Essa é uma viagem pelo interior do Ceará e da sua gente. Uma expedição que surgiu da necessidade de revelar olhares sobre as questões mais prementes na vida dos cearenses de um modo jamais mostrado. Uma história contada pelas pessoas, cada uma com seus dramas, seus causos e suas verdades, que acabam sendo também um reflexo da vida, dos contos e dos anseios da maioria. Esta expedição percorreu quase 7 mil quilômetros em 41 dias, passando por todas as regiões do estado. Seja bem-vindo. Embarque nessa viagem e conheça o Ceará pelos cearenses.

“Está comprovado que se apostar no pequeno agricultor, ele é capaz de realizar”

Sertão cearense vive um de seus piores dramas

Pelo terceiro ano seguido o inverno não veio. O chão que já estava seco, rachou e o sertão cearense vive um de seus piores dramas: a perda da safra, a morte de animais com fome e sede e a crise de abastecimento de água. Leia Mais
“Eu tenho prazer na minha vida e nos meus amigos que me festejam”

Os desafios para melhorar a saúde no Ceará

Os cuidados com a saúde pública e atenção à saúde das pessoas devem começar cedo, com a prevenção de doenças. Essa prevenção, pode diminuir a superlotação nas unidades hospitalares. Leia Mais
“Tiramos desse crime consequências que vão ser benéficas à sociedade, que vão melhorar a realidade daquele meio”

Os desafios do Ceará para segurança

O olhar desconfiado denuncia que até para uma simples conversa na calçada é preciso cuidado. Os moradores de algumas cidades do interior do Ceará tem deixando de lado um costume tão característico, diante do aumento da violência, que muitas vezes, acontece na porta de casa. Só em 2014 foram registrados 46 ataques a bancos no Ceará. Em alguns casos, as quadrilhas sitiam cidades e espalharam medo para a população. Ações orquestradas por bandos que, devido à semelhança de como atuam, recebem o nome de “o novo cangaço”. Leia Mais
“Você termina os estudos e se não for para outra cidade procurar um meio de vida, aqui é difícil emprego”

Emprego e renda: oportunidades para o interior

O incremento do emprego no interior do Ceará poderia ser uma alternativa contra a dependência financeira dos benefícios do Governo. O problema é que de acordo com números do Ministério do Trabalho e Emprego, mais de 63% dos postos de trabalho com carteira assinada no Ceará estão concentrados em Fortaleza. Leia Mais

O Ceará pelos Cearenses em Vídeos

Diário de Bordo

Expedição pelo Ceará

Esta expedição percorreu 7 mil km em 41 dias, passando por todas as regiões do estado. Uma viagem pelo interior do Ceará e da sua gente. Confira abaixo a linha do tempo com os detalhes do dia-a-dia dessa viagem. Embarque com a gente!

Linha do Tempo

Dia 1 - 8 de julho – Início da expedição

Partimos de Fortaleza na manhã de domingo com destino ao município de Icó, a nossa primeira parada da viagem do projeto Ceará pelos Cearenses. Fomos em busca de encontrar pessoas e suas histórias, cada uma com seus dramas, seus causos e suas verdades que acabam sendo também um reflexo da vida, dos contos e dos anseios da maioria.

Dia 2 - 9 de junho – Perímetro irrigado

Existem 14 perímetros irrigados no Ceará, um dos mais importantes e mais antigo fica em Icó-Lima Campos. Ele foi criado há 40 anos, em 1973, tem seu suprimento de água feito pelo açude Orós. O perímetro foi criado para produção de banana, coco, milho, feijão, arroz e outras variedades, além de pecuária leiteira. São cerca de 150 quilômetros em estradas principais e mais 150 em estradas secundárias região Centro-Sul e o Cariri e que nós fomos conhecer.

Dia 3 - 10 de junho – Rio Salgado

Em nosso terceiro dia de viagem, fomos até a comunidade de Pedrinhas, em uma das margens do rio Salgado - um dos principais afluentes do Rio Jaguaribe. Atualmente o rio ainda corre água, em função das recentes chuvas e da perenização possibilitada pelo açude Orós. Mas essa realidade não é uma regra, pelo terceiro ano seguido o Ceará vive uma seca e as chuvas não foram regulares. O açude Orós está com pouco mais de 60% da capacidade.

