Profissão: Perigo

Uma situação preocupante. A cada dia, quase 2 mil pessoas sofrem algum tipo de acidente de trabalho no Brasil. De acordo com o último levantamento da Previdência Social, de 2010 a 2012 foram registrados mais de dois milhões acidentes laborais e cerca de 8 mil mortes no Brasil. No Ceará, durante o mesmo intervalo, houve 37 mil. Além do drama vivido pelas vítimas e familiares, tais situações geram um rombo no INSS: R$ 224,2 milhões em 5 anos.


25 de julho de 2014

Gastos da Previdência com invalidez no Ceará ultrapassam R$ 4 bilhões em 5 anos

É assustador. O volume de gastos da Previdência Social no Brasil com invalidez laboral cresceu 55% de 2009 a 2013. O total de benefícios repassados às vítimas por invalidez – Auxílio Doença Previdenciário, Auxílio Doença por Acidente do Trabalho, Aposentadoria por Invalidez Previdenciária e Aposentadoria por Invalidez por Acidente do Trabalho – chega a R$ 224,2 milhões em 5 anos, segundo dados obtidos junto ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Somente no Ceará, o repasse foi de R$ 4,09 bilhões, o que representa um aumento de 73% de 2009 a 2013.

E o número não para de crescer. De acordo com a Previdência, no 1º semestre de 2014 já foram pagos mais de R$ 27 bilhões em benefícios por invalidez. A maior parte do valor é destinada a pagamentos em razão de invalidez previdenciária, que é um benefício concedido ao profissional até que haja recuperação e por tempo indeterminado. Para não perder a concessão, o trabalhador deve fazer exames periódicos junto ao INSS.

Create Infographics

Leia mais


“Sem trabalho eu não sou nada
Não tenho dignidade
Não sinto o meu valor
Não tenho identidade
Mas o que eu tenho
É só um emprego
E um salário miserável”

‐ Renato Russo
25 de julho de 2014

MPT/CE apura 348 inquéritos por descumprimento de normas de meio ambiente de trabalho

O Ministério Público do Trabalho no Ceará (MPT/CE) apura atualmente 348 inquéritos civis e procedimentos preparatórios de inquérito civil para investigar o descumprimento de normas de meio ambiente de trabalho. Deste deste total, 118 são investigações que envolvem acidentes de trabalho de maior repercussão.

No período de janeiro de 2010 até julho deste ano foram firmados 138 Termos de Ajuste de Conduta (TACs) com vistas a exigir o cumprimento por parte dos empregadores de normas de meio ambiente de trabalho, sendo que deste total 28 foram TACs firmados em decorrência de situações que envolviam acidentes de trabalho de maior repercussão.

No mesmo período foram ajuizadas 23 Ações Civis Públicas (ACPs) perante a Justiça do Trabalho no Ceará com vistas a exigir o cumprimento por parte dos empregadores de normas de meio ambiente de trabalho, sendo que deste total 11 foram ajuizadas em decorrência de situações que envolviam acidentes de trabalho de maior repercussão.

Leia mais


25 de julho de 2014

Em dois anos, 117 pessoas morreram em acidentes de trabalho no Ceará

Falta de responsabilidade das empresas, alta demanda por fiscalização, baixo número de auditores fiscais do trabalho acarretam em um grande número de acidentes e até mesmo óbitos em ambientes de trabalho. De acordo com Previdência Social, de 2010 a 2012 foram registrados 2.135.342 acidentes laborais e 8.422 mortes no Brasil. Houve queda de 2011 para 2012, mas os números ainda são preocupantes.

No Ceará, que se encontra em 12º lugar entre os estados com mais acidentes laborais, foram registrados 37.615 acidentes de trabalho no intervalo de 2010 a 2012. Quanto às mortes, o Estado registrou 117. Os números são os mais atuais e, de acordo com a Previdência, devem ser atualizados no 2º semestre de 2014.

ARTE: Tiago Leite/Tribuna do Ceará

ARTE: Tiago Leite/Tribuna do Ceará

Leia mais


25 de julho de 2014

Indústria e serviços lideram ranking de acidentes de trabalho

“Eu sou um cabra lá do Sertão, acostumado a pegar bicho. Na hora eu só fiz pegar uma estopa e limpei por conta da graxa. Guardei as ferramentas e o pessoal me levou para o hospital”.

Vinte anos já se passaram desde aquele dia trágico. Muita coisa mudou na vida do mecânico Algêncio Rodrigues, 57. Casado e pai de dois filhos, o profissional teve a mão amassada por uma máquina metalúrgica enquanto a manuseava. Sem perceber, um companheiro de trabalho ativou a máquina e fez com que o mecânico perdesse parte dos dedos.

Afastado das atividades da área mecânica devido ao atual cargo sindical – Algêncio é diretor do Sindicato dos Metalúrgicos do Ceará (Sindmetal/CE) – o profissional sente saudades do batente. “Eu gosto de trabalhar aqui no sindicato, mas é bom trabalhar com o que você gosta porque é a profissão da gente, né?! Apesar de você se melar com graxa”, brinca.

Leia mais


Expediente

Coordenação do Projeto: Felipe Lima
Edição e reportagens: Felipe Lima
Arte: Tiago Leite
Edição de vídeo: Márcio Bezerra
Colaboração: Renato Ferreira e Rafael Luís Azevedo