Confira 7 motivos para estudar francês agora

LISTA

Confira 7 motivos para estudar francês agora

A Aliança Francesa, reconhecida pelo governo da França, oferta aulas experimentais grátis e possui projetos para alunos que desejam estudar fora do país

Por Tribuna do Ceará em Cursos

19 de novembro de 2018 às 17:35

Há 4 meses
frances

(FOTO: Divulgação)

A Aliança Francesa, reconhecida pelo governo da França, oferta aulas experimentais grátis e possui projetos para alunos que desejam estudar fora do país. E tem desconto para quem quer iniciar agora.

1. Francês: um idioma internacional

Presente nos cinco continentes, o francês é idioma oficial em diversos Estados e organizações internacionais. Além disso é a 5ª língua mais falada do mundo. Melhor ainda, o francês é, depois do inglês, é o idioma mais aprendido do mundo, e atualmente a 3ª língua para negócios e a 2ª para informação internacional. No mundo, são mais de 136 milhões de falantes nativos, e cerca de 500 milhões incluindo os que falam como segunda língua. França, Canadá, e os africanos Camarões, Tunísia, Costa do Marfim e Marrocos estão entre os principais países que fala o francês.

2. Ensino público, financiado e garantido

O governo da França subsidia grande parte dos custos de cada estudante nas universidades públicas (11.740 euros por estudante por ano). Melhor, não existe nenhum tipo de diferenciação entre estudantes franceses para aqueles que são de outros países: pré-requisitos, diplomas e taxas de inscrição são os mesmos.

3. Taxas simbólicas e diplomas válidos em todo o mundo

Para estudar um ano em uma universidade francesa, o aluno paga entre 180 a 400 euros. E os diplomas, que seguem o mesmo padrão europeu (Licence, Master e Doctorat), são validados pelo governo e reconhecidos em todo espaço europeu de ensino superior.

4. Trabalho e estudo

Com um visto de estudante de longa duração, o estudante internacional tem permissão para trabalhar até meio período, o que possibilita a complementação da renda durante os estudos. Além disso, há cursos que possibilitam estágio remunerado. Com isso, o estudante volta com uma experiência profissional internacional no CV.

5. Economia de tempo

Para que perder tempo? O curso intensivo transforma 6 meses de curso em apenas 1 mês. Com aulas diárias e com tempo estendido, os alunos têm a oportunidade de vivenciar o idioma com maior frequência e, dessa forma, assimilar em menor tempo a língua. Para quem tem pressa em aprender, o intensivo é a melhor saída.

6. Aulas experimentais grátis e desconto na matrícula

Em Fortaleza, a Aliança Francesa, instituição de ensino da língua e cultura francesa no país reconhecida pelo governo da França, oferta aulas experimentais grátis. E mais, para aqueles que desejam estudar e morar na França, a escola de línguas e possui projetos para alunos e profissionais, com a facilidade de trânsito com as entidades francesas.

Além disso, a Aliança vai abriu matrículas, que vão até o dia 20 de dezembro, com valor sem reajuste. As matrículas são para o intensivo em janeiro e o extensivo em fevereiro, com 20% de desconto na primeira parcela. As aulas experimentais acontecem sempre na primeira semana do curso.

Publicidade

Dê sua opinião

LISTA

Confira 7 motivos para estudar francês agora

A Aliança Francesa, reconhecida pelo governo da França, oferta aulas experimentais grátis e possui projetos para alunos que desejam estudar fora do país

Por Tribuna do Ceará em Cursos

19 de novembro de 2018 às 17:35

Há 4 meses
frances

(FOTO: Divulgação)

A Aliança Francesa, reconhecida pelo governo da França, oferta aulas experimentais grátis e possui projetos para alunos que desejam estudar fora do país. E tem desconto para quem quer iniciar agora.

1. Francês: um idioma internacional

Presente nos cinco continentes, o francês é idioma oficial em diversos Estados e organizações internacionais. Além disso é a 5ª língua mais falada do mundo. Melhor ainda, o francês é, depois do inglês, é o idioma mais aprendido do mundo, e atualmente a 3ª língua para negócios e a 2ª para informação internacional. No mundo, são mais de 136 milhões de falantes nativos, e cerca de 500 milhões incluindo os que falam como segunda língua. França, Canadá, e os africanos Camarões, Tunísia, Costa do Marfim e Marrocos estão entre os principais países que fala o francês.

2. Ensino público, financiado e garantido

O governo da França subsidia grande parte dos custos de cada estudante nas universidades públicas (11.740 euros por estudante por ano). Melhor, não existe nenhum tipo de diferenciação entre estudantes franceses para aqueles que são de outros países: pré-requisitos, diplomas e taxas de inscrição são os mesmos.

3. Taxas simbólicas e diplomas válidos em todo o mundo

Para estudar um ano em uma universidade francesa, o aluno paga entre 180 a 400 euros. E os diplomas, que seguem o mesmo padrão europeu (Licence, Master e Doctorat), são validados pelo governo e reconhecidos em todo espaço europeu de ensino superior.

4. Trabalho e estudo

Com um visto de estudante de longa duração, o estudante internacional tem permissão para trabalhar até meio período, o que possibilita a complementação da renda durante os estudos. Além disso, há cursos que possibilitam estágio remunerado. Com isso, o estudante volta com uma experiência profissional internacional no CV.

5. Economia de tempo

Para que perder tempo? O curso intensivo transforma 6 meses de curso em apenas 1 mês. Com aulas diárias e com tempo estendido, os alunos têm a oportunidade de vivenciar o idioma com maior frequência e, dessa forma, assimilar em menor tempo a língua. Para quem tem pressa em aprender, o intensivo é a melhor saída.

6. Aulas experimentais grátis e desconto na matrícula

Em Fortaleza, a Aliança Francesa, instituição de ensino da língua e cultura francesa no país reconhecida pelo governo da França, oferta aulas experimentais grátis. E mais, para aqueles que desejam estudar e morar na França, a escola de línguas e possui projetos para alunos e profissionais, com a facilidade de trânsito com as entidades francesas.

Além disso, a Aliança vai abriu matrículas, que vão até o dia 20 de dezembro, com valor sem reajuste. As matrículas são para o intensivo em janeiro e o extensivo em fevereiro, com 20% de desconto na primeira parcela. As aulas experimentais acontecem sempre na primeira semana do curso.