Dia 4 - 11 de junho – Avanço da Dengue

Pegamos a estrada novamente, deixamos a cidade de Icó com destino a Pereiro, região serrana do Ceará. O município registrou mais de 350 casos de dengue. No Ceará todo, foram registrados 4.355 casos, uma incidência média de 216 casos por 100 mil habitantes. Em razão das chuvas irregulares e do abastecimento de água precário, muitas famílias costumam armazenar água em potes, tinas, caçambas, baldes e outros recipientes.

Dia 5 - 12 de junho – Novo cangaço

Cangaço: a cidade de Limoeiro do Norte é o nosso destino no quinto dia de viagem pelo Ceará. Chegamos ao município no dia da abertura da Copa do Mundo. Conversamos com historiadores e pesquisadores sobre a passagem de Lampião e do seu bando pela região. Após um intenso tiroteio, Lampião conhece sua primeira derrota e buscou refúgio na cidade. Lampião saiu de Mossoró com o estigma do fracasso com destino à cidade cearense. Qual a relação dessa história com o novo cangaço?

Dia 6 - 13 de junho – Avanço da violência

Violência: Russas terminou 2013 com mais de 50 assassinatos. A criminalidade se espalha para além dos limites do município. No primeiro quadrimestre de 2014, a região registrou 94 assassinatos, no mesmo período foram apreendidas 145 armas, mas isso não foi suficiente para diminuir a violência. Em nossa nova parada nesta viagem, vamos em busca de respostas para a crescente onda da criminalidade. Em outras cidades a violência também aumentou e assusta os moradores do Vale do Jaguaribe, tendo Russas como epicentro do medo.

Dia 7 - 14 de junho – O bando de Lampião

Novo cangaço: partimos de Russas, no Ceará em direção à Mossoró (RN). Em junho de 1927, o bando de Lampião saqueou diversas cidades do Nordeste, fez reféns e extorquiu prefeitos e outras autoridades. Mas em Mossoró foi diferente, além da resistências, a luta armada colocou o interior cearense novamente no caminho de Lampião. Após o confronto, ao chegar em Limoeiro, Lampião avisa que estava em paz.

Dia 8 - 15 de junho – Divisas do Ceará

Divisas: nos primeiros meses de 2014 foram apreendidas mais de 2 mil armas e 894 quilos de drogas no Ceará. É pelas estradas que entra a maior parte de armas e drogas aprrendidas. A divisa do Ceará com o Rio Grande do Norte fica no extremo leste do Estado, uma região violenta e com histórico antigo de pistolagem e atualmente com sérios problemas relacionados às drogas. A fragilidade das nas estradas ficou em evidência em 2010 quando um bando atacou um posto da Sefaz e matou um

Dia 9 - 16 de junho – Projeto Mandala

Projeto Mandala: em Aracati, nossa última parada na primeira etapa da nossa viagem, fomos conhecer melhor um sistema de irrigação circular, com baixo custo de instalação e que facilita, de forma sustentável, a produção de diversas culturas de modo integrado, sem o uso de agrotóxicos. A mandala além de tudo ainda preserva o meio ambiente em comunidades pouco desenvolvidas. É uma iniciativa pouco conhecida no Ceará e um dos meios de convivência com a seca.

Dia 10 - 17 de junho – Primeiro roteiro

Depois de 10 dias de viagem pelo Ceará retornamos para Fortaleza. Chega ao fim do primeiro roteiro da nossa viagem dentro do projeto Ceará pelos Cearenses. Foram percorridas seis cidades, começamos por Icó, depois viajamos até o município de Pereiro onde acompanhamos o avanço da Dengue no Estado. A cidade de Limoeiro do Norte, de lá seguimos na estrada até Russas e depois cruzamos o estado até chegar à Mossoró. De volta ao Ceará fomos ao município de Aracati, onde conhecemos iniciativas voltadas para a irrigação.

Dia 11 - 18 de junho – Destino: Cariri

Segundo roteiro: em Fortaleza a equipe do projeto Ceará pelos Cearenses aproveita a parada técnica para os preparativos para a segunda etapa da viagem. É dia de arrumar as malas de nove e partir, desta vez, em direção à região Sul do Estado. O segundo roteiro inclui as cidades de Juazeiro do Norte, Cratro, Barbalha, Jati, Brejo Santo e Várzea Alegre.

Dia 12 - 19 de junho – Novo roteiro

Nosso próximo destino é a região metropolitana do Cariri, que surgiu da conurbação entre as cidades de Juazeiro do Norte, Crato e Barbalha, denominada Crajubar. Seu nome vem da junção das iniciais dos municípios citados. O Cariri tem ainda outras cidades importantes: Caririaçu, Farias Brito, Jardim, Missão Velha, Nova Olinda e Santana do Cariri. Tem como área de influência a região sul do Ceará e a região da divisa entre o Ceará e os estados de Pernambuco, Paraíba e Piauí.

