Jornalista americano lista diversas maneiras de trabalhar legalmente nos EUA

ARRUME AS MALAS

Jornalista americano lista diversas maneiras de trabalhar legalmente nos EUA

O jornalista Seth Kugel listou maneiras de trabalhar legalmente nos EUA em seu canal Amigo Gringo

Por Tribuna do Ceará em Carreira

11 de junho de 2017 às 06:05

Há 1 ano
emprego-nos-estados-unidos

Trabalhe nos EUA de forma legal (FOTO: Reprodução)

Seja por um período temporário ou de maneira permanente, um dos sonhos de muitos brasileiros atualmente é poder viver nos EUA. Para ajudar nessa questão o jornalista Seth Kugel listou resumidamente diversas maneiras de trabalhar legalmente em território americano em seu canal Amigo Gringo na Snack, rede multiplataforma de canais.

Quem forneceu todas as informações para o youtuber foi seu amigo Bryan Pu-Folkes, advogado de imigração. No vídeo Kugel explica que o visto e a sigla do mesmo muda de acordo com o objetivo nos EUA, e que cada tipo de visto possui regras e fatores diferentes. Por exemplo: i1 é o visto de jornalistas, mas fica estabelecido que eles só podem trabalhar para veículos de fora, nunca para jornais americanos. O h1c é o visto para enfermeiras, mas é obrigatório que elas tenham inglês fluente e uma certificação dos EUA.

Outros vistos comuns como o H1B (profissionais), H2B (trabalhadores temporários), H2A (trabalhadores temporários agrícolas), L1 (empresário), J1 (au pair), P1 (atleta ou músico), R1 (trabalhador religioso), B1 (empregada doméstica) e F1 (estudante) também foram explicados pelo youtuber.

Para morar de maneira permanente e conseguir o Green Card, Seth explica que a maneira mais usual é se casar com um americano. A boa notícia é que atualmente a regra também se aplica para casais homossexuais, o que não acontecia antes.

O jornalista também ressalta uma política social pouco conhecida pela maioria: a lei de Violência Contra as Mulheres (Violence Agains Women Act ou VAWA). “Se você está aqui e você não tem green card e é abusada pelo marido, você pode ser elegível para o green card. A ideia é que o governo não quer que você fique com um marido que vai te dar cidadania se você está sendo abusada”, explica.

Seth lembra que as dicas servem para nortear quem está procurando respostas sobre assunto, mas aconselha a contratação de um profissional em caso de maiores dúvidas, visto que todos os processos são complexos e envolvem particularidades.

Veja o vídeo na íntegra

Publicidade

Dê sua opinião

ARRUME AS MALAS

Jornalista americano lista diversas maneiras de trabalhar legalmente nos EUA

O jornalista Seth Kugel listou maneiras de trabalhar legalmente nos EUA em seu canal Amigo Gringo

Por Tribuna do Ceará em Carreira

11 de junho de 2017 às 06:05

Há 1 ano
emprego-nos-estados-unidos

Trabalhe nos EUA de forma legal (FOTO: Reprodução)

Seja por um período temporário ou de maneira permanente, um dos sonhos de muitos brasileiros atualmente é poder viver nos EUA. Para ajudar nessa questão o jornalista Seth Kugel listou resumidamente diversas maneiras de trabalhar legalmente em território americano em seu canal Amigo Gringo na Snack, rede multiplataforma de canais.

Quem forneceu todas as informações para o youtuber foi seu amigo Bryan Pu-Folkes, advogado de imigração. No vídeo Kugel explica que o visto e a sigla do mesmo muda de acordo com o objetivo nos EUA, e que cada tipo de visto possui regras e fatores diferentes. Por exemplo: i1 é o visto de jornalistas, mas fica estabelecido que eles só podem trabalhar para veículos de fora, nunca para jornais americanos. O h1c é o visto para enfermeiras, mas é obrigatório que elas tenham inglês fluente e uma certificação dos EUA.

Outros vistos comuns como o H1B (profissionais), H2B (trabalhadores temporários), H2A (trabalhadores temporários agrícolas), L1 (empresário), J1 (au pair), P1 (atleta ou músico), R1 (trabalhador religioso), B1 (empregada doméstica) e F1 (estudante) também foram explicados pelo youtuber.

Para morar de maneira permanente e conseguir o Green Card, Seth explica que a maneira mais usual é se casar com um americano. A boa notícia é que atualmente a regra também se aplica para casais homossexuais, o que não acontecia antes.

O jornalista também ressalta uma política social pouco conhecida pela maioria: a lei de Violência Contra as Mulheres (Violence Agains Women Act ou VAWA). “Se você está aqui e você não tem green card e é abusada pelo marido, você pode ser elegível para o green card. A ideia é que o governo não quer que você fique com um marido que vai te dar cidadania se você está sendo abusada”, explica.

Seth lembra que as dicas servem para nortear quem está procurando respostas sobre assunto, mas aconselha a contratação de um profissional em caso de maiores dúvidas, visto que todos os processos são complexos e envolvem particularidades.

Veja o vídeo na íntegra