Futebol

Trocar figurinhas durante o trabalho é passível de demissão? Especialistas em RH respondem

Figurinhas trabalho fortaleza
Álbuns são a febre do momento (FOTO: Thiago Castro)

Por Gabriel Borges

Ano de Copa do Mundo é sempre a mesma coisa. A febre dos álbuns de figurinhas toma conta da cidade. Bancas de revistas ficam tomadas por colecionadores ávidos por mais figurinhas. Por outro lado, a diversão pode acabar mal, quando feita fora de hora.

No Rio de Janeiro, assessores parlamentares que trocaram figurinhas durante uma sessão na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) foram exonerados do cargo. Após o fato, fica o questionamento: é errado trocar figurinha durante o horário de trabalho ?

Para Gisele Studart, diretora da Associação Brasileira de Recursos Humanos do Ceará (ADRH), a atitude não é aceitável por não ser ética. “A pergunta que deve ser feita é: se todo mundo fizer isso, a atitude vai ser boa pra empresa? Se a resposta for não, a atitude não é ética”, conta Gisele.

Para ela, esse tipo de pensamento pode ser levado para outros âmbitos sociais. “É como avançar um sinal vermelho, não pode haver exceções, porque cada um teria os seus motivos”, revela.

Quando questionada sobre a punição que deve ser aplicada, Gisele responde que cada caso deve ser analisado de forma particular. “Sobre demissão ou não, vai de acordo com o código de norma de cada empresa. Acredito que primeiro deve ser uma advertência, depois uma suspensão e por fim uma demissão”, finaliza.

Já para Wilna Lima, especialista em RH, pequenas pausas podem ser feitas, mas de forma pontual. “É saudável que ao longo do dia a gente faça algumas pausas, mas pausas curtas, como para tomar um café. No momento em que eu paro para trocar figurinha ou para fazer algo que não esteja no contexto da minha profissão, isso vai causar algum dano”, destaca.

A especialista acredita que o funcionário acaba desvalorizando o seu próprio trabalho com esse tipo de atitude. “Essas coisas acabam diminuindo o valor e a importância do que você faz na sua empresa”.

As formas de punição podem variar dependendo da empresa. “Tudo que não tá escrito acaba sendo permitido. É muito importante que as empresas tenham as suas normas de conduta. Acredito que na primeira vez cabe uma advertência verbal, a reincidência vai aumentando o peso das consequências”, relata Wilna.

Para completar, a especialista, faz uma relação com o uso do telefone celular. “Existem empresas que não permitem que seus colaboradores usem o WhatsApp durante o trabalho. Porque muitas vezes entramos em um outro universo e não vemos o tempo passar. Uma pequena distração pode gerar prejuízos para empresa e para outras pessoas. Isso pesa na hora de definir o tamanho da punição”, finaliza.

Tags
Copa do Mundo Demissão Figurinhas futebol