Dia 13 - 20 de junho – Transposição

Transposição do Rio São Francisco: a obra é considerada a salvação hídrica para o Ceará. Sem uma fonte de água perene, o Estado depende da obra para sofrer com a falta de água, mas o atraso é um desalento para quem tem esperança de não sofrer com a seca. Bolsa Família: o Ceará tem 3,8 milhões de pessoas atendidas pelo programa social. É o quarto maior estado beneficiado no país. A ideia do Bolsa Família é que a pessoa saia da pobreza, mas existe o temor de

Dia 14 - 21 de junho – Emprego e renda

Desenvolvimento regional e economia: o comércio hoje o maior empregador da Juazeiro do Norte. A atividade é responsável pelo emprego com carteira assinada de 12.796 pessoas, contra 11.397 da indústria de transformação. O setor de serviços, que também é puxado pelo comércio, gera 12.076 empregos. Juazeiro é um um município-polo localizado estrategicamente no Cariri e que abastece comercialmente os municípios vizinhos. Visitamos a região para conhecer a dinâmica da economia e da educação na região.

Dia 15 - 22 de junho – Estradas

Várzea Alegre BR-230: é através das estradas que acontece o transporte de mercadorias, que a indústria escoa a sua produção e o turismo atrai seus visitantes. Ter boas estradas é ter, também um bom caminho para desenvolver a economia. Sem boas estradas os compradores não se deslocam, os produtos têm dificuldades para serem escoados e o turismo vai aos poucos perdendo seu protagonismo. Nessa etapa da expedição, percorremos as principais rodovias no Ceará.

Dia 16 - 23 de junho – Esperança de vida

Esperança de vida: segundo o Censo 2010 do IBGE, a cidade do Crato possui cerca de 2,5 mil pessoas com mais de 80 anos. A expectativa de vida do cearense cresceu 13,44 anos entre 1980 e 2010. O crescimento entre as mulheres ficou em 14,38 anos, enquanto entre os homens a elevação atingiu 12,48 anos. na cidade conhecemos o Seu Antônio Dionísio, um agricultor com 112 anos e que esbanja vitalidade. Qual o segredo da região para tanta qualidade de vida?

Dia 17 - 24 de junho – Desafios da saúde

Saúde: o Ceará terminou o ano de 2013 com um total de 1.361 transplantes de órgãos e tecidos realizados, estabelecendo um novo recorde desde a implantação da Central de Transplantes da Secretaria da Saúde do Estado, em 1998, segundo a Secretaria da Saúde do Ceará. Embora o número seja digno de comemoração, ainda há muito o que investir e conquistar para garantir o acesso digno para saúde pública. A universalização das especialidades médicas é um desafio a ser vencido.

Dia 18 - 25 de junho – Estradas vicinais

Bem próximo ao chamado Polígono da Maconha, no sul do Ceará, é possível entrar ou sair do Ceará sem necessariamente passar por uma rodovia federal ou por uma estrada estadual. Essas estradas formam um labirinto, onde até mesmo os moradores da região se perdem. Acompanhamos um morado em uma viagem entre a cidade de Jati e fomos até Pernambuco, todo o caminho por estradas sem nenhuma fiscalização. O Ceará não tem indústrias bélicas, nem terreno fértil para maconha ou cocaína, de onde vem as drogas e

Dia 19 - 26 de junho – A seca

Seca: Quixeramobim historicamente não registra grandes chuvas. Fica no Sertão Central - uma das regiões mais áridas do Ceará. A falta de chuvas causa baixa na produção do homem do campo, problemas financeiras para o agricultor e para a economia local. Mas uma comunidade no sertão de Quixeramobim conseguiu aprender a conviver com a seca e a sua experiência hoje é replicada em vários estados do Brasil, mas pouco aplicada nas demais regiões do Ceará. O projeto Pingo D´água busca a solução de abastecimento d´água e

Dia 20 - 27 de junho – Transnordestina

Transnordestina: Quixeramobim fica no centro geográfico do Ceará, o município hoje com 75 mil habitantes, será cortado pela ferrovia Transnordestina a ferrovia permitiria à região o escoamento da produção do homem do campo, por exemplo, que poderia ser escoada de forma mais ágil e barata até o porto do Pecém. Mas o projeto não contempla esse tipo de transporte e gera questionamentos sobre a sua viabilidade para os habitantes que moram nas áreas por onde a ferrovia vai passar. O projeto começou a ser executado em 2006

