Do sertão para a glória: confira a história de Raul, autor do gol do 44º título estadual do Ceará

SE GARANTE!

Do sertão para a glória: confira a história de Raul, autor do gol do 44º título estadual do Ceará

Apesar de ter nascido no interior do Ceará, o jogador do Alvinegro foi descoberto em São Paulo, graças a um olheiro que ficou admirado com o talento do jovem de 20 anos

Por Lyvia Rocha em Futebol cearense

5 de Maio de 2017 às 06:50

Há 2 anos
Ao lado dos familiares, Raul comemora o título (FOTO: Reprodução/Facebook)

Ao lado dos familiares, Raul comemora o título (FOTO: Reprodução/Facebook)

A emoção de fazer um gol é o ápice para um jogador de futebol. Imagina se esse gol é o primeiro da carreira como profissional e na final de um campeonato? Assim aconteceu com Raul, volante de 20 anos, que veio das categorias de base do Ceará e marcou o segundo da vitória do Vovô contra o Ferroviário, na última quarta-feira (3), e deu o título de campeão cearense ao Alvinegro.

Sobre a conquista e o tão esperado gol, o volante diz estar feliz e ainda extasiado. “Eu tô muito feliz, Deus sempre faz as coisas na hora certa. No jogo passado me esforcei muito, mas não marquei, mas o gol tinha que ser mais especial ainda. A ficha ainda não caiu para mim, agora estou indo comemorar na minha cidade”, disse Raul em entrevista à reportagem do Tribuna do Ceará.

Mas quem pensa que o caminho até conseguir chegar ao gol foi fácil, engana-se. Como grande parte dos jogadores de futebol, Raul veio de origem humilde. Natural de Arneiroz, cidade cearense do Sertão dos Inhamuns, desde criança ele já sabia o que gostaria de ser quando crescesse. Porém, a descoberta para o futebol aconteceu bem longe de sua terra natal.

Ele iniciou nos campeonatos intermunicipais da cidade. Foi para o Icasa, equipe de Juazeiro do Norte, região Sul do Ceará. Por lá, o ainda garoto não conseguiu êxito. Então resolveu sair do estado com 15 anos para tentar a vida no futebol.

Raul vibra ao lado de seu companheiro Tiago Cametá (FOTO: Pedro Chaves/FCF)

Raul vibra ao lado de seu companheiro Tiago Cametá (FOTO: Pedro Chaves/FCF)

E uma nova janela foi aberta para Raul. Pensando em continuar na carreira, o jogador foi realizar um teste no Figueirense, equipe de Santa Catarina. Por lá, mais uma decepção. Chegando no meio da temporada, ficou sem oportunidade e acabou dispensado do clube. “Saí muito novo daqui para tentar a vida no futebol, com 15 para 16 anos. Mas sempre recebi um incentivo muito grande da minha família, que sempre soube que meu sonho era jogar futebol”, relembra.

Com mais uma bola na trave, Raul ficou desmotivado. Após a desilusão, a ideia era voltar para a terra natal e ver o que o futuro lhe reservava. O destino, no entanto, traça caminhos que apenas ele pode desenhar. Uma prima de Raul, vendo a situação do parente, resolveu convidá-lo para férias na cidade de São Paulo. Por lá, o futebol mais uma vez o absorveu. Seria mais um teste para a carreira. Mais uma frustração? Apesar do medo, ele foi novamente tentar.

A descoberta do garoto 

Dentre os vários times, o jovem e a prima conseguiram um teste no Eco Suzano em 2013 e foi nessa escolha que a história de Raul começava a ganhar novos capítulos. Franzé, funcionário da base do Ceará, estava no local e ficou admirado com o talento do jogador. “Quer jogar no Ceará pela Copa do Brasil?”. A pergunta não poderia ser a melhor, e a resposta – claro – positiva. Raul foi jogar improvisado como atacante e marcou dois gols. Era o início de tudo dentro do Vovô.

Se destacando na Copa São Paulo De Futebol Júnior, Raul logo começou a chamar atenção dos dirigentes e também dos torcedores que assistiam ao torneio. Com tanto talento, era questão de tempo para o jovem atuar no profissional. Porém, nada seria tão fácil assim. Em 2016, Raul sofreu uma lesão grave que o afastou seis meses dos gramados. Uma ruptura do ligamento cruzado do joelho.

Após a recuperação, o potencial foi visto pelo então técnico do Ceará Sérgio Soares. Naquela Série B que o Ceará já não almejava muita coisa, Raul tinha o objetivo de se firmar no time… E conseguiu. Hoje, Raul é peça chave na equipe de Givanildo Oliveira que conseguiu o título estadual após 2 anos para o Ceará. Sobre o sonho ter sido realizado ele dedica a quem sempre ajudou: a família, seu pai, mãe e irmão, e a esposa. “Eles sempre me apoiaram e isso fez com que eu nunca desistisse de ser jogador. Dedico tudo que conquistei a eles”, relata.

Agora, apesar das comemorações, o objetivo de Raul é o acesso para a Série A. “Ainda estamos comemorando, mas a partir da semana que vem vamos voltar focados nos treinamentos, porque teremos uma competição muito difícil. No final, queremos sair com o retorno do Ceará para a elite do futebol”, finaliza, cheio de planos.

