Entrevista com a professora Giovanna Carranza


Entrevista com a professora Giovanna Carranza

Giovanna Carranza é professora há 6 anos de Administração Pública e atualmente ensina no Master Concursos.

Por Tribuna do Ceará em Guia do Concurseiro

6 de outubro de 2014 às 08:41

Há 4 anos

Giovanna Carranza é professora há 6 anos  de Administração Pública, autora do livro Administração Geral e Pública e atualmente ensina no Master Concursos. Nessa entrevista ela comenta os principais erros dos concurseiros e fornece dicas pra conquistar sua aprovação. Confira:Giovanna Carranza

 

Quais os principais erros cometidos pelos concurseiros?

O principal deles é estudar apenas quando sai o edital, o ideal é estudar com 1 ano de antecedência, pois com apenas 2 meses não é possível ver todo o conteúdo de maneira adequada. Alimentação incorreta e falta de exercício também prejudicam o desempenho do candidato. Se o aluno não tiver uma orientação correta ele será prejudicado.

 

Professora, quais suas dicas para um bom estudo?

Produtividade é mais importante que quantidade. Portanto, há pessoas que estudam menos horas e o estudo rende mais, como é o caso das pessoas que estudam de madrugada porque trabalham. É fundamental ter um bom local, um bom material de apoio e ambiente com iluminação adequada.

 

Nesses anos como professora de curso preparatório para concursos, o que a senhora mais percebe nos alunos?

O que eu mais vejo nos alunos é problema de ansiedade e isso provoca falta de estabilidade para estudar. Praticar um esporte ajuda a aliviar a ansiedade.

 

É comum os concurseiros que vão começar a estudar para concursos pela primeira vez ficarem confusos e não saber por onde começar. Qual sua orientação para esse público?

O principal erro é escolher um concurso apenas pelo salário alto, como no caso do concurso da Receita Federal, sendo que para esse concurso há pessoas que estudam há anos e são 14 disciplinas para o candidato dominar. Indico que o concurseiro comece estudando poucas matérias e vá aumentando o nível. Outra dica é fazer cursos de disciplinas comuns nos concursos, como Português e Informática.

 

Em sua opinião, quais fatores contribuem para o concurseiro conseguir mais rápido a sua tão sonhada aprovação?

Concentração, produtividade, foco, persistência e intensidade. É preciso que o candidato não interrompa os estudos, estude direto, pois interromper causa perda do conteúdo aprendido. O candidato não deve “pular de galho em galho” e precisa ter foco, por exemplo se ele quer ingressar em uma vaga para tribunal, deve estudar apenas para concursos de tribunais, se quer passar em um concurso em um banco, deve estudar apenas para concursos que sejam para bancos. É importante fazer uma avaliação crítica, caso seja reprovado, se perguntar “ Onde eu estou errando?”.  Cito o caso de uma amiga que estudava muito, mas era reprovada por causa da  redação, eu vi a redação dela e vi que realmente a linguagem estava inadequada para os padrões exigidos pela banca. Recomendei que ela fizesse um curso de redação e logo em seguida ela conseguiu ser aprovada. Também é importante trabalhar o emocional, suportar a pressão de amigos e familiares e não deixar que problemas pessoas interfiram na maratona de estudos.

 

LEIA MAIS

Filmes que todo concurseiro deveria assistir

Concurso para delegado, escrivão e inspetor da polícia civil

Câmara de Acaraú abre concurso com 56 vagas e remuneração até R$ 1,5 mil

Publicidade

Dê sua opinião

Entrevista com a professora Giovanna Carranza

Giovanna Carranza é professora há 6 anos de Administração Pública e atualmente ensina no Master Concursos.

Por Tribuna do Ceará em Guia do Concurseiro

6 de outubro de 2014 às 08:41

Há 4 anos

Giovanna Carranza é professora há 6 anos  de Administração Pública, autora do livro Administração Geral e Pública e atualmente ensina no Master Concursos. Nessa entrevista ela comenta os principais erros dos concurseiros e fornece dicas pra conquistar sua aprovação. Confira:Giovanna Carranza

 

Quais os principais erros cometidos pelos concurseiros?

O principal deles é estudar apenas quando sai o edital, o ideal é estudar com 1 ano de antecedência, pois com apenas 2 meses não é possível ver todo o conteúdo de maneira adequada. Alimentação incorreta e falta de exercício também prejudicam o desempenho do candidato. Se o aluno não tiver uma orientação correta ele será prejudicado.

 

Professora, quais suas dicas para um bom estudo?

Produtividade é mais importante que quantidade. Portanto, há pessoas que estudam menos horas e o estudo rende mais, como é o caso das pessoas que estudam de madrugada porque trabalham. É fundamental ter um bom local, um bom material de apoio e ambiente com iluminação adequada.

 

Nesses anos como professora de curso preparatório para concursos, o que a senhora mais percebe nos alunos?

O que eu mais vejo nos alunos é problema de ansiedade e isso provoca falta de estabilidade para estudar. Praticar um esporte ajuda a aliviar a ansiedade.

 

É comum os concurseiros que vão começar a estudar para concursos pela primeira vez ficarem confusos e não saber por onde começar. Qual sua orientação para esse público?

O principal erro é escolher um concurso apenas pelo salário alto, como no caso do concurso da Receita Federal, sendo que para esse concurso há pessoas que estudam há anos e são 14 disciplinas para o candidato dominar. Indico que o concurseiro comece estudando poucas matérias e vá aumentando o nível. Outra dica é fazer cursos de disciplinas comuns nos concursos, como Português e Informática.

 

Em sua opinião, quais fatores contribuem para o concurseiro conseguir mais rápido a sua tão sonhada aprovação?

Concentração, produtividade, foco, persistência e intensidade. É preciso que o candidato não interrompa os estudos, estude direto, pois interromper causa perda do conteúdo aprendido. O candidato não deve “pular de galho em galho” e precisa ter foco, por exemplo se ele quer ingressar em uma vaga para tribunal, deve estudar apenas para concursos de tribunais, se quer passar em um concurso em um banco, deve estudar apenas para concursos que sejam para bancos. É importante fazer uma avaliação crítica, caso seja reprovado, se perguntar “ Onde eu estou errando?”.  Cito o caso de uma amiga que estudava muito, mas era reprovada por causa da  redação, eu vi a redação dela e vi que realmente a linguagem estava inadequada para os padrões exigidos pela banca. Recomendei que ela fizesse um curso de redação e logo em seguida ela conseguiu ser aprovada. Também é importante trabalhar o emocional, suportar a pressão de amigos e familiares e não deixar que problemas pessoas interfiram na maratona de estudos.

 

LEIA MAIS

Filmes que todo concurseiro deveria assistir

Concurso para delegado, escrivão e inspetor da polícia civil

Câmara de Acaraú abre concurso com 56 vagas e remuneração até R$ 1,5 mil