Cidade de uma família só

Quem chega a Pereiro é recebido de braços abertos pela imagem do Cristo, localizado no Monte Cristo Rei. Para o visitante, é quase difícil lembrar de estar no semiárido nordestino – o clima ameno alivia o calor típico da caatinga. Localizada na região do alto Jaguaribe, a 328km de Fortaleza, a cidade possui 16.063 habitantes e jeito típico de cidade do interior. Pereiro é, também, a terra onde nasceu o humorista cearense Falcão. Os moradores são considerados uma “grande família”.

Segundo os mais antigos, a fama se deve aos vários casamentos realizados entre as famílias da cidade, que teriam propiciado um ambiente tranquilo, como relatam José Acácio de Oliveira e Francisco Neudson. Acácio, hoje aposentado, trabalhou por 35 anos na cadeia pública da cidade. Ele explica que Pereiro passou 10 anos sem registrar um único homicídio. “Aqui nunca acontece um crime envolvendo os filhos da cidade não”, completa. Apesar da fama de tranquilidade, nas ruas estreitas, o movimento é constante, devido ao comércio, que recebe, todas as manhãs, moradores dos bairros mais afastados do centro e também dos distritos de Pereiro e Crioulos.

O município faz divisa com o Estado do Rio Grande do Norte tem fama de pacata, fato confirmado pelos moradores José Acácio de Oliveira e Francisco Neudson. Apesar do clima tranquilo, o aumento no consumo de drogas e falta de oportunidade de trabalho e formação para os mais jovens preocupa os moradores. “O pessoal costuma fazer o rapapé, mas na hora da briga mesmo, não tem nada não. É um povo acolhedor e muito tranquilo”, afirma Neudson.

PereiroEm Pereiro ainda é possível experimentar a sensação de ficar absolutamente sem comunicação. Uma única operadora de telefonia cobre a região. O que pode significar um suplício para alguns pode ser uma ótima oportunidade de aproveitar o clima de serra e a vista linda do médio Jaguaribe.

Do alto do Monte Cristo Rei, existe uma estátua de braços abertos para a cidade, de onde é possível ver toda a cidade. Apesar do acesso fácil e próximo ao centro da cidade, são apenas 2km, a estrada que faz a ligação está com o asfalto desgastado e mato está crescido no entorno. No monumento, além de pichações, a falta de cuidado com a edificação é visível.

E é do alto do Monte Cristo que o aposentado Acácio aponta para o sítio Floresta, onde o humorista Falcão morou. “Ele sempre foi um rapaz muito calmo. Só vivia pra cima e pra baixo com um pandeiro velho e um violão”, afirma. Acácio diz ainda que Falcão sempre que pode visita a cidade e até faz shows para os seus conterrâneos. “O pessoal da família dele que não tinha casa ele deu moradia, ele não nega que é filho daqui não”, explica.

Um casarão antigo na zona rural de Pereiro e datado de 1794 abriga a história do município e das várias gerações da Família Diogenes. A primeira habitação da cidade segundo relatos dos moradores e na época da construção, os escravos caminhavam 38km entre Jaguaribe e Pereiro carregando areia utilizada na edificação. “A construção é um ponto de referência histórico para a cidade e faz parte da minha história e da minha família. Quase todo dia recebemos visitas de pessoas que buscam informações sobre quem morou aqui e por curiosidade”, explica Henrique Diogenes.

Henrique mora e estuda em Fortaleza, mas sempre que tem uma folga volta para suas origens e repousa em Pereiro. Desde 2009 ele fica entre as idas e vindas entre Fortaleza e Pereiro. “Prefiro de viver no sertão. Gosto desse ambiente de paz e da tranquilidade, mas tenho a consciência de que seu tempo aqui é contado, na cidade grande as oportunidades são maiores”.


Voltar