Ouça a narração do gol de Raul na voz de César Luiz da Tribuna Band News FM:

Publicidade

Dê sua opinião

SE GARANTE!

Do sertão para a glória: confira a história de Raul, autor do gol do 44º título estadual do Ceará

Apesar de ter nascido no interior do Ceará, o jogador do Alvinegro foi descoberto em São Paulo, graças a um olheiro que ficou admirado com o talento do jovem de 20 anos

Por Lyvia Rocha em Futebol cearense

5 de Maio de 2017 às 06:50

Há 2 anos
Ao lado dos familiares, Raul comemora o título (FOTO: Reprodução/Facebook)

Ao lado dos familiares, Raul comemora o título (FOTO: Reprodução/Facebook)

A emoção de fazer um gol é o ápice para um jogador de futebol. Imagina se esse gol é o primeiro da carreira como profissional e na final de um campeonato? Assim aconteceu com Raul, volante de 20 anos, que veio das categorias de base do Ceará e marcou o segundo da vitória do Vovô contra o Ferroviário, na última quarta-feira (3), e deu o título de campeão cearense ao Alvinegro.

Sobre a conquista e o tão esperado gol, o volante diz estar feliz e ainda extasiado. “Eu tô muito feliz, Deus sempre faz as coisas na hora certa. No jogo passado me esforcei muito, mas não marquei, mas o gol tinha que ser mais especial ainda. A ficha ainda não caiu para mim, agora estou indo comemorar na minha cidade”, disse Raul em entrevista à reportagem do Tribuna do Ceará.

Mas quem pensa que o caminho até conseguir chegar ao gol foi fácil, engana-se. Como grande parte dos jogadores de futebol, Raul veio de origem humilde. Natural de Arneiroz, cidade cearense do Sertão dos Inhamuns, desde criança ele já sabia o que gostaria de ser quando crescesse. Porém, a descoberta para o futebol aconteceu bem longe de sua terra natal.

Ele iniciou nos campeonatos intermunicipais da cidade. Foi para o Icasa, equipe de Juazeiro do Norte, região Sul do Ceará. Por lá, o ainda garoto não conseguiu êxito. Então resolveu sair do estado com 15 anos para tentar a vida no futebol.

Raul vibra ao lado de seu companheiro Tiago Cametá (FOTO: Pedro Chaves/FCF)

Raul vibra ao lado de seu companheiro Tiago Cametá (FOTO: Pedro Chaves/FCF)

E uma nova janela foi aberta para Raul. Pensando em continuar na carreira, o jogador foi realizar um teste no Figueirense, equipe de Santa Catarina. Por lá, mais uma decepção. Chegando no meio da temporada, ficou sem oportunidade e acabou dispensado do clube. “Saí muito novo daqui para tentar a vida no futebol, com 15 para 16 anos. Mas sempre recebi um incentivo muito grande da minha família, que sempre soube que meu sonho era jogar futebol”, relembra.

Com mais uma bola na trave, Raul ficou desmotivado. Após a desilusão, a ideia era voltar para a terra natal e ver o que o futuro lhe reservava. O destino, no entanto, traça caminhos que apenas ele pode desenhar. Uma prima de Raul, vendo a situação do parente, resolveu convidá-lo para férias na cidade de São Paulo. Por lá, o futebol mais uma vez o absorveu. Seria mais um teste para a carreira. Mais uma frustração? Apesar do medo, ele foi novamente tentar.

A descoberta do garoto 

Dentre os vários times, o jovem e a prima conseguiram um teste no Eco Suzano em 2013 e foi nessa escolha que a história de Raul começava a ganhar novos capítulos. Franzé, funcionário da base do Ceará, estava no local e ficou admirado com o talento do jogador. “Quer jogar no Ceará pela Copa do Brasil?”. A pergunta não poderia ser a melhor, e a resposta – claro – positiva. Raul foi jogar improvisado como atacante e marcou dois gols. Era o início de tudo dentro do Vovô.

Se destacando na Copa São Paulo De Futebol Júnior, Raul logo começou a chamar atenção dos dirigentes e também dos torcedores que assistiam ao torneio. Com tanto talento, era questão de tempo para o jovem atuar no profissional. Porém, nada seria tão fácil assim. Em 2016, Raul sofreu uma lesão grave que o afastou seis meses dos gramados. Uma ruptura do ligamento cruzado do joelho.

Após a recuperação, o potencial foi visto pelo então técnico do Ceará Sérgio Soares. Naquela Série B que o Ceará já não almejava muita coisa, Raul tinha o objetivo de se firmar no time… E conseguiu. Hoje, Raul é peça chave na equipe de Givanildo Oliveira que conseguiu o título estadual após 2 anos para o Ceará. Sobre o sonho ter sido realizado ele dedica a quem sempre ajudou: a família, seu pai, mãe e irmão, e a esposa. “Eles sempre me apoiaram e isso fez com que eu nunca desistisse de ser jogador. Dedico tudo que conquistei a eles”, relata.

Agora, apesar das comemorações, o objetivo de Raul é o acesso para a Série A. “Ainda estamos comemorando, mas a partir da semana que vem vamos voltar focados nos treinamentos, porque teremos uma competição muito difícil. No final, queremos sair com o retorno do Ceará para a elite do futebol”, finaliza, cheio de planos.

Ouça a narração do gol de Raul na voz de César Luiz da Tribuna Band News FM: