e internacional. Setores que lidam com o turismo, uma das principais fontes de renda para a economia do Estado, temem os efeitos negativos dessa realidade junto aos visitantes. O Tribuna do Ceará conversou com três segmentos sensíveis ao fluxo de turistas na capital cearense.

Barracas de praia

Para Fátima Queiroz, presidente da Associação dos Empresários de Barracas da Praia do Futuro, a recente má fama de Fortaleza como cidade violenta tem impacto na imagem da cidade como destino turístico. “Hoje é um dos pontos mais preocupantes. É uma situação que não pode mais deixar de se enfrentar. Não podemos tratar como coisa banal e não é só para turistas, mas para a gente viver bem”, declarou.

Segundo ela, há um esforço para melhorar o policiamento nas áreas turísticas, como a Praia do Futuro. Porém, ainda há muitos roubos na região, uma das mais procuradas por quem vem de fora. Fátima ressalta que um dos fatores que aumenta o número de casos de violência é a falta de iluminação.

Hotéis

Régias Medeiros, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis Ceará, o Brasil inteiro sofre com o problema da falta de segurança, não só Fortaleza, o que gera uma imagem negativa para estrangeiros. “Não querendo justificar, mas estamos dentro de um contexto do Brasil, e isso assombra o Brasil como um todo. Se o resto do Brasil fosse um mar de rosas e aqui uma calamidade pública, eu diria que isso teria um efeito interno maior”, considerou.

Medeiros acredita o turismo interno, que atrai turistas de outros estados, não sofre muito impacto. “O brasileiro acompanha a questão da violência. É uma coisa que não assusta mais tanto, porque vivemos no dia a dia, em todo lugar”.

Mas quando se trata de turismo internacional, ele revela que há uma perda significativa. “Na Copa do Brasil, por exemplo, esperavam-se vários estrangeiros, mas a Fifa devolveu 77% das diárias reservadas. Isso quer dizer que ela não vendeu o que esperava”.

Guia turístico

O presidente do Sindicato Estadual dos Guias de Turismo do Ceará, Flavio Alveranga, admite que a violência é um ponto extremamente importante como causa na perda de atratividade para interessados em visitar Fortaleza. “Imagina como é deixar uma pessoa no aeroporto que foi vitima na cidade que ele veio passear?”, lamentou.

Flávio ressalta que são vários atentados, desde o roubo de um celular até ser atingido por tiros em um assalto. “Não se faz turismo em lugar nenhum do mundo sem segurança. O turista sente muito e repercute muito mal quando ele vem visitar e temos que adverti-lo para que não ande em certos lugares, e tenha todo cuidado possível. Ninguém sai de casa para se machucar em qualquer lugar e nos temos a obrigação por lei de advertir o turista sobre a questão da segurança. Isso é primordial”.

Após as declarações de Mikkel Keldorf Jensen, que se assustou com a violência em Fortaleza, e por isso desistiu de cobrir a Copa do Mundo 2014, o Secretário de Turismo Bismarck Maia postou em seu perfil pessoal do Facebook que o ‘jornalista dinamarquês  é um criminoso’. Frases repetida, reproduzido no portal Comunique-se.

O secretário de turismo do Ceará comentou a matéria em seu Facebook
Comunique-se Bismarck Maia

Comunique-se Bismarck Maia

O portal Comunique-se reproduziu a declaração de Bismarck Maia com o título: "Político chama de “criminoso” texto de europeu que desistiu de cobrir a Copa"

Check Placa: aplicativo no celular ajuda a recuperar carros roubados

Conforme o Ministério da Justiça, 33 mil carros desaparecidos já foram recuperados e devolvidos aos verdadeiros proprietários

Sabe aquele veículo que está estacionado em uma rua há dias e ninguém sabe de quem é? Caso tenha parado para pensar se ele foi roubado e abandonado, é bom conhecer um aplicativo, de utilidade pública, que faz a verificação do estado legal do carro em poucos segundos e sem riscos.

