Copa das Confederações: México

A Série Especial traz o perfil de todas as seleções participantes. Nesta semana é a vez do México, que enfrenta o Brasil na Arena Castelão

O México vai tentar o 'Bi" da Copa das Confederações Foto: Divulgação

O México vai tentar o ‘Bi” da Copa das Confederações Foto: Divulgação

Desde a semana passada, o portal ‘Tribuna do Ceará está apresentando cada uma das oito seleções participantes da Copa das Confederações 2013. Nesta quarta-feira (10) é a vez do México, que no dia 19 de junho enfrentará a Seleção Brasileira, na Arena Castelão.

Perfil já mostrado: Nigéria

Um dos times mais assíduos na história dos mundiais, a “La Tri” conquistou, há menos de um ano, os título mais importante de sua história: a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Londres, batendo na final por 2 a 1 o Brasil, então comandado por Mano Menezes. Atualmente, a equipe do técnico José Manoel de La Torre vem patinando nas eliminatórias. Com três empates em três rodadas, é apenas a quarta colocada, estando fora da zona de classificação para a Copa do Mundo.

Apesar da pressão feita por parte da imprensa doméstica, a Federação Mexicana de Futebol (FMF) garante que o treinador não corre riscos de perder o cargo.

Destaques

Chicarito já marcou 30 gols em 46 jogos pela seleção Foto: Divulgação

Chicarito já marcou 30 gols em 46 jogos pela seleção Foto: Divulgação

A Seleção Mexicana, que se garantiu na Copa das Confederações ao vencer a Copa Ouro de 2011, tem pretensões ambiciosas na competição em gramados brasileiros. O time titular conta com quatro pilares: o goleiro Guilhermo Ochoa, do Ajaccio-FRA, o meia-esquerda Andres Guaradado, que se destaca no Valência-ESP, o meia-atacante Giovanni dos Santos, ex-Barcelona e atualmente no Mallorca-ESP, e o atacante Javier “Chicarito” Hernandez, do Manchester United.

Chicarito é uma espécie de 12º jogador nos Red Devils. Apesar de ter perdido espaço no time titular após a contratação do holandês Robin Van Persie, o mexicano segue tendo atuações marcantes pela equipe inglesa. Nesta temporada ele marcou 16 gols em 30 partidas, juntando todos os campeonatos que os comandados de Alex Fergunson disputaram.

Já Giovanni dos Santos é um caso curioso. Visto como sucessor natural de Ronaldinho Gaúcho quando atuava nas categorias de base do Barcelona, o meia, que é filho do ex-jogador brasileiro Zizinho (que atuou pelo São Paulo nos anos 1980), nunca se firmou em clubes, mas tem muita importância para a sua seleção.

Outros destaques são o veterano volante Carlos Salcido (do Tigres), capitão e líder do elenco, além dos jovens Javier Aquino (Villarreal-ESP) e Raul Jimenez (América-MEX), que participaram da vitoriosa campanha olímpica e desde então viraram presenças comuns nas convocações.

Especial-Copa-das-Confederações---Mexico

Asa Negra

Nos últimos anos a Seleção Mexicana virou uma espécia de “asa negra’ do Brasil. Desde 1998, quando contava com os atacantes Luiz Hernandez e Francisco Palencia, venceu a decisão da Copa Ouro contra a Canarinha de Romário e Élber, a La Tri, virou uma pedra no sapato do futebol brasileiro.

Em 1999, conquistou seu título mais importante em seleções principais. Foi na Copa das Confederações daquele ano, batendo os comandados de Vanderlei Luxemburgo, no estádio Asteca completamente lotado, por 4 a 3 (ver ficha do jogo abaixo).

De lá para cá, foram várias derrotas brasileiras em diferentes competições. No último amistoso entre as equipes principais, vitória dos mexicanos por 2 a 0, no dia 3 de junho de 2012, com gols de Giovanni dos Santos e Chicarito Hernandez.

Até mesmo nas seleções de base o time da terra de Pancho Villa tem complicado a vida da Canarinha. Além dos jogos olímpicos do ano passado, a La Tri conquistou o mundial sub-17, até hoje única conquista global da seleção, ao golear o Brasil por 3 a 0 na grande final.

* MÉXICO 4 X 3 BRASIL

Local: Estádio Azteca, Cidade do México (MEX)

Árbitro: Anders Frisk (SUE)

Gols: Zepeda (13’/1ºT), Abundis (28’/1ºT), Serginho (43’/1ºT), Roni (2’/2ºT), Zepeda (6’/2ºT), Blanco (17’/2ºT) e Zé Roberto (18’/2ºT)

MÉXICO: Jorge Campos, Suárez, Rafa Marques, German Villa e Ramirez; Abundis, Blanco, Pardo e Palencia (Terrazas, 25’/2ºT); Carmona e Zepeda (Arellano, 38’/2ºT). Técnico: Manuel Lapuente.

BRASIL: Dida, Flavio Conceição, Odvan, João Carlos e Serginho; Emerson, Vampeta, Zé Roberto (Warley, 37′, 2ºT) e Alex; Beto e Ronaldinho Gaúcho (Roni, 45′, 2ºT). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Títulos

Jogos olímpicos: medalha de ouro – 2012
Copa das Confederações: 1999
Copa Ouro: 1993, 1996, 1998, 2003, 2009 e 2011
Copa da CONCACAF: 1965, 1971 e 1977

Campanhas de destaque:

Vice campeão da Copa América: 1993 e 2001
Copa do Mundo: quartas de final: 1970 e 1986
Copa das Confederações: semifinalista – 1995 e 2005

Jogos do México na primeira fase da Copa das Confederações

16/06

México x Itália – Maracanã

19/06

Brasil x México – Arena Castelão

22/06

Japão x México – Mineirão

Dê sua Opinião