Rio de Janeiro conquista Superliga Feminina de Vôlei - Esportes


Rio de Janeiro conquista Superliga Feminina de Vôlei

Na sétima final seguida da Superliga Feminina 10/11 entre Unilever (RJ) e Sollys/Osasco (SP), melhor para as cariocas. Neste sábado (30), a equipe do técnico Bernardinho venceu as atuais campeãs, por 3 sets a 0 (25/23, 30/28 e 25/19), no ginásio do Mineirinho, em Belo Horizonte (MG). Este foi o sétimo título da Unilever no […]

Por indexteste em Sem categoria

30 de Abril de 2011 às 12:50

Há 7 anos

Time comandado por Bernardinho vence a quinta final sobre o Osasco. Foto: Alexandre Arruda/CBV

Na sétima final seguida da Superliga Feminina 10/11 entre Unilever (RJ) e Sollys/Osasco (SP), melhor para as cariocas. Neste sábado (30), a equipe do técnico Bernardinho venceu as atuais campeãs, por 3 sets a 0 (25/23, 30/28 e 25/19), no ginásio do Mineirinho, em Belo Horizonte (MG). Este foi o sétimo título da Unilever no torneio, o quinto conquistado diante do time de Osasco.

O jogo começou extremamente equilibrado. O primeiro ponto só saiu depois de um belo rally. E foi da Unilever, num ataque de Sheilla. Em um erro de saque da central Valeskinha, o Sollys/Osasco abriu dois pontos (16/14). Depois de duas falhas seguidas de ataque das atuais campeãs da Superliga, a Unilever tomou a liderança do placar: 19/18.

A partir desse momento, o time do Rio de Janeiro dominou a parcial e fechou com um ponto de bloqueio de Juciely sobre a campeã olímpica Jaqueline (25/23). Sheilla e Natália, do Sollys/Osasco, foram as maiores pontuadoras do set, com seis pontos cada. O bloqueio foi a principal arma das cariocas. Foram cinco pontos contra apenas um das paulistas.

O Sollys/Osasco voltou melhor para o segundo set. Mas numa boa sequência de saques da central Valeskinha, a Unilever chegou à frente na primeira parada técnica (8/7). A liderança se alternou entre os times até que o volume de jogo das cariocas fez a diferença. Ao defender e bloquear com eficiência, a Unilever abriu três pontos (20/17).

Neste momento, as atuais campeãs mostraram força numa boa sequência de saques da levantadora Carol e empataram: 20/20. A parcial seguiu indefinida. No ace da mineira Sheilla, a Unilever fechou: 30/28, para delírio da torcida. E a atacante da equipe do Rio de Janeiro teve atuação destacada na parcial, ao marcar oito pontos.

A Unilever continuou dominando o jogo na terceira parcial e tinha três pontos de liderança (9/6). No segundo tempo técnico, a vantagem das cariocas aumentou para cinco (16/11). No final, a Unilever administrou a vantagem, venceu o set por 25/19 e conquistou o sétimo título da sua história.

FONTE: CBV

Publicidade

Dê sua opinião

Rio de Janeiro conquista Superliga Feminina de Vôlei

Na sétima final seguida da Superliga Feminina 10/11 entre Unilever (RJ) e Sollys/Osasco (SP), melhor para as cariocas. Neste sábado (30), a equipe do técnico Bernardinho venceu as atuais campeãs, por 3 sets a 0 (25/23, 30/28 e 25/19), no ginásio do Mineirinho, em Belo Horizonte (MG). Este foi o sétimo título da Unilever no […]

Por indexteste em Sem categoria

30 de Abril de 2011 às 12:50

Há 7 anos

Time comandado por Bernardinho vence a quinta final sobre o Osasco. Foto: Alexandre Arruda/CBV

Na sétima final seguida da Superliga Feminina 10/11 entre Unilever (RJ) e Sollys/Osasco (SP), melhor para as cariocas. Neste sábado (30), a equipe do técnico Bernardinho venceu as atuais campeãs, por 3 sets a 0 (25/23, 30/28 e 25/19), no ginásio do Mineirinho, em Belo Horizonte (MG). Este foi o sétimo título da Unilever no torneio, o quinto conquistado diante do time de Osasco.

O jogo começou extremamente equilibrado. O primeiro ponto só saiu depois de um belo rally. E foi da Unilever, num ataque de Sheilla. Em um erro de saque da central Valeskinha, o Sollys/Osasco abriu dois pontos (16/14). Depois de duas falhas seguidas de ataque das atuais campeãs da Superliga, a Unilever tomou a liderança do placar: 19/18.

A partir desse momento, o time do Rio de Janeiro dominou a parcial e fechou com um ponto de bloqueio de Juciely sobre a campeã olímpica Jaqueline (25/23). Sheilla e Natália, do Sollys/Osasco, foram as maiores pontuadoras do set, com seis pontos cada. O bloqueio foi a principal arma das cariocas. Foram cinco pontos contra apenas um das paulistas.

O Sollys/Osasco voltou melhor para o segundo set. Mas numa boa sequência de saques da central Valeskinha, a Unilever chegou à frente na primeira parada técnica (8/7). A liderança se alternou entre os times até que o volume de jogo das cariocas fez a diferença. Ao defender e bloquear com eficiência, a Unilever abriu três pontos (20/17).

Neste momento, as atuais campeãs mostraram força numa boa sequência de saques da levantadora Carol e empataram: 20/20. A parcial seguiu indefinida. No ace da mineira Sheilla, a Unilever fechou: 30/28, para delírio da torcida. E a atacante da equipe do Rio de Janeiro teve atuação destacada na parcial, ao marcar oito pontos.

A Unilever continuou dominando o jogo na terceira parcial e tinha três pontos de liderança (9/6). No segundo tempo técnico, a vantagem das cariocas aumentou para cinco (16/11). No final, a Unilever administrou a vantagem, venceu o set por 25/19 e conquistou o sétimo título da sua história.

FONTE: CBV