O primeiro módulo do aplicativo Sinesp Cidadão, criado pelo Serpro e gerenciado pela Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça (Senasp), é o Check Placa, que se conecta à internet para acessar os bancos de dados do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) e consegue descobrir em poucos segundos se um carro é roubado, furtado ou clonado. Ele transforma smartphones e tablets em instrumentos para recuperar veículos.

Após instalar o aplicativo, basta digitar a placa para saber a situação do veículo. Se o carro tiver registro de roubo ou furto, aparecerá a informação destacada em vermelho. Em caso de clonagem de placa, o usuário deve observar no resultado da consulta, se as informações referentes à marca/modelo/cor conferem com o veículo cuja placa foi consultada. O interessante é que, quando algo irregular é constatado, o app dá a opção de o usuário fazer ligação (sem ter de se identificar) para a polícia.

Veja as imagens:

Check Placa: primeiro módulo do Sinesp Cidadão

Check Placa: primeiro módulo do Sinesp Cidadão

Se o carro tiver registro de roubo ou furto, aparecerá a informação destacada em vermelho
Check Placa: primeiro módulo do Sinesp Cidadão

Check Placa: primeiro módulo do Sinesp Cidadão

Após instalar o aplicativo, basta digitar a placa para saber a situação do veículo.

Tudo isso é possível somente indicando a placa do veículo por meio do celular ou no site do Sinesp. As placas podem ser verificadas quantas vezes for necessário, 24 horas por dia.

De dezembro de 2013 a abril deste ano, o aplicativo já teve mais de um milhão de downloads. De acordo com o Ministério da Justiça, o número de consultas também é expressivo: cerca de 300 milhões desde o lançamento e 400 mil diárias.

> LEIA MAIS

Os desenvolvedores do Serpro lembram que não é recomendável que os usuários façam abordagem ou se aproximem de veículos cadastrados no sistema com registro positivo de roubo ou clonagem de placa, devendo acionar a polícia pelo telefone 190, para que a equipe seja direcionada ao local, onde será feita a checagem das informações.

Carros recuperados

A ferramenta gratuita pretende facilitar o trabalho da polícia na recuperação dos veículos. Conforme o Ministério da Justiça, 33 mil carros desaparecidos já foram recuperados e devolvidos aos verdadeiros proprietários, conforme o Ministério da Justiça. O levantamento de carros recuperados em Fortaleza ainda está sendo feito.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), de janeiro a novembro de 2013 foram contabilizados 5.803 roubos e 2.627 furtos de veículos em Fortaleza. As regiões com maior índice de roubos são Parquelândia (236 casos), Messejana (225) e Mondubim (173).

O número total dos 11 meses (8.430), se comparado aos 12 meses de 2012 (7.118) ainda representa aumento de 18,43%.

Próximos passos

De acordo com o Ministério da Justiça, para ampliar o acesso de cidadão a dados da segurança pública, o próximo passo será lançar um aplicativo que checará se cidadãos possuem mandados de prisão emitidos em seu nome. A ideia é oferecer os dados para ajudar na troca de informações entre as polícias de vários estados.

Mais de 80% das meninas foram vacinadas contra HPV no Ceará

Infecção pelo HPV é muito frequente, mas transitória, regredido espontaneamente na maioria das vezes

(FOTO: Flickr/ Creative Commons/ Governo Bahia)

Meninas de 11 a 13 anos  são vacinadas contra HPV (FOTO: Flickr/ Creative Commons/ Governo Bahia)

Mais de 80% das meninas de 11 a 13 anos foram vacinadas contra o HPV, no Ceará. Segundo a Secretaria de Saúde, a meta dessa porcentagem foi estabelecida pelo Ministério da Saúde e contou com 30 dias mobilização.

Iniciada em 10 de março, a imunização com a vacina papilovírus humano quadrivalente alcançou na última sexta-feira (11), 82,24% da população-alvo de 242.810 adolescentes, com 201.132 doses aplicadas. A vacina continuará disponível nos postos da rede pública durante todo o ano, como parte da rotina de imunização.

