Organizador denuncia o "lado sujo" das corridas de rua em Fortaleza

DESONESTIDADES

Organizador denuncia o “lado sujo” das corridas de rua em Fortaleza

Número de peitos xerocados, chips de outras provas e até notas de dinheiro falsas já foram registrados. Nem a Corrida contra a Corrupção escapa dos “espertinhos”

Por Lyvia Rocha em Outros Esportes

6 de novembro de 2017 às 11:40

Há 3 semanas
A corrida 21k Terra da Luz aconteceu no domingo (5) (FOTO: Reprodução/Facebook)

A corrida 21k Terra da Luz aconteceu no domingo (5) (FOTO: Reprodução/Facebook)

As corridas de rua tornaram-se uma grande febre em Fortaleza nos últimos anos. Em quase todos os finais de semana tem muita gente correndo logo cedinho pela manhã e espantando o sedentarismo. Mas infelizmente nem tudo é bonito e limpo como parece. Nos eventos de corridas de rua, sobra gente querendo levar vantagem.

Organizador de grande parte das corridas de Fortaleza, o publicitário Fernando Elpídio fez um desabafo nas redes sociais nesta segunda-feira (6). “Infelizmente, a corrida é um reflexo de qualquer outra coisa que acontece na nossa sociedade. É mais uma oportunidade de pessoas que só pensam em tirar vantagem de alguma coisa”, lamenta o organizador, em entrevista ao Tribuna do Ceará.

Fernando é responsável por várias corridas na Capital. Em 2017 até aqui já foram seis, como a Pé na Carreira, uma das mais conhecidas do circuito cearense, e até o fim do ano serão mais duas. Uma das corridas que ele organizou aconteceu no último domingo (5), a 21k Terra da Luz. Nela a organização registrou várias ações corruptas, e até dinheiro falso foi visto ao fim da prova.

O organizador faz o relato daquilo que presenciou:

Falsos chips – “Na triagem da dispersão e controle, mais de 40 chips eram de outras provas. O objetivo dos ‘espertos’ era simples: ter a medalha ao final da corrida”.

Número de peitos falsos – “Sempre fico na linha de frente recebendo os atletas. Só eu contei 20 números de outras provas e outros até xerocados, grosseiramente. Isso é feito para ter benefícios ao longo do percurso. Se não fosse o controle cirúrgico do amigo Marco De Lazari, faltaria medalha”.

Notas falsas – “Para comprar as camisas oficiais da 21K Terra da Luz nos dias de entrega de kits, a pessoa aproveitou o grande movimento e burlou o kit com 8 notas falsas de R$ 20”.

Corrupção até na Corrida contra a Corrupção

Fernando Elpídio também organiza a Corrida contra Corrupção, e, por mais irônico que possa parecer, foram registradas muitas ações desonestas no evento que exalta a anticorrupção.

Um dos exemplos foi um atleta idoso que entregou o chip a um corredor de 19 anos. Como ele era bem mais jovem, conseguiu ficar no pódio. Na hora da entrega das medalhas, o senhor recebeu o chip novamente para ficar entre os premiados, mas o tempo alcançado era impossível para um idoso.

Nesse evento 1.500 pessoas se inscreveram, e eram 1.500 medalhas para os participantes. Segundo relata Fernando Elpídio, algumas pessoas desistiram de participar, mas os organizadores acreditam que atletas pegaram mais de uma medalha, em virtude do fim do estoque

Solução

As corridas estão sendo filmadas para identificar as pessoas que fazem esse tipo de ação suja. “Nós não teremos contato físico com essa pessoa, nem iremos tirar ela da prova, como acontece em eventos fora do País. Vamos trabalhar o lado da educação e expor o comportamento errado dela naquele ambiente”, promete Fernando.

Publicidade

Dê sua opinião

DESONESTIDADES

Organizador denuncia o “lado sujo” das corridas de rua em Fortaleza

Número de peitos xerocados, chips de outras provas e até notas de dinheiro falsas já foram registrados. Nem a Corrida contra a Corrupção escapa dos “espertinhos”

Por Lyvia Rocha em Outros Esportes

6 de novembro de 2017 às 11:40

Há 3 semanas
A corrida 21k Terra da Luz aconteceu no domingo (5) (FOTO: Reprodução/Facebook)

A corrida 21k Terra da Luz aconteceu no domingo (5) (FOTO: Reprodução/Facebook)

As corridas de rua tornaram-se uma grande febre em Fortaleza nos últimos anos. Em quase todos os finais de semana tem muita gente correndo logo cedinho pela manhã e espantando o sedentarismo. Mas infelizmente nem tudo é bonito e limpo como parece. Nos eventos de corridas de rua, sobra gente querendo levar vantagem.

Organizador de grande parte das corridas de Fortaleza, o publicitário Fernando Elpídio fez um desabafo nas redes sociais nesta segunda-feira (6). “Infelizmente, a corrida é um reflexo de qualquer outra coisa que acontece na nossa sociedade. É mais uma oportunidade de pessoas que só pensam em tirar vantagem de alguma coisa”, lamenta o organizador, em entrevista ao Tribuna do Ceará.

Fernando é responsável por várias corridas na Capital. Em 2017 até aqui já foram seis, como a Pé na Carreira, uma das mais conhecidas do circuito cearense, e até o fim do ano serão mais duas. Uma das corridas que ele organizou aconteceu no último domingo (5), a 21k Terra da Luz. Nela a organização registrou várias ações corruptas, e até dinheiro falso foi visto ao fim da prova.

O organizador faz o relato daquilo que presenciou:

Falsos chips – “Na triagem da dispersão e controle, mais de 40 chips eram de outras provas. O objetivo dos ‘espertos’ era simples: ter a medalha ao final da corrida”.

Número de peitos falsos – “Sempre fico na linha de frente recebendo os atletas. Só eu contei 20 números de outras provas e outros até xerocados, grosseiramente. Isso é feito para ter benefícios ao longo do percurso. Se não fosse o controle cirúrgico do amigo Marco De Lazari, faltaria medalha”.

Notas falsas – “Para comprar as camisas oficiais da 21K Terra da Luz nos dias de entrega de kits, a pessoa aproveitou o grande movimento e burlou o kit com 8 notas falsas de R$ 20”.

Corrupção até na Corrida contra a Corrupção

Fernando Elpídio também organiza a Corrida contra Corrupção, e, por mais irônico que possa parecer, foram registradas muitas ações desonestas no evento que exalta a anticorrupção.

Um dos exemplos foi um atleta idoso que entregou o chip a um corredor de 19 anos. Como ele era bem mais jovem, conseguiu ficar no pódio. Na hora da entrega das medalhas, o senhor recebeu o chip novamente para ficar entre os premiados, mas o tempo alcançado era impossível para um idoso.

Nesse evento 1.500 pessoas se inscreveram, e eram 1.500 medalhas para os participantes. Segundo relata Fernando Elpídio, algumas pessoas desistiram de participar, mas os organizadores acreditam que atletas pegaram mais de uma medalha, em virtude do fim do estoque

Solução

As corridas estão sendo filmadas para identificar as pessoas que fazem esse tipo de ação suja. “Nós não teremos contato físico com essa pessoa, nem iremos tirar ela da prova, como acontece em eventos fora do País. Vamos trabalhar o lado da educação e expor o comportamento errado dela naquele ambiente”, promete Fernando.