Funcionária do Fortaleza há 46 anos percorre gramado de joelhos em agradecimento ao acesso

COMEMORAÇÃO TRICOLOR

Funcionária do Fortaleza há 46 anos percorre gramado de joelhos em agradecimento ao acesso

Toinha faz “um pouco de tudo” no time, tratando os jogadores como verdadeiros filhos. “A gente estava cansado de estar nessa Série C, muito sofrimento”, comentou

Por Roberta Tavares em Fortaleza

24 de setembro de 2017 às 11:36

Há 3 meses
Toinha fez percurso de uma trave a outra, de joelhos (FOTOS: Esporte Interativo/Reprodução)

Toinha fez percurso de uma trave a outra, de joelhos (FOTOS: Esporte Interativo/Reprodução)

Em meio aos gritos da torcida em comemoração ao acesso do Fortaleza à Série B, uma senhora percorria de joelhos o gramado do estádio Radialista Mário Helênio, junto ao mascote do time.

Na noite de sábado (23), Antônia Porfírio Lima, mais conhecida como Toinha, agradecia a seu modo a conquista do time tricolor.

A gente estava cansado de estar nessa Série C, muito sofrimento. Eu, que vivia dia a dia com eles, procurava saber o motivo, porque eles trabalham bastante”, revelou emocionada em entrevista ao Esporte Interativo

Toinha é funcionária do Leão há 46 anos e faz “um pouco de tudo” no time, tratando os jogadores como verdadeiros filhos. Ela viajou de Fortaleza a Juiz de Fora, em Minas Gerais, de ônibus com um único objetivo: ver o clube do coração subir após sofridos oito anos na Série C. “Eu vim de ônibus, se tivesse que ser uma semana de ônibus, eu viria também, não cansaria não”.

O Fortaleza perdeu a partida contra o Tupi, por 1 a 0, mas garantiu vaga na Segundona. “Deus botou a gente muito longe. Ele deu três degraus pra gente. A gente subiu dois, faltava só 1, não podíamos voltar“, concluiu, chorando de alegria. Agora, o Fortaleza enfrenta o Sampaio Corrêa pelas semifinais da Série C.

Tupi x Fortaleza 
Renda do jogo: R$ 127.430,00
Total de público: 5.751

Publicidade

Dê sua opinião

COMEMORAÇÃO TRICOLOR

Funcionária do Fortaleza há 46 anos percorre gramado de joelhos em agradecimento ao acesso

Toinha faz “um pouco de tudo” no time, tratando os jogadores como verdadeiros filhos. “A gente estava cansado de estar nessa Série C, muito sofrimento”, comentou

Por Roberta Tavares em Fortaleza

24 de setembro de 2017 às 11:36

Há 3 meses
Toinha fez percurso de uma trave a outra, de joelhos (FOTOS: Esporte Interativo/Reprodução)

Toinha fez percurso de uma trave a outra, de joelhos (FOTOS: Esporte Interativo/Reprodução)

Em meio aos gritos da torcida em comemoração ao acesso do Fortaleza à Série B, uma senhora percorria de joelhos o gramado do estádio Radialista Mário Helênio, junto ao mascote do time.

Na noite de sábado (23), Antônia Porfírio Lima, mais conhecida como Toinha, agradecia a seu modo a conquista do time tricolor.

A gente estava cansado de estar nessa Série C, muito sofrimento. Eu, que vivia dia a dia com eles, procurava saber o motivo, porque eles trabalham bastante”, revelou emocionada em entrevista ao Esporte Interativo

Toinha é funcionária do Leão há 46 anos e faz “um pouco de tudo” no time, tratando os jogadores como verdadeiros filhos. Ela viajou de Fortaleza a Juiz de Fora, em Minas Gerais, de ônibus com um único objetivo: ver o clube do coração subir após sofridos oito anos na Série C. “Eu vim de ônibus, se tivesse que ser uma semana de ônibus, eu viria também, não cansaria não”.

O Fortaleza perdeu a partida contra o Tupi, por 1 a 0, mas garantiu vaga na Segundona. “Deus botou a gente muito longe. Ele deu três degraus pra gente. A gente subiu dois, faltava só 1, não podíamos voltar“, concluiu, chorando de alegria. Agora, o Fortaleza enfrenta o Sampaio Corrêa pelas semifinais da Série C.

Tupi x Fortaleza 
Renda do jogo: R$ 127.430,00
Total de público: 5.751