>LEIA MAIS:

Proliferação

A infecção pelo HPV é muito frequente, mas transitória, regredido espontaneamente na maioria das vezes. No pequeno número de casos nos quais a infecção persiste e, especialmente, é causada por um tipo viral oncogênico (com potencial para causar câncer), pode ocorrer o desenvolvimento de lesões precursoras, que se não forem identificadas e tratadas podem progredir para o câncer, principalmente no colo do útero.

Os HPV são vírus capazes de infectar a pele ou as mucosas. Na maioria dos casos, o HPV não apresenta sintomas e é eliminado pelo organismo espontaneamente. O HPV pode ficar no organismo durante anos sem a manifestação de sinais e sintomas. O vírus é altamente contagioso, sendo possível a contaminação com uma única exposição. A transmissão se dá por contato com a pele ou mucosa infectada.

Hemoce intensifica coleta de sangue para Semana Santa

A maior carência de sangue são os tipos A positivo e O negativo

Para doar sangue basta estar saudável, bem alimentado, ter entre 16 e 69 anos, pesar mais de 50kg e apresentar um documento oficial com foto. (FOTO: Flickr/ Creative Commons/ Fotos GOVBA)

Para doar sangue basta estar saudável, bem alimentado, ter entre 16 e 69 anos, pesar mais de 50kg e apresentar um documento oficial com foto. (FOTO: Flickr/ Creative Commons/ Fotos GOVBA)

A uma semana do feriadão da Semana Santa e Tiradentes, de 17 a 21 de abril, o Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce) intensifica a captação de doações para garantir o estoque de sangue que vai atender a demanda de todo o Estado durante e depois dos cinco dias de folga.

Há necessidade de doações de todos os tipos de sangue, mas a carência é maior dos tipos A positivo e O negativo. É na Semana Santa que há a maior procura por sangue, por conta do aumento do número de atendimentos nas emergências dos hospitais. Ao mesmo tempo, as doações caem porque as famílias viajam, aproveitando o feriadão, e ainda porque, com as chuvas,  várias doenças se manifestam (viroses, dengue, gripes), impossibilitando a realização da doação.

O Hemoce está realizando coleta até o dia 16 de abril, das 15 às 20 horas, em todos os dias da semana, no segundo piso do Shopping Via Sul, na Avenida Washington Soares, 4335. Neste domingo, 13 de abril, também haverá coleta no hemocentro coordenador, Avenida José Bastos, 3390, Rodolfo Teófilo, das 8 às 13 horas. No fim de semana, a coleta acontecerá em Canindé.

> LEIA MAIS

 Na próxima semana, a coleta de sangue acontece na Praça do Ferreira, das 8 às 16 horas de segunda a quarta-feira e, na quinta-feira, das 8 às 12 horas. Na Sexta-feira da Paixão, 18 de abril, o posto de coleta do Hemoce no Instituto Dr. José Frota (IJF), Rua Barão do Rio Branco, 1816, Centro, recebe as doações das 13 horas às 17h30min.

Durante todas as coletas também haverá cadastro para possíveis doadores de medula óssea. Os pré-requisitos são: ter entre 18 e 55 anos, estar bem de saúde, não ter tido câncer, não ter comportamento de risco para DSTs, apresentar documento de identidade e comprovante de endereço.  Durante o cadastro deverá ser fornecido dois nomes e telefones de contatos, para que seja possível localizá-lo, caso haja compatibilidade com algum paciente. Hoje, o Ceará possui cerca de 120 mil pessoas cadastradas no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome).

Requisitos

Para doar sangue basta estar saudável, bem alimentado, ter entre 16 e 69 anos, pesar mais de 50kg e apresentar um documento oficial com foto. Os menores de idade, só podem doar se apresentarem o Termo de Consentimento para menores de 18 anos, que deverá ser preenchido e assinado pelo candidato à doação e por seu responsável legal, anexando ainda cópia do documento oficial com foto do representante legal. O Termo também está disponível no site do Hemoce.

Página 1 de 74512345...102030...Última »