Dia 21 - 28 de junho – Saúde no interior

Saúde no interior: um dos desafios da saúde no Ceará e diminuir o número de pacientes que deixam suas cidades no interior do Ceará em busca de atendimento na capital. A ideia dos hospitais regionais é aumentar as chances de sobrevivência nos casos mais graves. Em Quixeramobim o governo se apressa para concluir, ainda neste mandato, o hospital regional. Mas se olharmos para o mapa, vamos perceber que ainda assim, duas importantes regiões ainda estão descobertas: o Vale do jaguaribe e o Sertão dos Inhamuns, distante quase

Dia 22 - 29 de junho – Quixeramobim

História: segundo a tradição, os primeiros habitantes da região eram os índios quixarás. Eles chegaram às terras do atual município vieram do Jaguaribe, seguindo o rio Banabuiú, eram membros das famílias Correia Vieira e Rodrigues Machado, que ali se estabeleceram com fazendas de criar. A povoação parece ter nascido precisamente dessas fazendas. O distrito foi criado com a denominação de Quixeramobim em 1755. Em divisão territorial datada de 1995, o município é constituído de 10 distritos: Quixeramobim, Belém, Encantado, Lacerda, Manituba, Nenelândia, Passagem, Damião Carneiro, (ex-Pirabibu), São

Dia 23 - 30 de junho – Emprego e renda

Emprego e renda: Choró foi emancipado e se tornou município há pouco mais de 10 anos, antes era um distrito de Quixadá. A cidade ainda é conhecida ainda pelo antigo nome Choró-Limão. De acordo com o IBGE, Choró tem o melhor valor de rendimento médio mensal domiciliar per capita: R$ 206,37. No Crato, por exemplo, esse valor é de R$ 500,69. Na zona rural valor é menor ainda: R$ 181,10, o PIB per capita de Choró é de R$ 3.568, enquanto o PIB per capita do Estado

Dia 24 - 1o. de julho – Fortaleza

De volta à Fortaleza é hora de recarregar as baterias e preparar o terceiro e último roteiro da viagem do projeto "O Ceará pelos Cearenses". Até aqui já visitamos 13 cidades para ouvir a opinião dos cearenses sobre os assuntos envolvendo segurança, saúde, seca e emprego e renda. Nossa viagem continua.

Dia 25 - 6 de julho – Na estrada

Já voltamos para estrada! Desta vez o destino é o litoral oeste. Partimos de Fortaleza na manhã de domingo e a nossa primeira parada nesta etapa da viagem do "Ceará pelos Cearenses" é Camocim, terra natal do cearense que entrou para a história por ganhar as alturas, o aviador Pinto Martins. No caminho nos deparamos com a imponência das torres de um parque eólico.

Dia 26 - 7 de julho – Em Camocim

A cidade tem enorme potencial turístico, boa parte dos visitantes buscam lazer em atrativos naturais da região. A principal forma de turismo pode ser feita através de passeios. O município tem mais de 60 mil habitantes e 1158 km² e como toda cidade do interior, assiste o crescimento da onda de violência. Aqui a equipe do Ceará pelos Cearenses se dividiu para conhecer melhor as belezas e os problemas da cidade.

Dia 27 - 8 de julho – Comércio

Tianguá é um município com perfil diferente da maioria dos municípios do Ceará. O maior empregador é o comércio, são 1.926 pessoas empregadas no comércio. É mais até do que a administração pública 1.868 e é mais que o dobro do setor de serviços. Chegamos na cidade em dia de jogo da Seleção Brasileira e cidade estava enfeitada e embalada pela campanha do time brasileiro. Mas infelizmente esse não foi um bom dia para a torcida.

Dia 28 - 9 de julho – Cadeia produtiva

Deixamos Tianguá ainda com destino à Tauá, nos Inhamuns, passamos o dia inteiro na estrada. O município está localizado a 337 quilômetros de distância da capital cearense, Fortaleza. O acesso pode ser feito através da BR-020, na cidade município nasce o Rio Jaguaribe. Tauá é um dos maiores municípios do Ceará em extensão territorial. Tauá tem um diferencial: a pecuária. Dados do IBGE indicam que há cerca de 55 mil cabeças de gado. A produção de leite - 9.371 litros - é uma das 10 maiores do

Dia 29 - 10 de junho – Seca

Fomos até Tauá, no sertão dos Inhamuns, uma das regiões mais secas do Estado: castigada historicamente pelo baixo índice de chuvas e pela baixa capilaridade hídrica. O efeito de três anos seguidos de seca foi devastador para a lavoura de pequenos agricultores e para o gado.

Dia 30 - 11 de julho – Ovinos e caprinos

Tauá é uma cidade que se destaca na pecuária. Estima-se que o rebanho de ovinos e caprinos de Tauá, no sertão dos Inhamuns seja um dos maiores do estado. Fomos conhecer alguns produtores e entender como funciona essa cadeia produtiva. São mais de 70 mil cabeças, animais que recebem uma dieta com alimentos específicos da região, como a folha da aroeira e são levados ao abate na idade certa para manter a maciez da carne.

Dia 31 - 12 de julho – Saúde pública

Tauá é o maior município da região dos Inhamuns, com uma região extensa e faz parte da mesma macrorregião do chamado Sertão de Crateús. Esses municípios não contam com um hospital regional. O Governo do Estado já construiu unidades regionais em Sobral, em Juazeiro do Norte e está concluindo as obras em Quixeramobim. Com a região sem atendimento de alta complexidade, os pacientes são obrigados a se deslocar para outras regiões.

Dia 32 - 13 de julho – Saboeiro

Ceará possui uma rede de esgoto que cobre apenas 38% do estado, Em Saboeiro, a situação é ainda pior. Na cidade, o esgoto passa por 2,68% das residências, em apenas um bairro, todo o lixo da cidade vai para um terreno que fica a poucos quilômetros da sede. Fomos até a cidade para compreender os impactos dessa realidade na vida dos habitantes.

Dia 33 - 14 de julho – Seca

Em nossas andanças pelo Ceará fomos ao Sertão Central, para conhecer de perto uma experiência bem-sucedida, que serve de exemplo para a convivência com a seca. Em um cenário onde o verde predomina, também serve de inspiração para mostrar que a união e o trabalho da comunidade foi capaz de transformar o Vale do Forquilha. Levamos um agricultor do sertão dos Inhamuns para conhecer o projeto Pingo D`água.

Dia 34 - 15 de julho – Pingo D’água

Voltamos ao município de Quixeramobim, sertão central, desta vez com um convidado especial. Levamos o seu Chico da Prima para ver de perto como é possível conviver com a seca. O desafio inicial do Pingo D’Água era combater crença de que no sertão não existia água boa para o consumo. Hoje a iniciativa é replicada em outros estados.

Dia 36 - 16 de julho – O retorno

Depois de conhecer a iniciativa do Pingo D'água, em Quixeramobim, retornamos para Tauá para mostrar à comunidade o funcionamento o projeto. Ele consiste em cavar poços de baixa profundidade, usando um equipamento simples, operado manualmente e com investimento que custa entre R$ 3 mil e R$ 6 mil para a perfuração dos poços e para o projeto de irrigação.

Dia 37 - 17 de julho – Falta de água

Ainda em Tauá fomos até a barragem do Trici, há poucos quilômetros da sede do município. A água que no passado servia para abastecer a localidade hoje já não é suficiente. Os animais que precisam de água seguem em "procissão" em busca de matar a sede.

Dia 38 - 18 de julho – Educação

Em Tauá visitamos a Escola de Educação Profissional Monsenhor Odorico de Andrade. Desde 2008 ela atende 500 alunos em tempo integral. Em um período do dia, os estudantes assistem aulas do ensino médio, no outro, aprendem uma profissão. Uma equipe de televisão em uma escola chama logo atenção dos alunos, todos estavam curiosos para saber do que se tratava.

Dia 39 - 19 de julho – De volta pra casa

Hora de arrumar as malas pela última vez e voltar ao ponto de partida da nossa viagem. Depois de 39 dias percorrendo todas a regiões do Ceará partimos de Tauá para Fortaleza. Uma expedição que surgiu da necessidade de revelar olhares sobre as questões mais prementes na vida dos cearenses de um modo jamais mostrado. Uma história que é contada pelas pessoas.

Dia 43 - Expedição pelo Ceará

Esta expedição percorreu 7 mil km em 41 dias, passando por todas as regiões do estado. Uma viagem pelo interior do Ceará e da sua gente. Confira abaixo a linha do tempo com os detalhes do dia-a-dia dessa viagem. Embarque com a gente!

Personagens

Nossas Imagens

 

 

Nossas Andanças

Só Ceará - Marcações por onde andou

Números da Viagem

Municípios Visitados
21
Pessoas Entrevistadas
50
Km Percorridos
7000
Horas de Gravação
400